Menu
Busca domingo, 17 de fevereiro de 2019
(67) 9860-3221
MINAS GERAIS

Tricentenária, Ouro Preto guarda lembranças da história e tem vida cultural agitada

06 julho 2015 - 15h45

Eleita Patrimônio Cultural da Humanidade pela Unesco, Ouro Preto é, para muitos, a grande joia das cidades históricas brasileiras. Não há, no centro antigo do município, uma única rua, ladeira ou edifício que não guarde lembranças de alguns dos mais importantes episódios da história do País.

A cidade nasceu quando, sob a febre do ouro, no final do século 17, bandeirantes encontraram enormes reservas do nobre metal no Vale do Tripuí, sudeste de Minas Gerais. Os casebres e capelas que serviam à moradia e devoção dos exploradores, porém, logo dariam lugar a um dos principais centros urbanos e religiosos da colônia: Ouro Preto, em meados do século 18, então chamada de Vila Rica, chegou a abrigar quase 40 mil pessoas (população que, à época, era maior que muitas cidades da Europa), todas seguramente interessadas no tesouro.

Tal riqueza motivou a Guerra dos Emboabas (que, entre 1707 e 1709, opôs bandeirantes e portugueses pelo domínio das reservas auríferas da área) e a construção do que ainda hoje é um dos principais conjuntos arquitetônicos do país: em Ouro Preto há pelo menos dez igrejas que representam o ápice do barroco mineiro. Todas elas exibem obras de grandes gênios da arte — como Manuel Francisco Lisboa, Antônio Francisco Lisboa (Aleijadinho), Manuel da Costa Ataíde e Francisco Xavier de Brito.

Ouro Preto também foi cenário da Inconfidência Mineira. Hoje, entre sua dezena de museus, o visitante pode conhecer as casas de Tomás Antônio Gonzaga e Cláudio Manoel da Costa (famosos poetas e líderes da conjuração), além do Museu da Inconfidência, instalado na antiga Casa da Câmara mineira, e que guarda importantes testemunhos do episódio — como os restos mortais dos inconfidentes.

O passado mineiro da região, por sua vez, ainda se faz presente em toda a cidade. Acredita-se que existam cerca de duas mil bocas de mina abertas dentro de Ouro Preto. Algumas delas, como a Mina do Chico Rei, embora exauridas, estão abertas para os turistas.

Vale lembrar que as ruas que separam todas essas atrações são extremamente íngremes e que o visitante irá passar boa parte do dia subindo ou descendo ladeiras.

Apesar de tricentenária, Ouro Preto está longe de ser um lugar “careta”. A cidade tem vida noturna agitada. Das procissões religiosas ao profano carnaval, as festas populares de Ouro Preto estão entre as mais animadas do país – o que deixa a cidade ainda mais imperdível.

Deixe seu Comentário

Leia Também

ECONOMIA
Ao menos 14 órgãos abrem inscrições para preencher quase mil vagas
EMPRÉSTIMO
Sem regra rígida para consignado, bancos mantêm assédio a idosos
CAMPO GRANDE
Advogado é preso por intimidar policiais durante fiscalização
POLÍCIA
Para defender a mãe de agressão, adolescente mata padrasto a tiros
CONCURSO
IFMS encerra inscrições para seleção de professores substitutos
TRÊS LAGOAS
Mulher morre ao dar entrada em hospital com dengue dos tipos B e C
BRASIL
MEC quer saber quantas adolescentes em idade escolar engravidaram
CAMPO GRANDE
Policial municipal embriagado é preso após atirar em frente conveniência
SHOWBIZZ
Debora Nascimento e José Loreto se separam após 6 anos
PROBLEMAS FINANCEIRO
Endividado, Emerson Fittipaldi tem contas bloqueadas por Justiça

Mais Lidas

TRÂNSITO
Vídeo mostra acidente que matou duas pessoas em Dourados
TRÂNSITO QUE MATA
Dois morrem em colisão frontal em Dourados
DOURADOS
Jovem morre após troca de tiros com a polícia no Água Boa
JARDIM COLIBRI
Homem é executado na frente da mulher em Dourados