Menu
Busca sábado, 21 de setembro de 2019
(67) 9860-3221

Governo lança plano para aumentar segurança nas fronteiras

08 junho 2011 - 18h34

O governo anunciou nesta quarta-feira (8), no Palácio do Planalto, o Plano Estratégico de Fronteira, que visa reforçar a segurança nas fronteiras do Brasil com outros países. O objetivo é desenvolver uma ação coordenada entre as Forças Armadas, Polícia Federal, Força Nacional e Polícia Rodoviária Federal nas áreas de fronteira.

Segundo o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, as forças federais e o Exército ficarão de forma permanente nas fronteiras e atuarão sob um comando único, formado pelas forças ligadas ao Ministério da Justiça e ao Ministério da Defesa. “Estamos criando um órgão central de coordenação, o Centro de Operações Conjuntas. Haverá uma sala onde será possível acompanhar online todas as operações no país”, disse.

De acordo com Cardozo, nas operações da Polícia Federal, as Forças Armadas atuarão com apoio logístico. O governo vai reforçar a Operação Sentinela, da PF, que visa combater o crime em área de fronteira. “O objetivo é ter uma situação de permanência na fronteira. Teremos as forças nacionais com apoio logístico das Forças Armadas permanentemente nas fronteiras. A Polícia Rodoviária Nacional será integrada na operação”, disse Cardozo. O efetivo para a operação, segundo o ministro, será aumentado em 100%.

###Concursos

O ministro disse ainda que realizará novos concursos para cargos nas forças federais e que as novas vagas serão para reforçar a participação policial nas fronteiras. “Vamos prover esses cargos [vagos] através de concursos públicos para termos mais efetivo para as ações em território nacional e nas fronteiras. Aqueles que ingressam nos concurso irão de início para as áreas de fronteiras.”

Cardozo disse também que os dois veículos aéreos não tripulados adquiridos pelo governo ficarão operacionais em agosto ou setembro deste ano. “Já adquirimos dois veículos aéreos não tripulados e ficarão operacionais em agosto ou setembro deste ano, apesar de terem sido comprados em março. Os Vant vão operar articuladamente com o Ministério da Defesa”, afirmou.

O ministro da Defesa, Nelson Jobim, afirmou que a vigilância militar na fronteira será reforçada. “Os 21 postos de fronteira que temos desde o Amapá até a Bolívia passarão a 49 postos”, disse. “Nós saímos das operações combinadas e passamos a uma operação conjunta com forças federais”, complementou Jobim.

Segundo os ministros, os objetivos centrais do plano são a redução dos índices de criminalidade, e o reforço do enfrentamento ao crime organizado por meio da atuação integrada das instituições dos ministérios da Justiça e Defesa. Entre os crimes mais comuns nas fronteiras estão tráfico de drogas, de armas e de pessoas, além dos ilícitos ambientais e fiscais, como o contrabando. A taxa de homicídios nas divisas também é maior do que no restante do país.

Deixe seu Comentário

Leia Também

LEGISLATIVO DE MS
Semana na ALMS terá duas audiências públicas
FESTA
2ª Peixada Dourados News celebra 19 anos do maior jornal online do interior de MS
BRASIL
Investidores internacionais querem evitar dupla tributação com Brasil
TRÁFICO
Polícia fecha "boca" e prende mulher seis dias após ela sair da prisão
MEIO AMBIENTE
Traficante de aves foge da polícia ao ser flagrado tentando furtar filhotes de papagaio
MÚSICA
Batalha de Bandas acontece neste sábado na Capital
ITAPORÃ
Durante ação voltada ao meio-ambiente, maconha é encontrada às margens de rodovia
BRASIL
Governo libera quase R$ 800 milhões em emendas parlamentares
GP DE SINGAPURA
Leclerc desbanca Hamilton e Vettel na última volta para conquistar a pole
MUDANÇA
Entenda as novas regras para conduzir as motos 'cinquentinhas'

Mais Lidas

SETEMBRO AMARELO
Sem perceber sinais, Silvânia perdeu a filha e hoje reconhece a necessidade da escuta
BARBÁRIE
Após matar criança afogada, pai ligou para ex e inventou sequestro
POLÍCIA
Jovem é executado por pistoleiros em Ponta Porã
DOURADOS
Bêbado é preso após bater carro e derrubar muro