Menu
Busca domingo, 21 de abril de 2019
(67) 9860-3221
EM DOURADOS

Populares reclamam e se mostram contra a decisão sobre PEC da maioridade penal

01 julho 2015 - 15h15

Na noite de terça-feira (30), a Câmara dos Deputados rejeitou a PEC 171/93 (Proposta de Emenda Constitucional), da redução da maioridade penal, de 18 para 16 anos [para crimes considerados graves](http://www.douradosnews.com.br/noticias/brasil/camara-rejeita-reducao-da-maioridade-penal-em-casos-de-crimes-graves). Em Dourados, populares se mostraram contra essa rejeição, alegando serem a favor da proposta devido ao grande número de crimes cometidos por menores.

Durante a votação de ontem, foram 303 votos a favor, cinco a menos que o necessário para o projeto seguir. A proposta determina que os adolescentes com 16 anos fossem punidos como adultos, ao cometerem ações como estupro, latrocínio e homicídio qualificado.

A reportagem percorreu o centro da cidade na manhã desta quarta-feira (01) e entrevistou várias pessoas em relação essa questão e todos se demostraram contra a não aprovação da proposta.

Entre elas está aposentada Maria Tozzo, 70. Ela conta que ficou decepcionada com o resultado da rejeição.

“Eu acompanhei pela mídia e fiquei muito triste, pois deveriam aprovar. São muitos crimes cometidos por menores e fica por isso mesmo. Na minha opinião, nesta idade eles sabem muito bem o que é certo ou errado e devem pagar por seus atos”, desabafa a aposentada.

A funcionária pública Valdenisi Rosa, 46, filha da aposentada, Maria, também não ficou satisfeita com a rejeição. Para ela os adolescentes não são mais crianças e se tem autoridade para votar, também podem responder pelos seus atos.

“Sou a favor e não concordei com o resultado da votação no qual resultou na rejeição. Com 16 anos tem consciência dos atos e pode responder por eles. Não rouba nem mata por impulso, isso é premeditado. Sei que o sistema penitenciário brasileiro deve melhorar e muito, mas os governantes tem ver que a medida adotada para os menores que cometerem crime não está surtindo efeito, assim como para os outros presos e isso tem que mudar”, explica Valdenisi.

Já a vendedora Fabiane Palhano, 26, disse que para ela a população também poderia participar e votar sobre a proposta, e que é a favor da redução da maioridade penal em todos os crimes cometidos.

“Deveria deixar a gente votar também, o povo é o que mais sofre com crimes cometidos por menores e correm risco o tempo todo. Os menores cometem crimes graves e nunca são punidos como deveriam, sempre passam a ‘mão’ na cabeça deles, isso não é certo tem que pagar pelo que fez”, enfatiza a vendedora.

A proposta rejeitada é uma articulação do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB), com a chamada Bancada BBB (Boi, Bala e Bíblia), que defende diversas pautas conservadoras, entre elas a redução da maioridade.

O texto rejeitado, é um substitutivo aprovado em uma Comissão Especial criada para analisar o tema. Agora seguirá para votação a proposta original, que propõe a redução da maioridade penal de 18 para 16 anos para todos os crimes.

Deixe seu Comentário

Leia Também

MS
Bebê nasce na BR-163/MS à caminho de hospital
TRAGÉDIA
Casal morre em acidente de moto próximo a Ponta Porã
BRASIL
Bombeiros resgatam a última vítima desaparecida nos escombros de desabamento na Muzema
CORUMBÁ
Jovem morre afogado em piscina de clube
ESPORTES
Algoz de brasileiro lidera premiações no UFC São Petersburgo
NOVA ANDRADINA
Polícia Militar apreende pistola de ar comprimido com jovens
BRASIL
Contratos de patrocínio da Petrobras passam por revisão, diz Bolsonaro
MUNDO
Sri Lanka: ataques a igrejas e hotéis matam 200 e ferem 400
DOURADOS
Homem é preso por embriagar três adolescentes no Jardim Guanabara
DOURADOS
Homem é preso com revólver e munições

Mais Lidas

POLÍCIA
Mulher de 41 anos é assaltada e estuprada próximo à feira-livre
DOURADOS
Indígena que morreu atropelada na MS-156 tinha 25 anos
CAARAPÓ
PF apreende quase meia tonelada de maconha em tanque de carreta
PONTA PORÃ
Homem é encontrado com as mãos decepadas na região de fronteira