Menu
Busca sexta, 23 de agosto de 2019
(67) 9860-3221
Iluminação Pública

TJ atende prefeitura e suspende decisão que barrou cobrança da Cosip

20 julho 2019 - 08h15Por André Bento

A Prefeitura de Dourados conseguiu suspender ordem judicial que havia barrado as cobranças da Cosip (Contribuição para Custeio do Serviço de Iluminação Pública). Essa decisão foi proferida na sexta-feira (19) pelo juiz Luiz Antonio Cavassa de Almeida, substituto do desembargador relator da 1ª Câmara Cível do TJ-MS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul).

No dia 5 de julho, o juiz José Domingues Filho, titular da 6ª Vara Cível de Dourados, determinou a suspensão das cobranças de todos os moradores de locais com problemas na iluminação pública e elaboração de levantamento para diagnosticar essas regiões. Em caso de descumprimento da ordem, estabeleceu multa diária de R$ 10 mil.

Na ocasião, o magistrado concedeu liminar (decisão de efeitos imediatos e provisórios) requerida pelo MPE-MS (Ministério Público Estadual) através da Ação Civil Pública número 0900092-73.2019.8.12.0002.

Ele também barrou o uso de recursos desse fundo para outras finalidades, como ocorreu no final de 2018, quando R$ 5.997.226,43 foram tirados de uma arrecadação de quase R$ 16 milhões para pagar, sobretudo, o 13º salário do funcionalismo.

Contudo, em recurso ao TJ-MS, a prefeitura alegou que a decisão “causará graves prejuízos ao Município, bem como a mesma foi proferida sem a oitiva da pessoa jurídica de direito público no prazo de 72 (setenta e duas) horas, tornando-se completamente nula”.

Os procuradores municipais pontuaram “que a decisão recorrida afrontou a separação de poderes e vai muito além de qualquer controle de políticas públicas”.

Acrescentaram ainda ser respaldada por lei “a possibilidade da desvinculação das receitas da Cosip”, disseram não ser possível a “individualização da arrecadação” solicitaram “dilação de prazo para o cumprimento da decisão e redução da multa diária”.

Na decisão que suspendeu a ordem da Justiça de Dourados, o relator do recurso no TJ-MS pontuou ter verificado “a necessidade de suspensão da eficácia da decisão recorrida ante o risco de lesão grave e de difícil reparação (periculum in mora) com a manutenção de seus efeitos”.

Deixe seu Comentário

Leia Também

IMUNIZAÇÃO
Vacinação antirrábica terá pontos fixos amanhã em Dourados
DOURADOS
Encontro de fanfarras de percussão acontece amanhã na Praça Antônio João
TRÁFICO
Mulher é presa transportando maconha até Campo Grande
UNIÃO
Países da América do Sul se mobilizam contra incêndios florestais
FLAGRANTE
Homem que agrediu mulher é preso e tem arma apreendida
ECONOMIA
Dólar dispara e fecha no maior patamar em quase um ano
NARCOTRÁFICO
Justiça Federal condena "Galã" por crime de organização criminosa
CAMPO GRANDE
Promotor desmaia e juri de serial killer será reagendado
INTERNACIONAL
Exames confirmam que presidente do Uruguai tem tumor maligno
LOGÍSTICA
Projeto para ferrovia entre Dourados e PR é entregue à análise de gigante logístico

Mais Lidas

TRÂNSITO
Empresa desliga mais de 30 lombadas eletrônicas em Dourados após rescisão contratual
Hospital da Vida
Ao MPE, médico relata confusão total de informações em plantão com morte
DOURADOS
Veículo é consumido pelas chamas no Água Boa; veja vídeo
CRIME ORGANIZADO
Operação contra o PCC cumpre 30 mandados de prisão em cidades de MS