Menu
Busca quarta, 16 de janeiro de 2019
(67) 9860-3221

Artigo: "Lombadas Eletrônicas", por José Marques Luiz

09 junho 2011 - 09h12

Faz algum tempo que os motoristas de Dourados e região andam atarantados com a confusão que se estabeleceu desde que o prefeito de Dourados anunciou o desligamento das lombadas eletrônicas, por força de futuro rompimento unilateral do contrato celebrado com a empresa paranaense Perkons S.A.

Desde esse anúncio até hoje, jornais escritos e eletrônicos tem publicado notícias desencontradas sobre o desligamento de todas ou de algumas lombadas e sobre o fato de estarem ou não multando (confira-se “O Progresso” de 13/05;de 24/05;de 02/06; o “Diário MS” de 24/05; o “DouradosNews”,de 30/05, entre outros).

Em todas essas publicações, há manifestações enganadoras, tanto do poder público municipal como do DETRAN.Um declara que o desligamento se deu por ação de vândalos, outro diz que a prefeitura desligou;um diz que algumas funcionam, outro afirma que todas estão desativadas;um atesta que as multas serão anuladas, outro entende que é preciso recorrer delas.

- E o cidadão, como é que fica?

- Simplesmente atabalhoado, confuso, desesperado.

A Constituição Federal, em seu artigo 37 estabelece que a administração pública de todas as esferas obedecerá aos princípios de legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência.

No caso em pauta, as Administrações Estadual e Municipal fazem ouvidos moucos a todos esses princípios. A Administração Municipal fere o princípio da legalidade quando não se acerca dos cuidados necessários para rescindir unilateralmente o contrato com a Perkons S.A; atropela o princípio da impessoalidade quando o ato de desligamento parte da vontade individual do administrador; calca aos pés o princípio da moralidade quando por ato próprio confunde o cidadão e lhe acarreta prejuízos; dá as costas à publicidade quando não externa nenhuma informação oficial e segura sobre o assunto;massacra o princípio da eficiência, quando, à maneira de Pôncio Pilatos, deixa o tempo fluir, sem nenhuma atitude efetiva para a solução.

O Estado, por sua vez, se posta como vítima do Município, ferindo igualmente os mesmos princípios em detrimento do povo de Dourados.

No final das contas, não se assuste leitor, se os administradores e a mídia marrom lançarem toda a culpa sobre o povo e os motoristas!

Em época de “transparência”, o assunto exige solução imediata, para que o cidadão deixe de ser vítima das arapucas do trânsito.


advogado/professor - jmladv@hotmail.com

Deixe seu Comentário

Leia Também

UAU
Paloma Bernardi faz passeio relaxante e impressiona com barriga negativa
SÃO GABRIEL
Trio que matou e deixou corpo de rival amarrado é condenado a 44 anos
DELAÇÂO
STF abre investigação contra políticos na Operação Carne Fraca
BATAYPORÃ
Traficante é autuado em R$ 5 mil por manter papagaio em gaiola
POLÍTICA
Bolsonaro vai analisar opções para Previdência durante viagem a Davos
RIO DE JANEIRO
Morre aos 72 anos, a cantora Edyr de Castro, uma das Frenéticas
CRIME AMBIENTAL
Agricultor é multado em R$ 10 mil por poluição em uso de agrotóxicos
REDE
UEMS adquire novo servidor para fortalecimento da Educação a Distância
PARAGUAI
Dupla é presa com mais de R$ 100 mil em eletrônicos contrabandeados
COXIM
Governo do Estado repassa R$ 804 mil para Hospital da região norte

Mais Lidas

GRUPOS RIVAIS
Interno do semiaberto de Dourados é morto em briga de facções
POLÍCIA
Motorista que morreu em acidente na BR-163 tinha 28 anos
BR-163
Acidente que matou motorista de ônibus deixou outros cinco feridos
DOURADOS
Délia exonera secretário e coloca interina na Agricultura Familiar