Menu
Busca segunda, 21 de janeiro de 2019
(67) 9860-3221
FIQUE ATENTO

Quedas em idosos: um problema de saúde pública

26 dezembro 2018 - 11h12Por Da redação

Independentemente da idade, todas as pessoas correm o risco de cair. Porém, para a pessoa idosa, uma queda pode representar um problema grave, levando inclusive a limitações funcionais que antes não existiam. Assim, um idoso que era ativo passa a depender de cuidados de outras pessoas.

Entre as consequências das quedas, a fratura de fêmur é uma das mais graves nas pessoas acima de 60 anos. Por ser o maior osso do corpo humano, esse rompimento pode causar perda da funcionalidade e aumento da mortalidade na população idosa.

São várias as causas relacionadas a quedas. Há fatores próprios da pessoa, como a perda da massa muscular, e questões do ambiente, como uma calçada quebrada ou um tapete solto.

O consultor técnico da Coordenação de Saúde da Pessoa Idosa do Ministério da Saúde Wendel Pimentel explica que a prevenção deve envolver gestores públicos, profissionais de saúde e a população.

“A prevalência de quedas é alta e os fatores associados são multidimensionais. Ou seja, são problemas relacionados à saúde dos idosos ou a questões ambientais, o que nos mostra a importância da realização de ações de prevenção que vão além do setor da saúde. É preciso entender que as quedas em pessoas idosas não são uma situação normal. Ao contrário, elas podem sinalizar que algo não está bem na saúde dos idosos, ou no ambiente em que eles vivem. Por isso, é importante à atenção por parte de gestores, profissionais de saúde, familiares, pessoas idosas e sociedade em geral, para o assunto”, alerta.

Fatores associados

Um dos responsáveis pelo Estudo Longitudinal da Saúde dos Idosos Brasileiros (ELSI-Brasil), que analisou a prevalência e os fatores associados a quedas entre idosos brasileiros em áreas urbanas, Pimentel ressalta que os resultados encontrados são preocupantes. O ELSI-Brasil mostrou que entre 4.174 idosos 25% já tiveram uma queda. A maior ocorrência foi em mulheres a partir dos 75 anos. O estudo foi financiado pelos ministérios da Saúde e da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicação,

De acordo com o estudo, os principais fatores associados a quedas, além do aumento da idade e do gênero, são:

- Medo de cair devido a defeitos nos passeios; 
- Medo de atravessar a rua;
- Artrite ou reumatismo;
- Depressão; 
- Diabetes.

Pimentel esclarece que os fatores associados a queda de uma pessoa idosa devem ser observados com cuidado. “No caso da diabetes, complicações como a diminuição da visão podem levar os idosos a diminuir suas atividades e aumentar as chances de cair. Outro fato curioso é a maior ocorrência de quedas entres aqueles que relataram medo de cair por defeitos nos passeios e medo de atravessar a rua. Por isso, a importância da integralidade no planejamento de medidas preventivas, que verifique, além de questões ambientais, também problemas relacionados à saúde das pessoas idosas”, esclarece.

Como prevenir quedas
Para evitar quedas, a pessoa idosa deve adotar cuidados com a própria saúde, como praticar atividade física de fortalecimento muscular e equilíbrio e fazer um acompanhamento regular da saúde integral da pessoa idosa, para identificar problemas relacionados, como diabetes e outros fatores associados.

Para evitar quedas em casa, a Caderneta de Saúde da Pessoa Idosa lista 11 medidas de prevenção de quedas:

1. Evitar tapetes soltos
2. Escadas e corredores devem ter corrimão nos dois lados
3. Usar sapatos fechados com solado de borracha
4. Colocar tapete antiderrapante no banheiro
5. Evitar andar em áreas com piso úmido
6. Evitar encerar a casa
7. Evitar móveis e objetos espalhados pela casa
8. Deixar uma luz acesa à noite, para o caso de precisar se levantar
9. Esperar que o ônibus pare completamente para você subir ou descer
10. Utilizar sempre a faixa de pedestre
11. Se necessário, usar bengalas, muletas ou outros instrumentos de apoio.

A Caderneta de Saúde da Pessoa Idosa orienta uma maior atenção à segurança dentro de casa. A maioria das quedas que ocasionam incapacidade permanente ocorre dentro de casa. A caderneta explica como identificar o risco de queda, as consequências para a saúde do idoso e orienta para a prevenção, com ilustrações.

Deixe seu Comentário

Leia Também

POLÍTICA
Tereza Cristina demite ouvidor do Incra ligado ao PT
RODOVIA
Motorista que causou acidente com 3 mortes cometeu suicídio, diz PRF
EMPREGO
Funtrab tem mil oportunidades de emprego para trabalhadores da cultura da maçã
ENSINO
Faculdades do Senai da Capital e Dourados encerram dia 8 as inscrições do vestibular para 7 cursos superiores
FUTEBOL
Operário vence o Corumbaense por 2x0 na estreia do Campeonato Estadual
DOURADOS
Município troca interino na Secretaria de Obras Públicas
TV
Globo hostiliza jornalismo da Record e insinua parcialidade com Jair Bolsonaro
BALANÇO
Metade das prefeituras gastam menos de R$ 403 ao ano na saúde
CAMPO GRANDE
Três pessoas ficam feridas após atropelamento na Capital
SAÚDE
Grávidas que respiram ar poluído têm maior risco de aborto espontâneo, diz estudo

Mais Lidas

IVINHEMA
Assaltante é morto após invadir chácara, sequestrar duas vítimas e tentar roubar carros
FRONTEIRA
Jogador de futebol, ‘Alicate’ é executado com 26 tiros de fuzil
MONTE LÍBANO
Homem é preso acusado de tráfico de drogas por atacado
PARQUE DO LAGO
Casal é preso por promover festa para adolescentes com bebida alcoólica