Menu
Busca quarta, 21 de fevereiro de 2018
(67) 9860-3221
Bigolin
SAÚDE&ESTÉTICA

Tempo seco aumenta problemas respiratório como a rinite

11 setembro 2017 - 11h27

O tempo está seco, a umidade relativa do ar tem chegado a 22% e olha que o verão nem chegou de fato, porém os problemas de saúde já. Nesse tempo, os casos de rinite alérgica aumentam e muito. Além disso, aumenta também as crises de rinossinusite, popularmente conhecida como sinusite.

Como forma de prevenção, a dica é a lavagem nasal diária, recomendada mesmo para quem não sofre com o problema.

As crises virais mais leves não duram mais do que 10 dias. Já os bacterianos apresentam sintomas mais intensos e podem durar mais do que 14 dias, podendo ser necessários tratamento com antibióticos e cuidados nasais adicionais.

É importante esclarecer que a rinite não tem cura para a maioria dos casos, apenas controle. Ao contrário da sinusite, que apresenta cura na maior parte das vezes. O tratamento dos pacientes portadores de rinite alérgica é composto por três pilares principais: higiene ambiental, medicamentos e imunoterapia.

Higiene ambiental

A forma mais simples de se prevenir de crises de rinite alérgica é evitando o contato com a substância que desencadeia os sintomas. Isso nem sempre é tão fácil. Carpetes, cortinas, tapetes e bichos de pelúcia podem armazenar poeira e ácaros, e não devem fazer parte do quarto. Os ambientes da casa devem estar sempre bem ventilados e ensolarados. De preferência, a limpeza deve ser feita com pano úmido. Também devem ser evitados produtos de limpeza, tintas, perfumes, fumaça do cigarro e inseticidas.

Medicamentos

Anti-histamínicos (antialérgicos), descongestionantes nasais e corticosteróides são medicamentos usados para tratar uma crise rinite alérgica. Medicamentos à base de corticosteróides aplicados no nariz são prescritos para tratamento a longo prazo, e tem o objetivo de melhorar a respiração nasal e evitar ou amenizar as crises. Como todo medicamento pode apresentar efeitos colaterais e a dose varia individualmente, procure o médico para indicar o tratamento correto.

Imunoterapia

Vacinas antialérgicas também são uma opção para casos em que não houve melhora com as medicações e uma alternativa para casos em que não se pode evitar contato com o alérgeno. Ela está indicada se o teste cutâneo ou sanguíneo comprovar o alérgeno. Nesse tratamento, são aplicadas em injeções ou gotas sublinguais com quantidades controladas da substância para que o organismo deixe de ser hiperreativo a ela. O objetivo é que, no passar do tempo, as crises se reduzam e a pessoa consiga até suspender as medicações.




Deixe seu Comentário

Leia Também

BRASILEIRÃO
Novo e Corumbaense conhecem adversários na Série D
LOTERIA
Mega-Sena pode pagar prêmio de R$ 3 milhões nesta quarta-feira
MEIO AMBIENTE
Pecuarista é autuado em R$ 24 mil por desmatamento ilegal de vegetação
PRORROAÇÃO
Polícia Federal pede mais 60 dias para concluir investigação sobre Temer
RESIDENCIAL ROMA
Criança fica ferida ao cair de prédio em Dourados
POLÍTICA
Senado aprova decreto presidencial de intervenção no Rio de Janeiro
TRÊS LAGOAS
Mulher sequestra e agride ex por vingança, após fim de relacionamento
TEMPO
Quarta-feira de sol com algumas nuvens em Dourados; não chove
OUSADIA
Ex-BBB Mayra Cardi posa de topless na cama: "livre de alma"
PIAUÍ
Jovem morre enquanto usava celular ligado na tomada

Mais Lidas

FÁTIMA DO SUL
Bombeiros farão buscas por mulher que se recusou a entrar em casa
FRONTEIRA
Assaltante morre após trocar tiros com a polícia
DOURADOS
“Chorei muito, perdi o pouco que tinha”, diz pedreiro após incêndio em barraco
DOURADOS
Igreja é arrombada e ladrão leva eletrônicos equipamentos de som