Menu
Busca quinta, 16 de agosto de 2018
(67) 9860-3221
SAÚDE DA PELE

Saiba o que é a Hanseníase e como tratá-la

14 fevereiro 2018 - 10h26Por Guilherme Pires

O Dourados News trata hoje (14), no caderno Saúde&Estética, sobre uma doença pouca falada e infelizmente, desconhecida por muitos. A Hanseníase. Você sabe o que é? Já ouviu falar sobre? Conhece alguém que tem ou já teve? 

O que é?

Hanseníase é uma doença infectocontagiosa que atinge os nervos periféricos e pele, podendo acometer outros órgãos. Se não diagnosticada e tratada no início, a doença pode levar à incapacidade física.

Sintomas

Os sintomas são manchas esbranquiçadas, avermelhadas ou amarronzadas em qualquer parte do corpo, com diminuição ou perda da sensibilidade ao calor, à dor e ao tato. A áreas afetada tem diminuição dos pelos e do suor.

Em alguns casos, há o surgimento de caroços e inchaços no corpo, diminuição da sensibilidade e ou da força muscular de olhos, mãos e pés. Dor e sensação de choque, fisgadas e agulhadas ao longo dos nervos dos braços, mãos, pernas e pés, também são alguns dos sintomas.

Transmissão

Apenas as pessoas doentes, que não estão em tratamento, transmitem a hanseníase. A transmissão ocorre pelas vias aéreas superiores como tosse ou espirro, e é transmitida de pessoa para pessoa.

Tratamento e Cura

A doença tem cura e seu tratamento é gratuito, realizado pelo SUS (Sistema Único de Saúde). É feito por via oral, com uma associação de três antibióticos. Os medicamentos são seguros e eficazes. Porém o paciente deve tomar a primeira dose mensal supervisionada pelo profissional de saúde. As demais são autoadministradas. 

Já no início do tratamento, a doença deixa de ser transmitida. Família e amigos, além de apoiar, também devem ser examinados.

Dados

O Ministério da Saúde divulgou em janeiro do ano passado, que o número de pessoas com Hanseníase no Brasil nos últimos anos, teve uma redução de 34,1%, passando de 43.652, em 2006, para 28.761 em 2015.

A redução está associada à queda de 39,7% da taxa de detecção geral do País, que passou de 23,37 por 100 mil habitantes, em 2006, para 14,07/100 mil habitantes em 2015.

Os dados são resultados das ações implantadas no País para o enfrentamento da doença, com foco na busca ativa de casos novos para o diagnóstico na fase inicial; tratamento oportuno e cura, bem como a prevenção de incapacidades e deformidades físicas, principal causa do estigma e preconceito associados à doença.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

FLAGRANTE
Polícia prende em Corumbá foragido da Justiça do Maranhão
ELEIÇÕES 2018
TSE nega participação de Lula em debate na TV amanhã
ESPECIALIZAÇÃO
IFMS abre matrícula para especialização em Docência para Educação Profissional
ENSINO SUPERIOR
Estudantes que vão concluir graduação já podem se cadastrar no Enade 2018
REAJUSTE SALARIAL
Frentistas de MS tentam reajuste salarial desde 1º de março
COTAÇÕES
Dólar tem leve alta e volta ao patamar de R$ 3,90 com incerteza eleitoral
VÁRIOS ROUBOS
Acusados por pelo menos 10 assaltos são presos em Dourados
AUTOMOBILISMO
Stock Car promete agitar a Capital no final de semana
CONTRABANDO
Carretas que saíram de Dourados com cigarros são apreendidas no interior de SP
DOURADOS/ITAPORÃ
Estado terá que compensar índios por duplicação da MS-156

Mais Lidas

DOURADOS
Homem é encontrado morto dentro de veículo estacionado em acostamento
JARDIM SÃO PEDRO
Padre é trancado no quarto, espancado e tem pertences levados em Dourados
DOURADOS
Bebê de oito meses é internado no HU e polícia investiga suspeita de agressão
DOURADOS
Criança possuía lesões na cabeça e pescoço e polícia investiga o caso