Menu
Busca Sexta, 19 de Janeiro de 2018
(67) 9860-3221
Escola Sesc - Janeiro 2018

Leia, Tempo ao Tempo, por Adilson Luiz Gonçalves

27 Dezembro 2012 - 11h56


Tanto já se falou sobre o tempo, que às vezes parece perda de tempo falar sobre ele.

Velho, mais de guerra do que de paz, ele não envelhece, embora muitos vivam a anunciar seu fim, de tempos em tempos.

Paradoxalmente, apesar de infinito, ele não envelhece, permanecendo ao mesmo tempo protagonista e espectador de nossas alegrias e aflições. Mais que isso, ele é nosso principal credor, pois nos empresta uma mínima fração de si próprio, para nos cobrar o que fazemos dela, por toda a vida.

Tempo...

Tem gente que diz que ele vale ouro, enquanto outros o desperdiçam. Tem gente que só lembra dele quando parece ser tarde demais, para, então, se agarrar a ele sem medidas, sem limites.

Mas, quando é cedo? Quando é tarde? Quando é o tempo “exato”?

Falam que quando nascemos já tem início nossa contagem regressiva...

De fato, um tempo nos é dado, incerto, parte dele sob nossa responsabilidade e o restante pela imponderabilidade do semelhante, dos elementos... A partir de então, o tempo passa a nos ser tomado, inexoravelmente, como areia que se tenta conter entre as mãos, mas que sempre encontra por onde escoar.

Tempo relativo: medido pelos ciclos da Lua, pelos giros em torno do Sol. Tempo analógico, digital, atômico... Tempo cujos efêmeros anos da vida humana são contados por grãos de areia que têm bilhões de anos. Areia que já foi rocha e que um dia poderá voltar a ser.

Sim, a areia já fez parte de um todo! Foi separada dele pela água, pelo vento, enfim, pelas intempéries; mas, também, pela humanidade, que também já foi parte de um todo. Aliás, continua a fazer, mas esquece ou é induzida a esquecer disso.

Pedras e areias que poderiam unir os povos, transpondo abismos; mas que alguns preferem usar para criar barreiras quase intransponíveis ou cercados herméticos, físicos ou do pensar.

Isso pode mudar. É uma questão de tempo!

No entanto, se é uma questão de tempo, bem que ele poderia responder às tantas perguntas lançadas a ele: palavras ao tempo e não ao vento! Respostas que equilibrassem a inversa proporcionalidade entre nostalgia e esperança.

Não somos senhores do tempo, embora alguns gastem fortunas para prolongá-lo artificialmente, por egoísmo, enquanto outros, que poderiam dar esperança ao mundo, têm o seu violenta ou displicentemente abreviado.

Entretanto, podemos e devemos tomar o controle do nosso tempo, para dele fazer o melhor uso possível: construir pontes, plantar sonhos, viver plenamente a vida, em todos e com todos os sentidos!

Para tanto, mais do que dar tempo ao tempo, é preciso fazer bom uso dele: tomar seu tempo, em qualquer tempo.

O tempo é momento e todo dia é dia!

E um dia, quando o tempo nos apresentar nova escala de medida, universal, atemporal; tempo em que não haja mais os "anos-sem-luz" pedagiados, que às vezes nos separam do próximo, e nossos espíritos sejam capazes de viajar na velocidade da luz divina; que o tempo anterior fique na memória dos que amamos, como suave lembrança, atemporal, nunca extemporânea.

Assim, o tempo não deve ser considerado nosso principal credor, mas fundamental companheiro na jornada da vida!

Feliz 2013, 14, 15...





Adilson Luiz Gonçalves - Membro da Academia Santista de Letras - Mestre em Educação, Escritor, Engenheiro, Professor Universitário e Compositor

Deixe seu Comentário

Leia Também

EITA, EITA!
Participante do BBB18 adora mandar nudes
POLÍTICA
Recurso é negado pela Justiça Federal e interrogatório de Lula é mantido
REGIÃO
Em parceria com prefeito Marquinhos, Geraldo garante novas ações para Vicentina
ECONOMIA
Dólar tem nova queda e volta a R$ 3,20
Dólar tem nova queda e volta a R$ 3,20
POLÍCIA
Trio de assaltantes atira em idoso durante assalto
Trio de assaltantes atira em idoso durante assalto
BONITO
Tio encontra sobrinho morto no quintal de casa
Uma trouxinha de maconha foi encontrada no quarto do jovem;
MS
Divulgada resolução que orienta sobre inscrições no Programa Vale Universidade
Divulgada resolução que orienta sobre inscrições no Programa Vale Universidade
MEDIDA
Moro ordena transferência de Sérgio Cabral do Rio para o Paraná
MEDIDA
Construtora deve manter acordo contratual sem cobrança de juros abusivos
Construtora deve manter acordo contratual sem cobrança de juros abusivos
DESMATAMENTO
Operação Cervo-do-Pantanal autua oitavo fazendeiro em Jardim

Mais Lidas

REAJUSTE
Agetran define novo valor da tarifa do transporte público em Dourados
MAQUINADO
Polícia acredita que o empresário que matou a ex tenha planejado o crime
DOURADOS
Chuva intensa alaga túnel do Parque das Nações II
JARDIM DAS PRIMAVERAS
Foragido da justiça é preso por posse de munições de uso restrito