07/08/2017 6h33

Você sabe o que esta comendo? Aprenda como ler rótulos e entender informações nutricionais dos alimentos


Fernanda Viana
 

A correria do dia a dia, aliada à massiva oferta de produtos industrializados e fast food, tornou-se vilã da saúde do brasileiro, tornando-o cada vez mais adepto a produtos industrializados. Assim, cabe ao consumir a opção em entender sobre os rótulos, que é uma forma de comunicação entre os produtos e os consumidores.

Vejam algumas informações que sempre devem estar presentes nos rótulos e dicas importantes:

Lista de Ingredientes: Informa os ingredientes que compõem o produto. Lendo a lista o consumidor pode identificar a presença de termos, como açúcar, sacarose, glicose, ou outros tipos de açúcar, como a dextrose. Fique atento, pois a lista de ingredientes está em ordem decrescente, mostrando primeiro o que tem em maior quantidade e terminando com o que tem menor quantidade. Nessa lista pode-se identificar se o produto realmente é integral, tendo que conter a farinha integral como primeiro ingrediente.

Porção: É a quantidade média do alimento que deve ser usualmente consumida por pessoas sadias a cada vez que o alimento é consumido. É importante atentar-se na porção! O grande erro é avaliar o produto por esse quesito. Por exemplo, em um pacote de bolacha recheada, o consumidor analisa somente a quantidade de açúcar e gordura e não se atenta que aquela informação é para somente 30g do produto (cerca de duas unidades), talvez a porção de 3 bolachas não contenha gordura trans (na verdade contém, mas é uma quantidade mínima que não é considerada pela Anvisa), mas se a pessoa comer mais que uma porção, pode estar consumindo uma quantidade significativa de gordura trans.

Medida Caseira: Indica a medida normalmente utilizada pelo consumidor para medir alimentos. Por exemplo: fatias, unidades, pote, xícaras, copos, colheres de sopa. Esta informação ajuda o consumidor a entender melhor as informações nutricionais.

Gorduras Saturadas: Tipo de gordura presente em alimentos de origem animal. São exemplos: carnes, toucinho, pele de frango, queijos, leite integral, manteiga, requeijão, iogurte. O consumo desse tipo de gordura deve ser moderado porque, quando consumido em grandes quantidades, pode aumentar o risco de desenvolvimento de doenças do coração.

Gorduras Trans: Tipo de gordura encontrada em grandes quantidades em alimentos industrializados como as margarinas, biscoitos, sorvetes, produtos de panificação e alimentos fritos que utilizam as gorduras vegetais hidrogenadas na sua preparação. O consumo desse tipo de gordura deve ser muito reduzido, considerando que o nosso organismo não necessita desse tipo de gordura e ainda porque, quando consumido em grandes quantidades, pode aumentar o risco de desenvolvimento de doenças do coração. Não se deve consumir mais que 2 gramas de gordura trans por dia. O nome trans é devido ao tipo de ligações químicas que esse tipo de gordura apresenta. Fujam dele!

Fibra Alimentar: Está presente em diversos tipos de alimentos de origem vegetal, como frutas, hortaliças, feijões e alimentos integrais. A ingestão de fibras auxilia no funcionamento do intestino. Para verificar se um produto é realmente rico em fibras, opte por aqueles com mais de 3g de fibra alimentar por porção.

Sódio: Ele pode aparecer na embalagem como glutamato, ciclamato, caseinato, citrato e propionato, por exemplo. Deve ser consumido com moderação uma vez que o seu consumo excessivo pode levar ao aumento da pressão arterial. Evite os alimentos como os temperos prontos, salgadinhos e produtos em conserva. A ingestão de sódio recomendada pela OMS e pelo Ministério da Saúde é de 2g por dia - uma colher de chá.

No mais, saiba que aquele produto que tiver menos ingredientes, menos nomes que remetem a um produto químico e que não tenha o açúcar como primeiro ingrediente é um forte candidato para ser levado para casa, além disso não esqueça que a indústria alimentícia sabe muito bem como manipular o consumidor a confiar em produtos quase que milagrosos. Na verdade a orientação é desembale menos e descasque mais, pois nada substitui um bom prato de arroz e feijão ou frutas cortadas em casa e levadas na bolsa. Comida de verdade! Mas então o que eu como para facilitar minha correria do dia a dia? Procure um profissional nutricionista apto realmente a lhe orientar.

  • Especialização em Nutrição Esportiva, Terapia Nutricional, Nutrição Clínica e Fitoterapia - CRN3 27940. Escreve para o Dourados News. E-mail: contatonutrifernanda@gmail.com

Envie seu Comentário