Menu
Busca quinta, 19 de setembro de 2019
(67) 9860-3221
DOURADOS

TCE multa prefeita e ex-secretário por contratação temporária de médico

22 agosto 2019 - 11h31Por André Bento

O TCE-MS (Tribunal de Contas de Mato Grosso do Sul) aplicou multa à prefeita Délia Razuk (sem partido) e ao ex-secretário municipal de Saúde, Renato Oliveira Garcez Vidigal, por causa de contratação temporária de médico julgada irregular. Proferida no dia 14 de agosto pelo conselheiro Jerson Domingos, relator do caso, a decisão singular pode ser recorrida.

Conforme o despacho obtido pelo Dourados News, a irregularidade foi constatada na contratação de um profissional para exercer a função de médico entre 2 de janeiro e 31 de dezembro de 2018.

“Ao analisar detidamente o processo e consultar o sistema verifico que a contratada já havia sido realizada diversas vezes consecutivas pelo município, o que infringe os preceitos legais previstos na Lei Municipal 3.990/2016”, pontuou o conselheiro.

A multa aplicada para cada gestor foi de 50 Uferms (Unidade Fiscal Estadual de Referência de Mato Grosso do Sul), cotada a R$ 28,77 conforme resolução da Secretaria de Estado de Fazenda válida em agosto. Com isso, Délia e Vidigal podem ter que pagar R$ 1.438,50 caso a condenação no TCE não seja revertida com recursos.

“O Município de Dourados, para suprir a falta de pessoal do quadro efetivo vem realizando contratos temporários e sucessivas renovações para preenchimento de vagas em funções permanentes, demonstrando, assim, a falta de planejamento e cuidado com a coisa pública, que mesmo com o intuito de garantir o adequado atendimento à saúde da população, vem tornando a contratação temporária uma regra ao invés de exceção, como determina a Lei Maior”, pontuou o conselheiro relator.

Procurado pelo Dourados News na manhã desta quinta-feira (22), o médico Renato Vidigal, ex-secretário de Saúde e atualmente coordenador do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), disse que vai recorrer da decisão do TCE.

“A gente vai recorrer. Mas não podíamos ficar sem médico. Mesmo sabendo do risco da multa decidimos que população não poderia ficar sem o médico porque seria perda muito grande para a população”, declarou.

O Dourados News também entrou em contato com a assessoria de imprensa da Prefeitura de Dourados para obter posicionamento da prefeita e aguarda retorno.

Deixe seu Comentário

Leia Também

BRASIL
Alvo da PF, Bezerra põe o cargo de líder do governo no Senado à disposição
CRIME AMBIENTAL
Grupo é multado em quase R$ 300 mil por desmatamento ilegal
QUEIMADAS
MS recebe suporte do Governo Federal para combate aos incêndios
TEMPO
Pancada de chuva não ameniza e ‘calorão’ continua em Dourados
BRASIL
Maia diz que Fundo Eleitoral é necessário para equilibrar campanhas
COETRAE-MS
Comissão para tratar da erradicação do trabalho escravo é instituída em MS
DOURADOS
Seminário sobre suicídio e violência na população LGBTs+ contou com três palestras nesta quinta
MS
Homem é autuado em R$ 107 mil por desmatamento ilegal
BRASIL
Aluno de 14 anos esfaqueia professor em escola na zona leste de SP
SELEÇÃO BRASILEIRA
Tite chama amanhã jogadores para amistosos de outubro

Mais Lidas

DOURADOS
De assaltante frustrado a autor de furto, jovem agora é apontado como assassino frio e cruel
DOURADOS
“Terror”: Empresário foi agredido e ameaçado de morte durante roubo de joias
CRIME BRUTAL
Após matar pai e filho, assassino arrancou cérebro de menor e manteve fogo aceso para queimar corpos
DOURADOS
Interno foge da PED durante trabalho de manutenção