Menu
Busca terça, 19 de junho de 2018
(67) 9860-3221
NOROESTE GAÚCHO

No Noroeste gaúcho turistas realizam passeio ao lado de duas atrações peculiares

06 dezembro 2017 - 10h16Por Gaúcha ZH

O mês de dezembro começou e muita gente já planeja os passeios dos fins de semana de verão e férias. A quem ainda está em dúvida para onde ir, a dica hoje é uma viagem por duas cidades da região Noroeste gaúcho, famosas por atrações bem peculiares.

Saindo de Porto Alegre, você vai rodar de carro por mais de seis horas, em um trajeto que começa na BR-448 e passa por sete rodovias até chegar à BR-285. Depois, é só pegar a RS-344 e viajar mais um pouco pela BR-392. Um pórtico de madeira dá as boas-vindas a São Pedro do Butiá, de onde o trajeto continua por uma estrada de chão por mais oito quilômetros.

Placas indicam o caminho até o Sítio das Capivaras, parque de 25 hectares que abriga 40 desses animais, a entrada é R$ 15 por carro. O visitante pode dar comida direto na boca dos bichos, como milho, eles não recusam nunca. O proprietário do sítio, Pedro Lutwig, cuida dos mamíferos roedores como se fossem da família, mas ele conta que nem sempre foi assim.

“Não foi fácil. Nos primeiros contatos, eu chegava a cem metros, e elas já saltavam na água. Fui chamando, chamando. Sentei em frente delas, vieram comer. Aí, cada dia ficavam mais perto”, disse.

Essa relação deu tão certo que, hoje, as capivaras domesticadas conquistam turistas que viajam até da Argentina para vê-las. Mansas, basta um pouco de carinho para dormirem. 

Saindo do sítio, o próximo destino é a Vila Dona Otília, no interior do município de Roque Gonzales. A parada é em uma casa rodeada por flores e pássaros, onde fica o Porão do Queijo Suíço. O lugar tem cinco tipos de queijos suíços produzidos ali há 17 anos.

“Eu aprendi na Suíça, onde fiquei 10 anos trabalhando no ramo de queijo e iogurte. É um produto diferenciado, de qualidade. A pessoa que vem uma vez volta”, diz o proprietário, Milton Neubüser.

A produção se dá em uma pequena sala da casa, em um período de três dias. O produto leva um toque especial: o leite das vacas criadas por eles mesmos. Depois, o queijo vai para a sala de maturação, onde é guardado em câmaras frias a uma temperatura de 15°C. Alguns chegam a ficar 90 dias ali. 

Banho de rio

Outra atração da região é o Rio Ijuí, com 300 quilômetros de extensão e muitas belezas para quem quer relaxar. Nele, há um lago que se formou seis anos atrás, depois da construção da barragem Passo São João, onde é possível passear de barco ou tomar banho em uma faixa demarcada por boias. No local, chamado de Balneário do Juca, placas orientam os banhistas, em época de veraneio, há salva-vidas. 

Às margens da RS-168, dá para ver nove casas de tijolo à vista, parte da pousada do balneário. As menores, para quatro pessoas, têm cozinha, sala, quarto e banheiro, com diária a R$ 100. Já as maiores, para até seis pessoas, com dois pisos, custam R$ 200 por noite.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

SHOWBIZ
Mulher de Taison chama atenção ao renovar bronze em praia da Rússia
CONCORRÊNCIA
Senado aprova projeto que autoriza venda direta de etanol a postos
UFGD
Ex-ministro dos Direitos Humanos faz palestra dia 26 em Dourados
TRÊS LAGOAS
Homem é preso acusado de sequestrar secretária para roubar caminhonete
EDUCAÇÃO
UEMS abre inscrições para exames de proficiência em língua estrangeira
VÍNCULO AFETIVO
STJ garante direito de visita a animais de estimação após separação
CONCURSO
Comarca de Bonito selecionará estagiários de Administração
JUSTIÇA
Homem é condenado por fraudar assinatura da ex-mulher em cheques
FUTEBOL
Alberto Valentim deixa o Botafogo para dirigir time do Oriente Médio
ABIGEATO
Propriedades rurais são alvo de ladrões de gado em Nova Andradina

Mais Lidas

PARANHOS
Testemunha de atentado a prefeito é executada
DOURADOS
Dupla é presa por tentativa de homicídio contra vendedor de espetinhos
PARANHOS
Calote em venda de fazenda teria motivado atentado a prefeito
ÁGATA DE AÇO II
Brigada de Dourados desloca 600 homens para atuar contra crimes fronteiriços