Menu
Busca sexta, 22 de fevereiro de 2019
(67) 9860-3221
DOURADOS

Polícia cumpre todos os mandados de prisão em ação que investiga corrupção na Câmara

08 dezembro 2018 - 08h45Por Adriano Moretto e Osvaldo Duarte

A Polícia Civil cumpriu todos os 10 mandados de prisão dentro da Operação Cifra Negra, desencadeada na quarta-feira (5/12) e que apura esquema de corrupção e fraudes em licitações na Câmara de Vereadores de Dourados.

Cinco alvos já estão na PED (Penitenciária Estadual), são eles os vereadores Idenor Machado (PSDB), Pedro Pepa (DEM) e Cirilo Ramão (MDB), o ex-vereador Dirceu Longhi (PT) e o ex-servidor da Casa, Amilton Salina. 

Outros três permanecem no 1º Distrito Policial de Dourados, na sala reservada para a OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), aguardando transferência. 

Os mandados cumpridos foram contra o ex-assessor de Idenor, Alexsandro Oliveira de Souza, além de Denis de Maia e Jailson Coutinho, que estariam ligados às empresas envolvidas nas fraudes. Mais duas mulheres ainda não identificadas são alvos e cumprem prisão domiciliar. 

As ações ocorreram em Dourados e Campo Grande, desenvolvidas pela 16ª Promotoria e delegacia do 2º Distrito Policial. 

Cifra Negra

Na quarta-feira, os vereadores Idenor Machado (PSDB), Pedro Pepa (DEM) e Cirilo Ramão (MDB) foram presos por suspeitas de participação em fraudes em licitações dentro de um esquema que, de acordo com o Ministério Público Estadual, já dura oito anos na Câmara de Dourados. 

Além dos três, o ex-vereador Dirceu Longhi (PT) – que por anos fez parte de mesas diretoras e o ex-servidor da Casa, Amilton Salina, acabaram alvos dos mandados de prisão expedidos pela 1ª Vara Criminal local. 

Investigações 

Conforme o Ministério Público, em diversos processos licitatórios realizados dentro da Casa, empresas consideradas como ‘cartas marcadas’ se apresentavam e atuavam em conluio. 

Algumas delas, conforme o MPE, existiam apenas no papel para simular uma concorrência legal. 
“Sem a devida concorrência, os valores dos contratos oriundos destes processos se faziam exorbitantes”, diz trecho da nota. 

Propinas

Ainda de acordo com o Ministério Público Estadual, para garantir o esquema, essas empresas repassavam na época, valores aos vereadores a título de propina.  

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

ELEIÇÕES
Candidatos à Reitoria da UFGD ainda participarão de três debates
RURAL
Ministério da Agricultura prepara MP que muda inspeção sanitária
UEMS
Palestra sobre meditação será nesta sexta-feira em Dourados
LEÃO
Entrega da declaração do Imposto de Renda 2019 começa dia 7 de março
IGUATEMI
Homem é preso após simular suicídio da namorada que matou enforcada
TEMPO
Sexta-feira de sol com aumento de nebulosidade em Dourados
UAU
Bruna Griphao deixa tanquinho à mostra durante passeio na cachoeira
RORAIMA
Venezuela fecha fronteira com o Brasil no horário determinado por Maduro
BR-060
Perseguição acaba com 3 presos e caminhonete com maconha apreendida
REPASSES
Ministro do STF dá mais um ano para Congresso regulamentar a Lei Kandir

Mais Lidas

OPORTUNIDADE
Prorrogadas inscrições em processo seletivo para contratação de Assistentes de Atividades Educacionais
MAIS UM
Délia exonera secretário de Saúde e adjunta assume o posto
TURISMO
Deputado "mata" trabalho para passar nove dias em peregrinação
AMAMBAI
Homem mata a ex-mulher a facadas na frente dos sete filhos