Menu
Busca quarta, 21 de fevereiro de 2018
(67) 9860-3221
Bigolin
SAÚDE&ESTÉTICA

Pesquisadores desenvolvem 'vacina inteligente' contra a pneumonia

24 outubro 2017 - 10h40Por Da redação

Uma nova vacina em desenvolvimento contra a pneumonia pode ser o mais duro golpe contra a doença, segundo estudo publicado na última sexta-feira (20), na "Science Advances". De acordo com os pesquisadores, trata-se da mais abrangente cobertura contra a doença até hoje. O imunizante inclui cepas adicionais da bactéria causadora e até antecipa versões futuras.

A vacina testada deflagrou resposta imunológica contra 72 formas da bactéria penumoniae em testes realizados em ratos e coelhos. Ainda, a vacina é inteligente e foi desenhada de modo a ter duas vantagens: produz uma boa resposta imune e só mata bactérias prestes a atacar.

Programas de melhor nutrição e melhor acesso a antibióticos já tiveram impacto na diminuição no número de casos de pneumonia no mundo, segundo dados da Organização Mundial da Saúde, a pneumonia matou mais de 2 milhões de crianças em todo o mundo em 2004; e, em 2015, o número foi inferior a 1 milhão. No entanto, acreditam os autores, para se ter mais avanços, são necessários imunizantes mais eficientes.

O estudo teve como primeiro autor Charles H. Jones, da University at Buffalo. Outros nove cientistas assinam o trabalho. Todos eles estão alifiados a universidades norte-americanas.

Como funciona a nova vacina

Há três vacinas principais hoje no mercado contra a pneumonia: a Prevnar, a Synflorix e a Pneumovax 23. As duas primeiras utilizam uma ligação química covalente que, apesar de apresentar altas taxas de resposta, matam todas as bactérias-alvo. Já a terceira, não tem a mesma ligação química, mas tem menor resposta imune.

O que os cientistas fizeram foi "envelopar" açúcares capazes de identificar a bactéria a um tipo de engenharia que prescinde da ligação covalente. O essencial para a tecnologia foi um uso de um "lipossoma" -- um tipo de bolsa feita de gordura que serve como um reservatório para esses açúcares.

Nos resultados, os pesquisadores identificaram que a vacina é capaz de deflagrar uma forte resposta imunológica comparável ao Prevnar -- e, além disso, seu design permite com que seu efeito seja mais seletivo: não há uma 'varredura' de todas os patógenos indiscriminadamente.

Vacina mais inteligente

Além da maior cobertura, a diferença da vacina desenvolvida pelos pesquisadores das atuais é que ela faz com que o sistema imune só "ataque" a bactéria quando ela sai da colônia que está e provoca uma doença.

Isso é fundamental por dois motivos: 1) algumas bactérias são benéficas para o organismo e são importantes para manter a boa saúde; 2) a morte indiscriminada de bactérias pode contribuir para o fenômeno da resistência bacteriana -- quando esses patógenos não mais respondem aos medicamentos existentes.

Deixe seu Comentário

Leia Também

WORKSHOP
Avanços na indústria do biodiesel será tema no ISI Biomassa
DOURADOS
Idosa perde R$ 9 mil em golpe do bilhete premiado
FAMOSOS
Ivete Sangalo reúne família em foto com as gêmeas
LOTERIA
Ganhador do maior prêmio da Mega-Sena pago este ano já resgatou o dinheiro
ECONOMIA
Estado mantém tendência de melhora com abertura de 445 empresas em janeiro
DOURADOS
Acompanhamento nutricional em pacientes oncológicos é tema de Aula Magna na Unigran
DOURADOS
MPE apura falta de pediatras de plantão em hospitais particulares
DOURADOS
Gaeco cumpre mandados em nova ação contra o tráfico
REPERCUSSÃO
Presidente da Fiems diz que governo adia problema ao retirar Reforma da Previdência de pauta
COPA VERDE
No MT, Corumbaense tenta reverter confronto contra Luverdense

Mais Lidas

FÁTIMA DO SUL
Bombeiros farão buscas por mulher que se recusou a entrar em casa
FRONTEIRA
Assaltante morre após trocar tiros com a polícia
DOURADOS
“Chorei muito, perdi o pouco que tinha”, diz pedreiro após incêndio em barraco
RESIDENCIAL ROMA
Criança fica ferida ao cair de prédio em Dourados