Menu
Busca quarta, 18 de julho de 2018
(67) 9860-3221

Após seis apagões em 4 meses, setor de energia tem 'vistoria-surpresa'

02 janeiro 2013 - 15h40

As empresas do setor elétrico passam por "vistorias-surpresas" para avaliar o funcionamento dos sistemas e a manutenção dos equipamentos. A ordem é da presidente Dilma, que pretende limitar ao máximo as chances de um novo apagão no país.

A orientação do Planalto foi dada ao Ministério de Minas e Energia, responsável por coordenar as vistorias.

Desde setembro, quando Dilma anunciou que haveria um corte médio de 20% nas tarifas de energia aos consumidores a partir deste ano, ocorreram seis blecautes de grandes proporções em diversos Estados brasileiros.

O mais recente, no mês passado, deixou sem energia cidades de Rondônia, Acre, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás, Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Espírito Santo, Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais por pouco mais de uma hora.

A operação pente-fino teve início depois que a região Nordeste ficou sem energia pela segunda vez em 2012, há cerca de um mês.

As análises começaram a ser feitas nas empresas de transmissão de energia. As geradoras entrarão em uma segunda etapa das vistorias.

Segundo a Folha apurou, no entanto, a presidente Dilma não está totalmente satisfeita com a operação. O motivo é que apenas 40 subestações foram escolhidas para participar dessa checagem de operação e manutenção.

Apesar de as escolhidas estarem em situação mais crítica, por serem mais antigas ou importantes para a estabilidade do sistema, Dilma quer que todo o sistema de transmissão seja revisado e que a conclusão desses trabalhos saia rapidamente.

Além de agilidade, a orientação do Planalto é que os técnicos do Ministério de Minas e Energia, da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) e do ONS (Operador Nacional do Sistema) não só entreguem as análises sobre as condições do setor como ainda possíveis soluções para as fragilidades verificadas.

BACKUP

A prioridade é revisar o sistema de proteção das subestações, uma espécie de backup do setor --para, em caso de falhas, ainda existir a possibilidade de evitar que o problema se espalhe.

Apesar de o backup já existir, há uma preocupação sobre a manutenção e a atualização dos equipamentos.

Dentro do governo, o termo "cansaço" do sistema está sendo usado para tratar do assunto e justificar as defasagens encontradas, apesar de o secretário de Energia Elétrica, Ildo Grüdtner, ter negado oficialmente.

O relatório da primeira etapa desse pente-fino sobre as transmissoras será conhecido neste mês. Metade das subestações já foi vistoriada.

Deixe seu Comentário

Leia Também

DOURADOS
Dupla em Corsa branco teria executado homens em Sitioca
UAU
Maria Flor posa nua e abre o jogo sobre masturbação: “É muito libertador”
TRÊS LAGOAS
Por suspeita de traição, homem sequestra "amigo" e ameaça matá-lo
MELHORIAS
DNIT pode assumir obras da BR-163 não realizadas pela CCR MSVia
LAGUNA CARAPÃ
Prefeitura anuncia seleção para 96 vagas e salários de até R$ 12 mil
CORUMBÁ
Irmãos são presos em casa onde mantinham mulher aprisionada
ROMA
Brasileiro é denunciado por vandalismo ao gravar inicial no Coliseu
AMAMBAI
Condenado cumpre pena e solto passa a morar embaixo de carreta
TECNOLOGIA
INSS lança plataforma que permite acessar extrato pela Internet
UEMS
Mestrado em Ensino em Saúde abre inscrições para aluno especial

Mais Lidas

DUPLO HOMICÍDIO
Duas pessoas são assassinadas em Dourados
DOURADOS
Acusado de matar mecânico confessa assassinato de homem no Flórida
DUPLO HOMICÍDIO
Polícia identifica uma das vítimas de assassinato em Dourados
VIOLÊNCIA URBANA
Bandidos estouram caixa eletrônico de banco em Dourados