Menu
Busca domingo, 25 de agosto de 2019
(67) 9860-3221
SAÚDE

Como a alimentação pode combater a ansiedade?

11 setembro 2017 - 06h45

Quando a ansiedade é excessiva traz prejuízos sociais e para a saúde, para lidar com esse mal existem diversos caminhos, um deles é a alimentação. Sabemos que a deficiência de alguns aminoácidos e micronutrientes prejudica a produção de neurotransmissores que podem causar modificações no humor e sono, e que os alimentos têm o poder de alterar os nossos estados emocionais.

Confiram quais: Leite, ovos e derivados magros: ótima fonte de um tipo de aminoácido, o triptofano, que alivia os sintomas de ansiedade, ele aumenta a produção de serotonina, o hormônio da felicidade, que é um neurotransmissor capaz de relaxar e dar sensação de bem-estar.

Banana: estudos comprovam que esta fruta ajuda no combate da depressão e alivia os sintomas da ansiedade. Graças ao alto teor de triptofano e vitaminas do complexo B a fruta contribui na produção de serotonina.

Grãos, cereais integrais e castanhas: ricos em vitaminas do complexo e magnésio, que atua nas funções cerebrais relacionadas à memória e cognição;

Vegetais verdes escuros (espinafre, almeirão, brócolis): fonte de ácido fólico, que é uma vitamina que quando está em baixas concentrações no organismo, pode diminuir os níveis cerebrais de serotonina.
Carnes e peixes: melhor fonte natural de triptofano, aminoácido que em conjunto com a vitamina B3 e o magnésio produzem serotonina, importante no processo do sono, do humor.

Chocolate amargo: rico em flavonóides, antioxidante que também favorece a produção de serotonina, neurotransmissor responsável pela sensação de bem-estar e que melhora o humor, reduzindo a sensação de ansiedade. O recomendado é de no máximo 30 gramas de chocolate por dia. E de preferência ao chocolate amargo.

Além dos alimentos recomendados, alguns hábitos saudáveis podem ajudar a combater a ansiedade como, começar o dia com um café da manhã equilibrado, evitando a hipoglicemia que costuma acontecer na metade da manhã, ocasionado o estresse, além de se alimentar em intervalos regulares, dormir suficiente (para produção de hormônios essenciais) e por fim praticar a atividade física, pois libera serotonina, o neurotransmissor responsável pelo bem estar!

Alimentos têm, sim, o poder de alterar os estados emocionais, mas que, sozinhos, fazem muito pouco. São coadjuvantes. Precisam estar combinados com exercícios físicos e um estilo de vida equilibrado.

Especialização em Nutrição Esportiva, Terapia Nutricional, Nutrição Clínica e Fitoterapia - CRN3 27940. Escreve para o Dourados News. E-mail: contatonutrifernanda@gmail.com*

Deixe seu Comentário

Leia Também

LAGUNA CARAPÃ
Homem é preso e comparsas fogem após transportar fardos de maconha em motos por 130 km
AJUDA INTERNACIONAL
Repasses alemães para projetos ambientais equivalem em 1 ano a 4 vezes o orçamento do Ibama
TRÂNSITO
Idosa capota veículo em acidente na Capital
CAMPO GRANDE
Homem furta caminhão carregado de grama em viveiro de mudas
RIO BRILHANTE
Família encontra mulher morta após vítima passar mal durante a noite
FUTEBOL
Brasileirão promete fortes emoções neste domingo; confira os jogos
LUTO
Atriz e escritora Fernanda Young morre aos 49 anos
CAMPO GRANDE
Incêndio atinge 200 metros de mato em área ao lado do aterro sanitário
RURAL
País desenvolve tecnologia para lavouras mais resistentes ao calor
TRÊS LAGOAS
Carro dos Correios é furtado em MS enquanto motorista entregava provas do Encceja

Mais Lidas

DOURADOS
Mulher tem dedo amputado após empilhadeira a atingir enquanto fazia compras
DOURADOS
Após “falsa corrida”, motorista de aplicativo tem carro levado por bandido que se envolve em acidente e é preso
HOSPITAL DA VIDA
Órgãos de jovem que morreu em acidente são captados e levados para quatro cidades
POLÍCIA
Mulheres são presas por tráfico em Dourados