Menu
Busca sexta, 22 de março de 2019
(67) 9860-3221
DOURADOS

PF rebate Ministério Público e diz que não há transgressões de agentes

14 março 2019 - 14h50Por Da Redação

A Superintendência da Polícia Federal em Mato Grosso do Sul rebateu o Ministério Público Federal que recorreu, nesta semana, ao Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TRF-3) contra a extinção de um processo que acusa três delegados e um de Dourados por supostos crimes cometidos contra a Comunidade da Terra Indígena Dourados-Amambaipeguá I. O fato teria ocorrido no dia 14 de junho de 2016.

De acordo com o superintendente da PF, Cléo Mazzotti, foram instaurados Inquérito Policial e procedimento disciplinar, onde ocorreram diligências investigativas para apurar toda a questão. 

“Em ambas as esferas, tanto criminal, quanto disciplinar, não foram encontradas provas de condutas delitivas e transgressões disciplinares por parte dos policiais federais. Os resultados das investigações foram, inclusive, corroborados pela decisão da Justiça Federal em primeira instância, a qual não acolheu, em decisão fundamentada, a denúncia do MPF”, diz trecho da nota encaminhada ao Dourados News

Ainda de acordo com a PF, a decisão da Justiça Federal em 1º grau foi objeto de recurso, a qual será julgado no Tribunal Regional Federal da 3ª Região. 

“É ratificada a confiança em todo o exaustivo trabalho realizado pelos policiais federais encarregados das investigações criminal e administrativa e que, atuando de forma isenta, não encontraram provas de atividades ilícitas e transgressões disciplinares, em uma Instituição que é conhecida por não ter leniência com quaisquer desvios de conduta”.

O caso

Na denúncia, o Ministério Público Federal alega que os crimes tiveram início com a gravação de ligação telefônica entre um delegado da PF e um produtor rural foragido da Justiça. 

O caso aconteceu em agosto de 2016, onde o acusado pelo MPF de crimes contra indígenas, afirma que iria se entregar.

Conforme o MPF, o acusado já possuía ordem de prisão expedida pela Justiça Federal. Durante a conversa, segundo o Ministério Público, o delegado informa ao foragido que a PF não possui qualquer inquérito contra ele.

“Isso foi o MPF, não foi a gente não (...) inclusive a nossa relação com o MPF f* de vez. Agora, vocês fazendeiros tem que se unir e bater no MPF (...). Eu vou dar a fórmula para vocês conseguirem reverter. É bater na imprensa, chamar a mídia e bater neles, que eles gostam de estar bem com a população”, disse, em nota o MP. 

Deixe seu Comentário

Leia Também

TRÁFICO
Maconha e skunk são apreendidos em Dourados
RIO BRILHANTE
Menor é apreendido na BR-163 com veículo furtado
BRASIL
Comissionado que não atender critério de idoneidade será exonerado
DOURADOS
Essência de nargilé contrabandeada é apreendida em veículo
DOURADOS
Inscrições para corrida e caminhada Ginaslouquinhos terminam hoje
POLÍCIA
Carro roubado em SP é recuperado em Dourados
MS
Decreto disciplina manejo do solo nas propriedades rurais de Bonito e Jardim
ARTIGO
S.O.S. contra o suicídio
COZINHA EXPERIMENTAL
Primeiro curso de 2019 leva receitas para eliminar toxinas do organismo
DIA MUNDIAL DA ÁGUA
Água é considerada boa em apenas 6,5% dos rios da Mata Atlântica

Mais Lidas

DOURADOS
Tripla colisão deixa dois feridos em cruzamento movimentado
DOURADOS
Universitária morre no HV quatro dias após acidente de moto
RIO BRILHANTE
Dono de oficina baleado pela manhã morre no Hospital da Vida
OPERAÇÃO PREGÃO
Investigações apontam assinatura de morta em contrato de empresa de refrigeração com prefeitura