Menu
Busca segunda, 19 de agosto de 2019
(67) 9860-3221
SAÚDE

Saiba o que é esquistossomose

23 janeiro 2019 - 10h40Por Da redação

Conhecida como uma doença prevalente em áreas tropicais e subtropicais, a esquistossomose afeta milhões de pessoas em todo o mundo. Popularmente conhecida como "barriga d'água, xistose ou doença do caramujo, a esquistossomose atinge principalmente comunidades carentes, sem acesso a água potável e sem o saneamento adequado. Se não for tratada adequadamente, a esquistossomose pode evoluir e provocar complicações graves, levando à morte.

De acordo com a coordenadora-geral substituta de Doenças em eliminação do Ministério da Saúde, Jean Marie Marcelino, a esquistossomose está relacionada diretamente com certos hábitos de vida. “É uma doença relacionada com a falta de saneamento básico e uso da água doce para lazer ou para trabalho, como pescadores e mulheres que lavam louças na beira do rio”, esclarece.

A principal forma de ser infectado pelos vermes causadores da esquistossomose é entrando em contato com água doce contaminada. Uma vez dentro do organismo, os vermes vivem nas veias de drenagem do trato urinário, dos intestinos e do fígado da pessoa.

Como acontece a transmissão

No Brasil, a doença parasitária é causada pelo verme Trematódeo Schistosoma Mansoni. Ele tem a espécie humana como hospedeiro definitivo e os caramujos de água doce, do gênero Biomphalaria, como hospedeiros intermediários.

Pessoas contaminadas podem liberar ovos do parasita em suas fezes e urina. Quando estas são depositadas em rios, córregos e outros ambientes de água doce ou quando chegam até estes locais pelas enxurradas, pode acontecer a contaminação através da pele. O verme é capaz de penetrar na pele de pessoas que pisam descalças, nadam, tomam banho ou simplesmente lavam roupas e objetos na água infectada.

Marcelino explica que, no Brasil, a principal região com áreas de transmissão é o Nordeste. Mas outros estados também possuem casos da doença. “Destacamos que os estados que possuem maior número de transmissões são Alagoas, Bahia, Pernambuco e Sergipe. Além deles, podemos destacar o Rio Grande do Norte, Paraíba, Maranhão, Minas Gerais e Espirito Santo. Também existem pequenas áreas de transmissão no Ceará e no Pará. A indicação é que quando uma pessoa visite esses estados tenha muita atenção para o banho em águas doces com correnteza leve, pequenos rios e riachos”, alerta.

Sintomas da esquistossomose

A fase inicial da esquistossomose é caracterizada principalmente por erupções na pele no local da infecção com vermelhidão, inchaço e coceira. Além disso, a pessoa infectada por esquistossomose também pode apresentar outros sintomas, como febre, dor na cabeça, calafrios, suores, fraqueza, falta de apetite, dor muscular, tosse, diarreia e sangue na urina. Em alguns casos, o fígado e o baço podem inflamar e aumentar de tamanho.

Porém, a coordenadora explica que, na maioria dos casos, as pessoas infectadas não sentem sintomas da doença. “A maioria dos portadores do parasita não apresentam sinais da doença, são assintomáticos. É uma doença bastante silenciosa, o que a torna perigosa”, disse.

Quando os sintomas surgem, o tempo de aparecimento dos primeiros sinais é de duas a seis semanas, a partir da infecção. Além disso, a doença pode se tornar crônica. “Se a pessoa contraiu a doença e durou muito tempo ou se ela vive em uma área endêmica e está sempre se reinfectando, ela pode desenvolver uma forma crônica da doença”, explica Marcelino.

Na forma crônica da doença, a diarreia se torna mais constante, alternando-se com prisão de ventre, e pode aparecer sangue nas fezes. Além disso, a pessoa pode ter outros sintomas, como tonturas, dor na cabeça, sensação de plenitude gástrica, coceira anal, palpitações, impotência, emagrecimento, endurecimento e aumento do fígado.
Em casos graves, pode provocar câncer da bexiga. Nos casos mais graves, o estado geral do paciente piora bastante, com emagrecimento, fraqueza acentuada e aumento do volume do abdômen, conhecido popularmente como barriga d’água.

Tratamento

Uma pessoa infectada terá ovos do parasita nos tecidos do corpo humano e a reação do organismo a eles pode causar grandes danos à saúde. Por isso, é importante que o tratamento seja iniciado o quanto antes.

O tratamento da esquistossomose, para os casos simples, é domiciliar, ou seja, feito em casa por meio de medicamentos específicos receitados pelo médico. Os casos graves geralmente requerem internação hospitalar e até mesmo tratamento cirúrgico, conforme cada situação.

O tratamento é oferecido de forma integral e gratuita por meio do Sistema Único de Saúde (SUS). Em caso de suspeita de infecção, procure a Unidade de Saúde mais próxima para os cuidados necessários.

Deixe seu Comentário

Leia Também

LEGISLATIVO
Revogadas três leis para consolidação da Legislação Estadual
BRASIL
Operação apreende 1,5 milhão de carteiras de cigarros contrabandeadas
DOURADOS
Em ato de filiação ao PSL, reitora temporária diz não ter prazo para deixar comando da UFGD
CORUMBÁ
Ossada de homem desaparecido há um ano é encontrada
PERIGO
Homem escapa de tragédia em Dourados ao conseguir parar moto após avistar "linha chilena"
CAMPINA VERDE
Sem transporte escolar, pais de alunos fecham rodovia em Dourados
BENEFÍCIO
Caixa e BB iniciam pagamento de cotas do PIS/Pasep
RIO BRILHANTE
Homem morre após capotar veículo em prolongamento de avenida
MARACAJU
Colisão em muro de residência mata motociclista
DOURADOS
Na ExpoMundi, pedrarias do mundo inteiro carregam beleza, energia e misticismo

Mais Lidas

DOURADOS
Homem tem residência visitada por bandido e carro furtado
POLÍCIA
Homem é executado por pistoleiros em Ponta Porã
ACIDENTE
Carro na contramão bate em van da banda Sampa Crew e deixa 1 morto e vários feridos
DOURADOS
Polícia investiga causas de acidente com morte na BR-163