Menu
Busca segunda, 27 de janeiro de 2020
(67) 9860-3221
OFICINA DE DRAMATURGIA

Atores, estudantes e diretores exercitam texto teatral por meio de oficina gratuita de Dramaturgia

15 setembro 2017 - 15h35

Estudantes, atores e diretores teatrais do Estado têm a oportunidade de pensar e exercitar o texto para teatro com a oficina gratuita de Dramaturgia "Experimentações e fluxos de criação", ministrada pelo professor e dramaturgo Jonathan Andrade, de Brasília. O curso acontece de 13 a 17 de setembro, de quarta a sexta-feira, das 18h às 22h e no sábado e domingo das 14h às 18h no Centro Cultural José Octávio Guizzo.

A aula de ontem (14), abordou a potencialidade da escrita. O ministrante, Jonathan Andrade, falou que hoje a possibilidade de subverter o império da semântica do texto é uma necessidade para pensar a visualidade e outras camadas de sentido para além da semântica. "Trabalhamos na oficina a expansão dos sentidos, a possibilidade de cada aluno criar jogos de sentido na composição do texto. A fluição da escrita que a dessacraliza, pois o exercício de escrever tem sido considerado muito sério, dogmático. Temos feito vários exercícios para entender que a potencialidade da escrita é simplesmente fluir".

Sobre o mercado de trabalho para o autor teatral, o dramaturgo brasiliense diz que enfrenta um abismo intenso. "Pensar em mercado e produção é pensar em um abismo, escalado por muitos artistas, é a realidade da arte como um todo no país. Sobre o meu trabalho, especificamente, há um espaço e um retorno muito positivo. Há 16 anos trabalho para grupos de Brasília e fora de Brasília. Escrever e compor dramaturgia para mim é uma necessidade vital, é uma fome. A oportunidade para cada artista é a gente que cava. Por isso, considero primorosa a atitude da Fundação de Cultura, que entende o fomento desse tipo de trabalho, de encontro de artistas. A gente precisa enaltecer essas iniciativas de intercâmbio cultural. Isso mostra um empenho de que essa cultura encontra iniciativas de potência".

A oficina está trazendo experiências diversas, porque está sendo frequentada por pessoas de várias idades e diversos níveis de contato com o fazer teatral. "É uma turma bastante plural, de figuras com intimidade com a linguagem teatral e pessoas que vieram justamente conhecer como é essa linguagem. A pluralidade de idades, experiências d expectativas é o que torna a oficina extremamente rica. É uma oficina sobre identidade, para exercitar possibilidades diversas, de potencializar a individualidade e também o coletivo, como essa diversidade alimenta os processos de escrita".

A estudante de Artes Cênicas da Uems, Issel Oliveira Chaia, de 20 anos, participa da oficina para entender como é o processo de criação do trabalho teatral. "O Jonathan não trabalha só, ele vai atrás da história, vai buscar ‘personas’ que vivem a realidade que ele está buscando. É muito legal a abordagem dele, construtivista. Entendo que tem a construção de cenário, tudo baseado no que o autor tenta codificar para transformar em cena. Para mim, é muito difícil, com essa oficina vou ter mecanismos que vão auxiliar na fabricação da dramaturgia".

Issel participou do grupo Brincarte, com Ramona Rodrigues, e depois de formada pretende trabalhar com teatro buscando movimentar o cenário campo-grandense. "Aqui em Campo Grande tem teatro, tem um movimento, não é à toa que o Jonathan veio aqui dar esta oficina. A cidade precisa ser ocupada nesses centros artísticos. Oficinas gratuitas têm qualidade, como a dele. Pretendo fazer arte para sensibilizar as pessoas, para que elas questionem seu papel na sociedade".

O diretor teatral e produtor cultural Marcelo Leite, 40 anos, possui mais de 20 anos de experiência com o fazer teatral em Mato Grosso do Sul. É fundador do grupo Fulano di Tal, e quando constituiu o grupo, nos primeiros dez anos era ele quem escrevia os textos. "Depois eu senti que estava sendo repetitivo, aí fui mergulhar em textos de autores conhecidos, como Ariano Suassuna e Chico Buarque. Agora pretendo escrever meus textos, porque você consegue falar com mais propriedade sobre a sua região, a sua cidade, aprofundar mais na regionalidade".

Marcelo buscou a oficina de dramaturgia como forma de melhorar a qualidade técnica do seu trabalho. "Eu já conhecia o Jonathan, gosto do seu trabalho, isso me instigou a estar na oficina agora. Ele nos orienta a ter um olhar mais aprofundado do ser humano, das histórias que podemos extrair. No simples, tem coisa legal também no clichê, mas o mais legal é como se esquematiza a dramaturgia".

Jonathan Andrade, o ministrante da oficina é professor de teatro, poeta, ator, diretor, dramaturgo e cenógrafo, bacharel em Artes Cênicas, com habilitação em Interpretação Teatral, pela Universidade de Brasília. É integrante fundador do Sutil Ato, grupo teatral de pesquisa no qual realiza experimentações nos campos da atuação, da cenografia, da dramaturgia autoral e das poéticas narrativas. Em sua trajetória artística assinou a direção de diversos espetáculos. Foi vencedor de prêmios de dramaturgia com os textos "Terra de Vento" e "GuardAchuva" (Funarte) e "Entrepartidas" (Prêmio Sesc de Teatro Candango".

Serviço

Quem quiser conhecer um pouco do trabalho do dramaturgo brasiliense poderá conferir neste domingo, 17 de setembro, às 19h, no estacionamento do Centro Cultural José Octávio Guizzo, a apresentação do espetáculo "Tsunami", com o Grupo Sutil Ato, de Brasília. A peça tem classificação de 12 anos e duração aproximada de 70 minutos. A entrada é franca.


Deixe seu Comentário

Leia Também

QUARTA VÍTIMA
Idoso morre em Três Lagoas com suspeita de dengue
CALOUROS
Universidades públicas coíbem trotes em recepção de novos alunos
REGIÃO
Cão farejador ajuda polícia a apreender mais de 500kg de maconha
DOURADOS
Foragidos da justiça são capturados durante o final de semana
ECONOMIA
Gastos de brasileiros no exterior caem 5,4% em 2019, diz BC
CHUVA
Governo mineiro declara situação de emergência em 101 cidades
ESPORTE
Equipe sul-mato-grossense traz medalhas do 70º Intercolonial Brasileiro de Tênis de Mesa
HOLOCAUSTO
Descoberta de Auschwitz faz 75 anos
MS
Traficante capota caminhonete com 880 quilos de maconha
DOURADOS
Ação do Iman vai alertar população de mais de 50 bairros sobre a dengue

Mais Lidas

DOURADOS
Motociclista bate em caminhão da coleta de lixo e fica em estado gravíssimo
MS
Homem é acusado de colocar sedativo no leite para abusar de enteada
DOURADOS
Designação para escolas e Ceim’s acontece neste sábado
DOURADOS
Carros com som alto e na contramão levam Guarda a dois motoristas bêbados