Menu
Busca quinta, 24 de janeiro de 2019
(67) 9860-3221

Atividade industrial no Brasil desacelera para 51,1 em dezembro

02 janeiro 2013 - 16h55

A indústria brasileira continuou dando sinais de retomada e seguiu em expansão em dezembro pelo quarto mês consecutivo, embora tenha desacelerado em relação ao mês anterior. A produção industrial, segundo o Índice Gerente de Compras (PMI, na sigla em inglês), registrou valor de 51,1 no mês passado em uma escala na qual valores acima de 50 indicam expansão. Em novembro, o indicador havia ficado em 52,2 pontos.

Para o HSBC, o resultado aponta a continuidade da expansão do setor industrial e um crescimento sólido da produção, embora de forma mais lenta. “No geral, pode-se dizer que o setor industrial encerrou 2012 num momento positivo, após ter passado a maior parte do ano em contração”, afirmou em nota André Loes, economista-chefe do banco.

A expansão na produção foi acompanhada pelo aumento nas compras e motivada pela previsão de alta na demanda. O banco destaca que, embora o avanço na compra de insumos tenha sido pequeno, foi o segundo mês em que o indicador subiu.

O volume de novos pedidos também foi ampliado, segundo os participantes da pesquisa, o que reflete a demanda mais forte. Os novos pedidos para a exportação também cresceram e as vendas ao mercado externo avançaram em dezembro pela primeira vez desde março de 2011, segundo o HSBC.

Apesar da expansão na produção, o nível de emprego registrou retração em dezembro. A queda no número de funcionários, reportada por cerca de 6% dos entrevistados pelo HSBC, reflete a não reposição de vagas de empregados que se demitiram. Para a instituição, entretanto, a contração foi moderada, uma vez que 91% dos entrevistados relataram que não houve mudanças no quadro de funcionários. “Os índices de produção e novas encomendas permaneceram em patamar sólido, enquanto o índice de emprego ficou abaixo de 50 pelo nono mês consecutivo - mais um sinal tênue de menos aperto nas condições do mercado de trabalho industrial”, destacou Loes.

Custos

Em dezembro, os custos dos insumos pagos pela indústria brasileira subiu - comportamento que se repete desde setembro de 2009, segundo o HSBC. O ritmo da inflação desses produtos também foi o maior em dezoito meses. De acordo com o HSBC, o avanço evidenciou um encarecimento das matérias-primas. Quase 6% dos entrevistados indicaram custos mais elevados em suas unidades, citando os preços dos insumos e condições desfavoráveis da taxa de câmbio.

Os estoques de produtos finais caíram em dezembro, quando comparados a novembro, segundo o HSBC. O ritmo de redução, no entanto, foi moderado.

Deixe seu Comentário

Leia Também

SHOWBIZZ
Ex-BBB Michelly Crisfepe exibe barriga esculpida na web e recebe elogios
PAGAMENTO
Justiça suspende auxílio-mudança de parlamentares reeleitos
SAÚDE
Menino de 5 anos é diagnosticado com leishmaniose em Campo Grande
ECONOMIA
Aéreas brasileiras transportaram 103 milhões de passageiros em 2018
COXIM
Mulher não consegue falar com marido que é encontrado morto pela filho
UFGD
Concursos para docentes e técnicos divulgam candidatos isentos
ECONOMIA
Secretaria de Fazenda publica valor atualizado de Uferms para fevereiro
FORÇAS ARMADAS
Polícia recupera pistola de uso restrito desaparecida desde 2016
APRENDIZES-MARINHEIRO
Marinha abre inscrições para concurso com 1 mil vagas em todo país
ANASTÁCIO
Homem agride e furta dinheiro mãe para comprar bebida alcoólica

Mais Lidas

OPERAÇÃO PREGÃO
Ex-secretário de Fazenda João Fava Neto é preso na Capital
POLÍCIA
Rapaz vai parar na cadeia após ser flagrado empinando moto em Dourados
POLÍCIA
Homem é flagrado com mais de 150 kg de cocaína em fundo falso de caminhão
PARANHOS
Sogro de narcotraficante é executado a tiros na região de fronteira