Menu
Busca Quarta, 13 de Dezembro de 2017
(67) 9860-3221
Corpal - Dezembro 2017
SAÚDE&ESTÉTICA

Pesquisadores desenvolvem 'vacina inteligente' contra a pneumonia

24 Outubro 2017 - 10h40Por Da redação

Uma nova vacina em desenvolvimento contra a pneumonia pode ser o mais duro golpe contra a doença, segundo estudo publicado na última sexta-feira (20), na "Science Advances". De acordo com os pesquisadores, trata-se da mais abrangente cobertura contra a doença até hoje. O imunizante inclui cepas adicionais da bactéria causadora e até antecipa versões futuras.

A vacina testada deflagrou resposta imunológica contra 72 formas da bactéria penumoniae em testes realizados em ratos e coelhos. Ainda, a vacina é inteligente e foi desenhada de modo a ter duas vantagens: produz uma boa resposta imune e só mata bactérias prestes a atacar.

Programas de melhor nutrição e melhor acesso a antibióticos já tiveram impacto na diminuição no número de casos de pneumonia no mundo, segundo dados da Organização Mundial da Saúde, a pneumonia matou mais de 2 milhões de crianças em todo o mundo em 2004; e, em 2015, o número foi inferior a 1 milhão. No entanto, acreditam os autores, para se ter mais avanços, são necessários imunizantes mais eficientes.

O estudo teve como primeiro autor Charles H. Jones, da University at Buffalo. Outros nove cientistas assinam o trabalho. Todos eles estão alifiados a universidades norte-americanas.

Como funciona a nova vacina

Há três vacinas principais hoje no mercado contra a pneumonia: a Prevnar, a Synflorix e a Pneumovax 23. As duas primeiras utilizam uma ligação química covalente que, apesar de apresentar altas taxas de resposta, matam todas as bactérias-alvo. Já a terceira, não tem a mesma ligação química, mas tem menor resposta imune.

O que os cientistas fizeram foi "envelopar" açúcares capazes de identificar a bactéria a um tipo de engenharia que prescinde da ligação covalente. O essencial para a tecnologia foi um uso de um "lipossoma" -- um tipo de bolsa feita de gordura que serve como um reservatório para esses açúcares.

Nos resultados, os pesquisadores identificaram que a vacina é capaz de deflagrar uma forte resposta imunológica comparável ao Prevnar -- e, além disso, seu design permite com que seu efeito seja mais seletivo: não há uma 'varredura' de todas os patógenos indiscriminadamente.

Vacina mais inteligente

Além da maior cobertura, a diferença da vacina desenvolvida pelos pesquisadores das atuais é que ela faz com que o sistema imune só "ataque" a bactéria quando ela sai da colônia que está e provoca uma doença.

Isso é fundamental por dois motivos: 1) algumas bactérias são benéficas para o organismo e são importantes para manter a boa saúde; 2) a morte indiscriminada de bactérias pode contribuir para o fenômeno da resistência bacteriana -- quando esses patógenos não mais respondem aos medicamentos existentes.

Deixe seu Comentário

Leia Também

PALESTRA
Servidores participam de palestra com foco no atendimento público
BRASIL
Congresso mantém veto a armas para agentes de trânsito
CONCERTO
Orquestra UFGD e Geraldo Espíndola homenageiam os 40 anos de MS
BR-262
Veículo de luxo roubado é recuperado a caminho da fronteira com a Bolívia
MATO GROSSO DO SUL
Lei Anticorrupção: Entenda o que muda para as empresas com a regulamentação da norma
TRAGÉDIA
Família é encontrada morta após queda de avião no Mato Grosso
VERÃO
Verão e as pragas urbanas: saiba como evitá-las
POLICIAMENTO REFORÇADO
Dourados terá mais de 190 policiais nas ruas para o final de ano
COMER BEM
Steak Tartare de filé mignon
CONCURSO
Convocados 1.038 candidatos ao cargo de Agente de Polícia para teste físico

Mais Lidas

CAMPO GRANDE
Identificada motorista que morreu após acidente na BR-163
BR-463
Douradense é preso com maconha após luta corporal com policial
DOURADOS
Família é presa com mais de R$ 18 mil falsos na BR 463
RENAIS CRÔNICOS
Falta de transporte a pacientes renais gera protesto em Dourados