Menu
Busca domingo, 16 de dezembro de 2018
(67) 9860-3221
DOURADOS

Samu perde médicos e pode paralisar atendimento

O motivo é a Lei de Responsabilidade Fiscal que impede a prefeitura de contratar e renovar contrato com os profissionais

14 março 2018 - 10h27Por Vinicios Araújo

Com uma baixa de nove médicos e mais duas previstas para abril, o Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) está correndo risco de paralisar os atendimentos prestados à população douradense. 

De acordo com denúncia apresentada ao Dourados News, nove médicos já deixaram o atendimento de urgência médica nas ruas e agora os que restaram estão assumindo sobrecarga de trabalho para impedir prejuízo ao serviço. 

Segundo o coordenador da unidade de saúde, Jonny Alisson Santana, cerca de três médicos que tiveram contrato expirado trabalharam durante 20 dias de graça apenas para não interromper a qualidade dos atendimentos. 

Apesar de depender de qualificações específicas para o serviço de urgência e emergência nas ruas, informações com o administrativo do Samu apontam que médicos da rede pública estão sendo chamados para cumprir plantões no pronto atendimento.

Ainda segundo o departamento, os contratos não estão sendo renovados com os médicos especializados ao Samu para se encaixar na Lei de Responsabilidade Fiscal. 

O coordenador da unidade também informou que, “se a situação não mudar pode haver a paralisação do atendimento ainda nesta semana”. 

Ao todo, a unidade contava com 16 médicos divididos em escalas diárias. Com a perda dos nove primeiros, agora o Samu conta apenas com sete profissionais e em abril mais dois devem ter o contrato finalizado restando apenas cinco médicos. 

O Dourados News tentou contato com o secretário municipal de saúde através de ligação, mas não obteve retorno. 

Em fevereiro deste ano, a prefeita Délia Razuk explicou que por causa do inchaço no funcionalismo público, a gestão foi submetida a estar cumprindo as medidas que determinam a Lei de Responsabilidade Fiscal.

A intensão da chefe do executivo é que o Ministério Público dê aval para novas contratações, principalmente de médicos para lotá-los nos postos de saúde.

O município precisa até abril, reduzir 1/3 do excedente e até o final do ano para alcançar o teto legal, sob pena de Délia Razuk incorrer em improbidade administrativa.

Atualmente as despesas do funcionalismo beiram R$ 30 milhões mensais. 

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

SHOWBIZZ
Letícia Santiago exibe barriga negativa menos de três meses após parto
FORAGIDO
Polícia Federal divulga possíveis disfarces de Cesare Battisti
ESPONTANEAMENTE
João de Deus, acusado de abusos sexuais, se entrega à polícia em Goiás
TRÊS LAGOAS
Motorista perde controle e tomba carreta carregada de celulose na BR-158
IMUNIZAÇÃO
Ministério da Saúde faz alerta para vacinação em período de férias
DOF
Veículo furtado em Curitiba é recuperado a caminho do Paraguai
ESCOLA AVANI
Projeto de Extensão organiza Colônia de Férias em Dourados
OPORTUNIDADES
Concursos: 15 órgãos abrem inscrições para 409 vagas nesta segunda
TRÊS LAGOAS
Dupla invade casa e foge com objetos avaliados em R$ 60 mil
CLÁUSULA PÉTREA
Bolsonaro diz que pena de morte não será debatida em seu governo

Mais Lidas

DOURADOS
Homem morto em confronto articulava assassinato de sargento do Corpo de Bombeiros
DOURADOS
Jovem colide veículo em poste na avenida Marcelino Pires
ABORDAGEM
Homem morre após confronto com a polícia em Dourados
DOURADOS
Homem morto a facadas havia tentado separar briga de mãe e filho por R$ 30