Menu
Busca quarta, 20 de fevereiro de 2019
(67) 9860-3221
ARTIGO

Aposentadorias parlamentares, magras ou gordas?

01 junho 2015 - 19h15

MANOEL AFONSO

Três fatos inspiram o tema: o fator previdenciário, a polêmica envolvendo a aposentadoria do ex-governador Pedrossian relativa ao Estado Mato Grosso e a lista recém-divulgada de parlamentares de nosso Estado que recebem aposentadoria por força do exercício de mandato (s) no Congresso Nacional.

Vale reproduzir aqui – como ilustração - os dados do site Congresso em Fóco sobre os parlamentares beneficiários de MS. São eles: com R$13.167,60 – Valter Pereira e Saulo Queiróz; com R$8.778,39 – George Takimoto, Marilú Guimarães, Marcelo Miranda, Sergio Cruz, Walter de Castro e Waldir Guerra.

Evidente que no imaginário popular há indignação sobre as discrepâncias aviltantes em matéria de aposentaria, quando se compara o valor dos benefícios pagos ( aos pobres mortais) pelo INSS com as pagas pelas autarquias, sociedades de economia mista e poderes públicos em geral, onde as mágicas imorais ( mas legais) incham os ganhos.

É certo que só o fato de grande parte dos aposentados chamados de Marajás pelo ex- presidente Collor, esconderem os números reais de suas aposentadorias, já sucinta sérias dúvidas sobre os critérios ou mecanismos utilizados com tal fim. Aproveitaram as brechas das leis – criadas de encomenda – e se deram bem! Dane-se o resto.

Não tem sido diferente, por exemplo, na Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul. Grande parte dos ex-deputados não tem do que reclamar da generosidade dos critérios que funcionaram por muito tempo. Mas também lá o assunto é tratado com muita discrição. Jamais um ex-deputado foi visto exibindo o comprovante do valor de sua aposentadoria.

Há quem sustente a tese hilária de que se tivesse sido adotado o critério da produtividade para aferir o valor das aposentadorias parlamentares, certamente que suas ‘ ex-excelências’ estariam recebendo muito menos. Não foram poucos aqueles que apenas passaram pelo parlamento, sem uma contribuição marcante em prol de melhores dias da sociedade como um todo.

Mas enfim; o assunto está posto para a análise e conclusão do leitor – aposentado ou não. Claro que o tema é complexo, mas nunca é demais abordá-lo para demonstrar que nem todos da imprensa adotam o conformismo. Se esse é um país de todos, nada mais justo a garantia da velhice digna sem exceções.

De leve.

Deixe seu Comentário

Leia Também

POLÍCIA
Pistoleiros atacam suboficial na fronteira
DOURADOS
Mulher que encomendou morte de marido é transferida para presídio
THETAHEALING
Capital sedia curso sobre cura energética no final de semana
EM BRASÍLIA
Reforma da Previdência deve incluir interesses de estados e municípios, diz Reinaldo Azambuja
SUSTO
Cascavel é capturada em cômodo de casa na Capital; veja vídeo
DARUK
PF prende homem em operação contra pedofilia em MS
BRASIL
MEC vai rever texto da base de formação de professores
ASSEMBLEIA
Cota zero volta a ser debatida com sugestão de autorização para captura de jacarés
CAMPO GRANDE
Veneno em carne crua mata cinco animais na Capital
BRASIL
Gabaritos do Enade 2018 já estão disponíveis no site do Inep

Mais Lidas

CRIME EM 10 DE FEVEREIRO
Acusados de matar jovem a facadas em Dourados se apresentam à polícia
DOURADOS
"Lata de sardinha": universitários sofrem com ônibus lotados para chegar até Universidades
TRÁFICO
Trio é preso com mais de meia tonelada de cocaína
DOURADOS
Polícia busca imagens para chegar a motociclista que atropelou e matou criança