Menu
Busca quarta, 23 de janeiro de 2019
(67) 9860-3221

Vereadores aprovam modificações em lei sem discussão com educadores

18 dezembro 2012 - 17h02

Na última sessão ordinária do ano, realizada na manhã desta terça-feira (18) na Câmara de Vereadores, os legisladores douradenses aprovaram em primeira votação o Projeto de Lei Complementar de número 13, imposto pelo Executivo fazendo alterações prejudiciais à readaptação dos servidores municipais.

A diretoria do Sindicato Municipal dos Trabalhadores em Educação – Simted de Dourados realizou o acompanhamento das sessões desde o início de novembro na tentativa de evitar a votação sem uma conversa com os principais interessados nessas mudanças, os servidores.

No dia 27 do mês passado, o presidente do sindicato, João Azevedo, utilizou a tribuna da Casa de Leis e durante o seu discurso, propôs uma Audiência Pública aos vereadores, para debater o assunto.

Além da tentativa de convencer o legislativo sobre o debate com a categoria, a administração municipal vem ignorando um encontro com o Simted desde que o ex-secretário de Educação Walteir Betoni deixou o cargo, dando lugar à ex-secretária de Administração Marinísia Kiyomi Mizoguchi.

“Buscamos um diálogo com o poder público sem sucesso. Isso mostra o quanto eles estão despreocupados com a vida funcional dos servidores” disse o presidente do Simted.

A decisão tomada pelos legisladores de votarem favorável ao projeto e com exceção do vereador Elias que foi contrário e ainda pediu uma nova reunião com o Executivo, os demais foram favoráveis, convencidos de que o servidor não será prejudicado, já que tiveram uma audiência particular com os representantes da administração municipal.

Da maneira em que o projeto foi escrito, apresentado e aprovado, traz também algumas inconstitucionalidades e situações que implicam na carreira e na aposentadoria dos servidores.

Segundo um dos parágrafos do PL Complementar, datada de 7 de novembro de 2012, os servidores do município podem ser readaptados definitivamente e enquadrados em uma classe padrão, tendo que iniciar uma nova carreira .
Será feito um parecer jurídico especifico e constando a legitimidade das reclamações, será aberto um processo judicial contra a lei. Desde já o Simted alerta para segunda votação que acontecerá em sessão extraordinária, com custos para toda sociedade pagar.

Deixe seu Comentário

Leia Também

ECONOMIA
Aéreas brasileiras transportaram 103 milhões de passageiros em 2018
COXIM
Mulher não consegue falar com marido que é encontrado morto pela filho
UFGD
Concursos para docentes e técnicos divulgam candidatos isentos
ECONOMIA
Secretaria de Fazenda publica valor atualizado de Uferms para fevereiro
FORÇAS ARMADAS
Polícia recupera pistola de uso restrito desaparecida desde 2016
APRENDIZES-MARINHEIRO
Marinha abre inscrições para concurso com 1 mil vagas em todo país
ANASTÁCIO
Homem agride e furta dinheiro mãe para comprar bebida alcoólica
TELEVISÃO
Vanderson sai da casa para depor e é desclassificado do BBB19
CORUMBÁ
Homem é autuado por maus tratos a cavalo
PRIORIDADES
Onyx apresenta 35 metas para os primeiros 100 dias de governo

Mais Lidas

POLÍCIA
Homem morre após ser atropelado por Mini Carregadeira em Dourados
BRASILÂNDIA
Dono de casa de prostituição é preso por tráfico de mulheres
ENERGISA
Consumidores podem recorrer ao valor da conta de energia sem sofrer corte no fornecimento
TRÁFICO
Carga de cocaína apreendida na BR-463 poderia render até R$ 47 milhões no Brasil