Menu
Busca terça, 16 de julho de 2019
(67) 9860-3221
SAÚDE

Semana de Farmácia do HU contribui para atualização de profissionais

22 setembro 2017 - 11h21

Doença resultante do atual estilo de vida da população urbana, a síndrome metabólica foi o tema central da 3ª Semana de Farmácia do HU (Hospital Universitário) da UFGD (Universidade Federal da Grande Dourados), que encerrou suas atividades na noite desta quinta-feira, dia 21 de setembro, com a participação de cerca de 90 profissionais e acadêmicos da área de Farmácia de Dourados e região.

A escolha do tema levou em consideração o crescente diagnóstico de pacientes com síndrome metabólica, fato que vem culminando em uma maior preocupação das pessoas com estilo de vida, gerando assim o aumento do consumo de novos medicamentos, suplementos alimentares e outros produtos que são aliados do tão sonhado patamar de bem-estar.

"O tema foi selecionado por se tratar de um assunto bastante recorrente, de forma a oferecer atualizações essenciais aos profissionais de Farmácia, que possuem atuação importante no tratamento dos pacientes diagnosticados com a síndrome. O evento, inclusive, foi aberto à comunidade externa, pois tanto o farmacêutico hospitalar quanto o profissional que atende em estabelecimentos comerciais precisa estar preparado para desempenhar seu papel frente às novas diretrizes da área", afirma a farmacêutica Ana Paula dos Santos, chefe da Unidade de Abastecimento Farmacêutico do HU de Dourados.

###Palestras
Cada dia de evento teve como enfoque um aspecto diferente da atuação do farmacêutico frente à síndrome, englobando atualizações sobre as atividades clínicas do profissional, a forma como os medicamentos são empregados durante o tratamento, as novidades em produtos farmacêuticos voltados à doença, os riscos de interação medicamentosa e os cuidados na prescrição, no uso e na administração de remédios, sob a ótica da segurança do paciente.

Entre as palestrantes, a professora doutora Cândida Aparecida Leite Kassuya, docente da UFGD e chefe do Setor de Gestão da Pesquisa e Inovação Tecnológica do HU, explica que o tratamento da síndrome começa com a mudança do estilo de vida do paciente. "Primeiro é necessário mudar o comportamento, inserir na rotina a prática de exercícios físicos e melhorar a alimentação. Aliado a isso, em casos mais severos, se incluem os medicamentos, que estão cada dia mais evoluídos e eficazes".

Ela diz que há alguns anos não existiam, como há atualmente, medicamentos capazes de tratar com êxito a obesidade central, um dos principais fatores de risco que compõem a síndrome metabólica. Também se enquadram como manifestações clínicas da síndrome a hipertensão, a diabetes do tipo 2 e a dislipidemia (aumento de gordura no sangue, principalmente colesterol e triglicerídeos).

O termo "síndrome metabólica", apesar de parecer algo novo, foi descrito em 1888 pelo médico norte-americano Gerald Heaven. Ele descreve um conjunto de fatores de risco metabólico que se manifestam numa pessoa e aumentam suas chances de desenvolver doenças cardíacas, derrames e diabetes. Ela tem como base a resistência à ação da insulina, daí também ser conhecida como síndrome de resistência à insulina.

###Conscientização
Além de proporcionar a atualização de conhecimentos profissionais, o evento, desde sua primeira edição, tem enfoque em ações de conscientização da comunidade hospitalar. A instalação da já conhecida "caixa de descarte" se tornou uma ocasião muito aguardada pelos colaboradores, que aproveitam o momento para se desfazerem de seus medicamentos vencidos ou em desuso da forma adequada.

Na primeira edição da Semana, em 2016, cerca de 3,3 quilos de remédios vencidos foram descartados, número que dobrou na segunda vez em que a caixa esteve exposta. O chefe do Setor de Farmácia Hospitalar do HU, Armando Jorge Júnior, acredita que a adesão dos colaboradores ao descarte correto é fruto do trabalho educativo que o grupo tem feito nos últimos anos. "Os funcionários nos procuram para confirmar quando faremos nova edição das coletas, ou seja, muitos já consideram este um momento para conferir as ‘farmacinhas’ de suas casas", conta.

Outra ação a ser comemorada é o cadastro de doadores de medula óssea em parceria como o Hemocentro de Dourados, pela primeira vez realizada no hospital. Durante os dias 19 e 20 de setembro, 125 colaboradores que passaram pelo hall dos relógios de ponto se cadastraram, ampliando o banco de pessoas que, no futuro, poderão salvar a vida de alguém que precisa do transplante.

A 3ª Semana de Farmácia do HU é uma realização da Comissão de Farmácia e Terapêutica e do Setor de Farmácia Hospitalar, em parceria com a Divisão de Gestão de Pessoas.

Deixe seu Comentário

Leia Também

ECONOMIA
Consulta Pública sobre tarifa do gás natural segue até 23 de julho
MARACAJU
Carga de maconha que seria levada à Capital é apreendida com tio e sobrinha
SEGURANÇA PÚBLICA
Frentes de combate à violência contra a mulher são ampliadas em MS
PRETERIDOS
Municípios ainda acreditam que possam ser incuídos na Reforma da Previdência
DOURADOS
Com folha de R$ 21 milhões, prefeitura reajusta salários de servidores em 4,17%
EDUCAÇÃO
Mais de 6,5 mil douradenses realizarão provas do Enem 2019
NOTA DOURADA
Délia sanciona lei para aumentar arrecadação do Município
EDUCAÇÃO
Instituto Federal abre rematrícula para segundo semestre
POLÍCIA
Briga entre andarilhos termina em prisão de foragido e por desacato
ALCINÓPOLIS
Bebedeira entre amigos termina com homem morto a facadas

Mais Lidas

DOURADOS
Homem é assassinado a tiros em conveniência
DOURADOS
Homem é morto no Jardim Pantanal; segundo homicídio da noite
DOURADOS
Homem é baleado no Jardim Pelicano
DOURADOS
Homem assassinado no Jardim Pantanal tinha 23 anos