Menu
Busca quarta, 15 de agosto de 2018
(67) 9860-3221
SUICÍDIO

UEMS promove ações dentro da Campanha Setembro Amarelo

06 setembro 2017 - 06h58

A Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS) vai desenvolver uma série de atividades referentes ao Setembro Amarelo, mês internacional de combate ao suicídio. As ações serão promovidas pelas Pró-Reitoria de Desenvolvimento Humano e Social (Prodhs) e Pró-Reitoria de Extensão, Cultura e Assuntos Comunitários (Proec) e objetivam conscientizar a comunidade acadêmica sobre a importância de se discutir a temática sem preconceitos, uma vez que uma simples conversa pode evitar tragédias maiores.

A Prodhs vai manter durante este mês, a exemplo de outras instituições, a iluminação noturna da fachada da UEMS de Dourados em tom amarelo. A prática tem sido adotada desde 2014, em vários monumentos e prédios públicos e da iniciativa privada. Como parte da ação desta pró-reitoria, visando levar informações ao seu quadro de servidores, será realizada no dia 11 de setembro, na Unidade de Dourados, uma palestra com o psiquiatra José Carlos Rosa Pires, docente do curso de Medicina da UEMS, na qual serão abordados vários aspectos sobre o suicídio, suas causas e como saber identificar e auxiliar estas pessoas.

Concomitantemente, a Proec irá distribuir a acadêmicos de todas as 15 unidades universitárias da UEMS folhetos informativos com orientações sobre como proceder nestas situações, uma vez que o assunto ainda é tido como tabu social. Serão distribuídos 5 mil folders para estudantes, que serão enviados para as gerências das Unidades façam o procedimento. A Proec também promoverá a exibição de vídeos nas redes sociais institucionais com outras informações sobre o assunto, que ainda é tido como tabu pela sociedade.

###É preciso conversar sobre o assunto
Abordagens sobre o suicídio são necessárias em ambientes universitários. De acordo com o Mapa da Violência 2017, que levantou dados do Sistema de Informações de Mortalidade (SIM), do Ministério da Saúde, houve um aumento de 10% no número de suicídios entre jovens de 15 a 29 anos, desde 2002. Caso a comparação seja feita com a década de 1980, o aumento é de 60%. Recentemente, a morte do vocalista da banda americana Linkin Park, Chester Bennington, trouxe à tona, mais uma vez, a discussão sobre o tema.

"É curioso notar que, mesmo que estejamos vivendo na era da informação, um tema com significado tão forte ainda seja ignorado ou tratado como um tabu. Os casos de suicídio vem crescendo de maneira espantosa em todo o mundo, agora atingindo também crianças e adolescentes - entre universitários, inclusive", destaca o psicólogo Jorge Miguel Rodrigues, técnico da UEMS lotado na Divisão de Desenvolvimento de Pessoas, setor vinculado à Prodhs.

Para ele, esse contexto de aumento de suicídio entre os jovens é resultado da grande influência que as redes sociais passarem a ter na vida das pessoas. "Elas funcionam como um termômetro de popularidade e fama, medidos por meio de curtidas e comentários. Então, quem não consegue atingir seus objetivos na busca por este sucesso virtual acaba desenvolvendo sentimentos de frustração, baixa autoestima e a perda de contato com a realidade. E vêm à tona uma percepção distorcida por parte destes jovens", analisa Rodrigues.

O ambiente universitário, propício à ocorrência de pressões de diferentes ordens, de acordo com os próprios alunos, deve manter o debate sobre o suicídio sempre vigente. "Conversar sobre o assunto é um passo primordial, primeiro para desmistificar conceitos construídos erroneamente a respeito do assunto, para que em seguida sejam discutidas as causas do suicídio e de que forma a sociedade pode contribuir para que este fenômeno tão perverso possa ser revertido", finaliza o psicólogo da UEMS.

Em 2016, a Assessoria de Comunicação Social da UEMS, em parceria com o projeto Mídia & Ciência, da Fundação de Apoio ao Desenvolvimento do Ensino, Ciência e Tecnologia do Estado de Mato Grosso do Sul (Fundect), produziu uma série de matérias que culminaram num especial que teve como pauta o estudo sobre a morte, sob diversas abordagens, dentre os quais o suicídio. O especial pode ser conferido, na íntegra, neste link .

###Serviço
Uma das iniciativas que tem mantido um importante trabalho dentro das ações deste período é o Portal Setembro Amarelo, uma página mantida pelo Centro de Valorização da Vida (CVV) que disponibiliza diversas informações sobre o assunto. Nele é possível verificar vários dados sobre o desenvolvimento de ações relativas ao Setembro Amarelo no Brasil, que surgiu de uma ação conjunta entre o CVV, o Conselho Federal de Medicina (CFM) e a Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP), com as primeiras atividades realizadas setembro de 2014, sendo concentradas em Brasília. Em 2015, o Setembro Amarelo obteve maior exposição na mídia, com ações desenvolvidas em todas as regiões do país.Faça sua matéria aqui

Deixe seu Comentário

Leia Também

BRASIL
Trabalhadores podem usar FGTS para a compra de próteses e órteses
DOURADOS
Instituições de ensino têm até hoje para se inscrever no desfile cívico
EDUCAÇÃO
Candidatos que adiaram inscrição têm até sexta para se cadastrar no Fies
REDE MUNICIPAL
Após anúncio de greve, educadores farão ato no CAM
PROVOCOU
Nat Tanajura posa de fio dental cavado e confessa: "Sou danada"
BRASIL
Câmara aprova texto que permite à polícia agir para proteger mulheres
BRASIL
Cármen Lúcia tem reunião com grupo pró-Lula e grevista de fome
CIDADES
Inquérito Civil vai averiguar aumento indevido da conta de água e esgoto na Capital
BRASIL
STF retira de Moro trecho de delação sobre Lula e Mantega
MOUNTAIN BIKE
Atleta do MS conquista campeonato brasileiro no ES

Mais Lidas

DOURADOS
Polícia não descarta crime passional em caso de cabeleireiro morto a facadas
DOURADOS
Motociclista invade a contramão e executa homem no Piratininga
DOURADOS
Casal é preso por tráfico no João Paulo II após denúncia de populares
DOURADOS
Homem é assassinado no Jardim Piratininga