Menu
Busca quarta, 21 de agosto de 2019
(67) 9860-3221

Artigo: A câmera como testemunha, por Dirceu Cardoso

25 maio 2011 - 16h29

O diretor da repartição pública, o governador, o prefeito e o deputado foram filmados recebendo propina. A babá foi pilhada agredindo a criança e o cuidador batendo no velhinho sob seus cuidados. O ladrão acabou reconhecido através das imagens das câmeras de segurança, as mesmas que registraram brigas em escolas, linchamento em portas de estabelecimentos e outros distúrbios. Isso sem falar das milhares de multas aplicadas eletronicamente todos os dias, nas ruas e rodovias brasileiras, a veículos cujos motoristas cometem infrações.

As câmeras, cada dia mais eficientes e baratas, tornaram-se um valioso coadjuvante da segurança. Milhares de crimes que já levaram seus autores para trás das grades teriam passado impunes sem a presença da câmera de monitoramento ou de equipamentos (inclusive telefones celulares) operados com a finalidade de combater os delitos. Se um dia tivermos todas as vias públicas monitoradas, a estrutura de segurança será mais eficiente e as polícias terão um grau de resolutividade infinitamente maior, com a utilização de efetivo menor tanto de policiais quanto de veículos, armamento, combustíveis e outros insumos.

“O preço da liberdade é a eterna vigilância”, dizia Thomas Jefferson, o terceiro presidente norte-americano, que governou de 1801 a 1809, citado ao longo dos tempos por muitos outros, inclusive por brasileiros, em momentos críticos. Jamais poderia imaginar o autor que, passados mais de 200 anos, sua tese ainda seria muito válida e, principalmente, contaria com a força do registro eletrônico de som e imagem. A tecnologia está disponível. Basta, agora, aplicá-la de maneira produtiva.

As muitas reclamações de mau atendimento em serviços públicos, especialmente nos pronto-socorros e hospitais, onde a vida está em jogo, deixariam de existir se a estrutura dispusesse de câmeras de monitoramento permanente. Os funcionários necessariamente atenderiam bem a clientela e esta, por sua vez, não exorbitaria. De quebra, a administração ainda teria um rico material para estudar e aperfeiçoar os métodos de trabalho. O equipamento seria da mesma valia em repartições policiais, salas de aula, sessões de concorrência ou licitação pública e outras atividades que envolvem a prestação de serviço e o dinheiro do povo. Com o filme, ficariam mais difíceis a corrupção, a desídia e os maus tratos. O serviço e a comunidade seriam os grandes beneficiados.

O Brasil possui uma invejável estrutura de leis, mas não dispõe de meios para exigir o seu cumprimento. A câmera instalada como testemunha dos procedimentos em todas as repartições e pontos de atendimento ao público pode ser um grande inibidor de maus procedimentos. Ela poderá proteger o interesse de todos os indivíduos sob seu foco mas, em contrapartida, deles também exigirá comportamento correto, moral e ético. Tudo o que a sociedade necessita para se desenvolver...



*Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves – dirigente da ASPOMIL (Associação de Assist. Social dos Policiais Militares de São Paulo)
aspomilpm@terra.com.br

Deixe seu Comentário

Leia Também

DOURADOS
Manifesto por salário tem confusão entre servidora e estagiários; Prefeitura prometeu pagamento até sexta
CAARAPÓ
Ferido em acidente com morte na BR-163 é transferido para Dourados
BRASIL
Plenário da Câmara aprova projeto que regulamenta a vaquejada
CAARAPÓ
BR-163 continua interditada e congestionamento chega perto de 10km
DOURADOS
Prefeita diz ter adorado ‘visita’ de grupo que protestou por transporte escolar
DOURADOS
Processante de Junior Rodrigues tem 10 dias para emitir parecer sobre arquivamento ou cassação
BR-163
Pedaço de pneu na pista causou acidente com morte que envolveu quatro carretas
BRASIL
Projeto que obriga agressor a ressarcir SUS é aprovado na Câmara
DOURADOS
Rapaz vai à festa e tem moto furtada na Vila Aparecida
DOURADOS
Secretária é convocada para esclarecer morte em plantão sem médico no Hospital da Vida

Mais Lidas

DOURADOS
Ladrão é preso acusado no furto de carro, R$ 30 mil em joias e eletrônicos
ESTUPRO
Homem é preso após dormir com a namorada de 11 anos
POLÍCIA
Integrante de quadrilha especializada em roubo à famílias é apresentado pelo SIG
JOAQUIM TEIXEIRA ALVES
Mulher perde quase R$ 4 mil em assalto no Centro de Dourados