Menu
Busca quarta, 14 de novembro de 2018
(67) 9860-3221
EM DOURADOS

Populares reclamam e se mostram contra a decisão sobre PEC da maioridade penal

01 julho 2015 - 15h15

Na noite de terça-feira (30), a Câmara dos Deputados rejeitou a PEC 171/93 (Proposta de Emenda Constitucional), da redução da maioridade penal, de 18 para 16 anos [para crimes considerados graves](http://www.douradosnews.com.br/noticias/brasil/camara-rejeita-reducao-da-maioridade-penal-em-casos-de-crimes-graves). Em Dourados, populares se mostraram contra essa rejeição, alegando serem a favor da proposta devido ao grande número de crimes cometidos por menores.

Durante a votação de ontem, foram 303 votos a favor, cinco a menos que o necessário para o projeto seguir. A proposta determina que os adolescentes com 16 anos fossem punidos como adultos, ao cometerem ações como estupro, latrocínio e homicídio qualificado.

A reportagem percorreu o centro da cidade na manhã desta quarta-feira (01) e entrevistou várias pessoas em relação essa questão e todos se demostraram contra a não aprovação da proposta.

Entre elas está aposentada Maria Tozzo, 70. Ela conta que ficou decepcionada com o resultado da rejeição.

“Eu acompanhei pela mídia e fiquei muito triste, pois deveriam aprovar. São muitos crimes cometidos por menores e fica por isso mesmo. Na minha opinião, nesta idade eles sabem muito bem o que é certo ou errado e devem pagar por seus atos”, desabafa a aposentada.

A funcionária pública Valdenisi Rosa, 46, filha da aposentada, Maria, também não ficou satisfeita com a rejeição. Para ela os adolescentes não são mais crianças e se tem autoridade para votar, também podem responder pelos seus atos.

“Sou a favor e não concordei com o resultado da votação no qual resultou na rejeição. Com 16 anos tem consciência dos atos e pode responder por eles. Não rouba nem mata por impulso, isso é premeditado. Sei que o sistema penitenciário brasileiro deve melhorar e muito, mas os governantes tem ver que a medida adotada para os menores que cometerem crime não está surtindo efeito, assim como para os outros presos e isso tem que mudar”, explica Valdenisi.

Já a vendedora Fabiane Palhano, 26, disse que para ela a população também poderia participar e votar sobre a proposta, e que é a favor da redução da maioridade penal em todos os crimes cometidos.

“Deveria deixar a gente votar também, o povo é o que mais sofre com crimes cometidos por menores e correm risco o tempo todo. Os menores cometem crimes graves e nunca são punidos como deveriam, sempre passam a ‘mão’ na cabeça deles, isso não é certo tem que pagar pelo que fez”, enfatiza a vendedora.

A proposta rejeitada é uma articulação do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB), com a chamada Bancada BBB (Boi, Bala e Bíblia), que defende diversas pautas conservadoras, entre elas a redução da maioridade.

O texto rejeitado, é um substitutivo aprovado em uma Comissão Especial criada para analisar o tema. Agora seguirá para votação a proposta original, que propõe a redução da maioridade penal de 18 para 16 anos para todos os crimes.

Deixe seu Comentário

Leia Também

SELEÇÃO
CBF divulga numeração para últimos amistosos do ano
FISCALIZAÇÃO
Ação contra comércio de pneus usados apreendeu produtos em lojas de Dourados e Campo Grande
LAVA JATO
Lula será interrogado hoje pela juíza que substitui Sérgio Moro
DOURADOS
Polícia faz ação em ‘favelinha’ em busca de criminosos
NOVEMBRO AZUL
'Papo Aberto' acontece nesta quarta-feira, na Unidade 2 da UFGD
TELEVISÃO
Masterchef Profissionais: André é eliminado e Paola cai em prantos
RIO BRILHANTE
Prefeito anuncia corte do próprio salário em 10%
LOTERIA
Mega-Sena pode pagar prêmio de R$ 33 milhões nesta quarta-feira
ENCONTRO
Azambuja e outros governadores se reúnem hoje com presidente eleito Bolsonaro
PALESTRA
Audiência será realizada em alusão ao mês da Consciência Negra

Mais Lidas

PEDRO JUAN
Advogada de narcotraficantes brasileiros morre após atentado na fronteira
PARAGUAI
Polícia paraguaia acredita que pistoleiros brasileiros mataram advogada
PEDRO JUAN CABALLERO
Vídeo mostra momento em que advogada é atingida por pistoleiros
FRONTEIRA
Advogada de Pavão e Marcelo Piloto é alvo de atentado com 14 tiros