Menu
Busca sexta, 18 de outubro de 2019
(67) 9860-3221
DINHEIRO PÚBLICO

TCE vê irregularidades e suspende licitação de R$ 12 mi para limpeza de escolas em Dourados

15 agosto 2019 - 17h20Por Adriano Moretto

O TCE/MS (Tribunal de Contas do Estado) suspendeu nesta quinta-feira (15/8) o processo licitatório para a contratação de serviços de limpeza e higienização nas 45 escolas da Rede Municipal de Ensino de Dourados e 38 Ceim's (Centros de Educação Infantil). A medida consta na edição suplementar do Diário Oficial do órgão. 

A sessão pública de recebimento de propostas ocorreria hoje e no entender do Tribunal, foram encontradas diversas irregularidades para a realização do certame. 

O valor total estimado da licitação era de R$ 12.052.647,72 e contaria, por parte da empresa vencedora, com fornecimento de mão de obra e todos os equipamentos, ferramentas e utensílios necessários.

Conforme o documento, em análise detalhada no edital a Divisão de Fiscalização de Educação notou diversas irregularidades. 

Entre elas, ausência de estudo técnico preliminar e de informações sobre contratos anteriores firmados para a prestação do mesmo serviço, além de “discrepância injustificada entre o número de funcionários contratados para o mesmo objeto, através de Dispensa de Licitação no ano de 2018”. 

Ainda conforme a lista de situações apontadas pelo Tribunal de Contas estão exigências de materiais injustificados e que restringem a competição. 

“Diante das impropriedades detectadas, o corpo técnico solicitou a concessão de medida cautelar a fim de sustar o Pregão Eletrônico n. 22/19, promovendo-se a correção das irregularidades pontuadas”, diz parte da decisão publicada pelo relator Jerson Domingos.

Funcionários x valores

Ainda conforme o relator, durante o levantamento realizado pela Divisão, foi constatado que no ano passado, o número de funcionários contratados com o mesmo objetivo, datado de 11 de setembro e com vigência de três meses, chegou a 251, diferente do processo atual, que exigia 319, ou seja, 68 a mais. 

Além disso, o valor da dispensa de licitação através do contrato 278/18 apresentou custo aos cofres públicos de R$ 1.969.047,00, bem abaixo dos R$ 12 milhões previstos no edital, “sendo que os locais de prestação de serviço são praticamente os mesmos nos dois casos”. 

Por fim, o conselheiro intima a prefeitura de Dourados a comprovar em cinco dias a suspensão do certame. 

O mesmo prazo foi dado para um posicionamento do Município em relação ao caso. 

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

EDUCAÇÃO
MEC remaneja recursos próprios para recompor orçamento das federais
CAMPO GRANDE
Polícia impede furto em farmácia e prende dois autores em flagrante
BODOQUENA
Caçadores são presos com carabina e jacaré abatido
FUTEBOL AMADOR
Copa Saúde Cassems define terceira colocação neste domingo
DIA DO MÉDICO
Médicos, presentes na Unimed desde a gestão até a consulta
ECONOMIA
Dólar fecha em queda nesta sexta, mas acumula alta na semana
DEBATES
Governador empossa Conselho Estadual de Cultura destacando valorização
AGENDA OFICIAL
Ministro anuncia mais R$ 10 milhões na saúde de Dourados e descarta novas UPA’s
MÚSICA
Dupla de MS completa 4 anos de carreira com show na Capital
ESTADO
MS sobe duas posições no Ranking da Competitividade e é 2º em crescimento no cenário nacional

Mais Lidas

BNH IV PLANO
Polícia investiga morte de bebê logo após parto em Dourados
DOURADOS
Com fim de contrato, empresa começa a retirar lombadas eletrônicas
DOURADOS
Pente-fino teve ‘bate-grade’ e apreendeu drogas, celulares e facas artesanais
DOURADOS
Ladrões invadem e fazem “limpa” em casas