Menu
Busca segunda, 23 de abril de 2018
(67) 9860-3221
BANNER CORPAL TOPO SITE

Leia o artigo "Jornalismo é luta diária" por Karine Segatto

26 novembro 2012 - 13h06

Com tantas agressões contra jornalistas em 2012, difícil é manter vivo o Jornalismo. Em Mato Grosso do Sul, os assassinatos que envolveram jornalistas e proprietários de empresas de comunicação seguem acompanhados pela impunidade, enquanto o que se quer é a real causa dos crimes e o julgamento dos culpados.

No cotidiano, a violência assume várias formas. O jornalista sofre tentativas de constrangimento ao livre exercício da profissão de atores externos e internos. Em Dourados, até o sigilo da fonte, garantido pela Constituição de 1988, foi criticado por um servidor do MPF (Ministério Público Federal) em um infeliz episódio na semana passada. Já dentro das empresas, é freqüente a censura do conteúdo que envolve os anunciantes, a jornada desgastante e a necessidade de melhores condições de trabalho.
O jornalista não é dono da empresa, muitos empresários afirmam isso sempre, portanto, quanto maior a defesa de todos pela profissão, mais o jornalista será respeitado dentro e fora do veículo de comunicação.

Criado para promover o diálogo entre as várias versões de um fato, o Jornalismo deve ser defendido pelos próprios jornalistas e pelo público, que tem acesso a determinado acontecimento muitas vezes apenas através da imprensa. Por isso, fortalecer a profissão do jornalista é fortalecer a democracia.

Os jornalistas estão empenhados nesse intuito. Entre as ações está a criação do Sindicato dos Jornalistas Profissionais da Grande Dourados (Sinjorgran), em 09 de dezembro de 1989 e que completará 23 anos no próximo mês, com muitas demandas.

Contra a violência, queremos a aprovação da lei que federaliza os crimes contra jornalistas. Para combater a precarização, queremos uma nova regulamentação sobre a profissão e piso nacional de seis salários mínimos. Em busca de valorizar o jornalismo como profissão, defendemos a volta da exigência da formação superior, para que a definição de quem é ou não jornalista não fique restrita ao patrão.

Nosso esforço enquanto Sindicato é defender o livre exercício da profissão. Como o Sindicato não é feito por papéis e sim por pessoas, aproveitamos o aniversário que se aproxima para convidar mais jornalistas para essa jornada. Ao invés do que o Sindicato pode fazer por você, proponha o que você pode ser para o Sindicato, para o Jornalismo e para a sociedade.



Karine Segatto*

*Presidenta do Sinjorgran - Sindicato dos Jornalistas Profissionais da Grande Dourados

Deixe seu Comentário

Leia Também

CAPITAL
Motorista sem CNH atropela criança de 5 anos a caminho da escola
SELEÇÃO
UEMS abre inscrições para processo seletivo de Tutores a Distância
CAMPO GRANDE
Motorista leva dois tiros durante golpe falso frete
TRIBUNAIS
Conselho de Justiça inicia inspeção ordinária no Poder Judiciário de MS
RIO BRILHANTE
Morador de São Paulo aciona polícia de MS para livrar a irmã de cárcere
MODERNIZAÇÃO
Assembleia implementa projeto de acessibilidade no Palácio Guaicurus
UFGD
Colóquio debaterá o direito à educação em contextos de privatização
ACIDENTE
Motorista campo-grandense morre atropelado por carro em rodovia de SP
ELEIÇÕES
PT reafirma candidatura de Lula para presidente da República
POLÍCIA
Dois são presos com veículos que seriam utilizados para contrabando

Mais Lidas

BR-163
Homem é preso com carro de luxo comprado pelo “Finanzinho”
JARDIM RASSELEN
Após furtar produtos de atacadista homem é detido por populares
TRÊS LAGOAS
Morre vítima de acidente com carreta; filho revelou tentativa de suicídio
MARACAJU
Homem com várias passagens pela polícia é encontrado degolado