Menu
Busca segunda, 10 de dezembro de 2018
(67) 9860-3221
EDUCAÇÃO

Pesquisa avalia doenças infeciosas na reserva indígena de Dourados

09 novembro 2017 - 09h44Por Da Redação

Um estudo realizado pela UFGD (Universidade Federal da Grande Dourados) em parceria com a UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) e a Fundação Osvaldo Cruz, está avaliando o quadro da saúde da população indígena da Reserva de Dourados, especialmente no que se refere à prevalência de infecções sexualmente transmissíveis (ISTs).

O estudo que tem apoio do Governo do estado do Mato Grosso do Sul, da Pró Reitoria de Extensão e Cultura da UFGD, Distrito Sanitário Especial Indígena de Mato Grosso do Sul (DSEI/MS), Secretaria de Saúde do estado do Mato Grosso do Sul e do Ministério da Saúde, pretende levar até esta população, melhorias em saúde.

O projeto intitulado “Estudo multicêntrico de doenças infecciosas na população indígena da reserva de Dourados, Mato Grosso do Sul, Brasil”, é coordenado pela Prof.ª Dra. Simone Simionatto, da Faculdade de Ciências Biológicas e Ambientais da UFGD, e busca estimar a prevalência de doenças infecciosas na população indígena da reserva de Dourados, bem como identificar as variáveis associadas à aquisição e ao seu desenvolvimento, com intuito de se propor futuras intervenções em saúde pública, voltadas para a realidade desta população.

“Ao todo estão sendo ofertados à população exames para dez enfermidades, bem como atividades de educação em saúde”, afirma a coordenadora da ação. Já foram realizadas duas ações, as quais permitiram o atendimento de aproximadamente 500 pacientes e realização de mais de 1.500 exames até o momento, dentre eles, sífilis, HIV, hepatite B, hepatite C e PSA. Os pacientes positivos foram encaminhados para tratamento nos serviços de referência e acompanhados pelos serviços de saúde indígena.

O projeto vem sendo construído desde 2015 em parceria com o DSEI/MS, o Polo base DSEI de Dourados e a Secretaria de Saúde do estado do Mato Grosso do Sul, buscando integrar os serviços de saúde às atividades de pesquisa, ensino e extensão previstas no projeto.
 
A proposta também abrange educação em saúde, onde profissionais da área realizam atividades educativas com o intuito de promover o acesso da população indígena às informações sobre ISTs e seus riscos à saúde humana. A ação que tem como ponto forte a integração dos docentes, discentes e profissionais de saúde indígena através de ações de educação médica continuada, busca implementar projetos e ações assistenciais e educativas de caráter corretivo, preventivo e proativo, para melhoria da saúde e qualidade de vida à população indígena. Além disso, espera-se transferir o conhecimento científico gerado na Universidade atuando de forma integrada aos serviços de saúde, promovendo à prevenção de ISTs.

"Proporcionar aos discentes a vivência em equipes multiprofissionais em saúde faz parte da educação complementar dos alunos de Graduação e Pós-Graduação da UFGD e é papel da universidade oportunizar esta troca de saberes entre acadêmicos e a população”, afirma a Prof.ª Simone.

“A PROEX através do Programa UFGD + Saúde compreende a importância da interface Pesquisa e Extensão e apoia este Projeto, pois identifica a urgência de ações efetivas dentro das Aldeias indígenas, ou seja, o conhecimento gerado sendo aplicado efetivamente nas diferentes comunidades, considerando essencialmente suas respectivas demandas, para a melhoria de qualidade de vida da população. Com essa vivência todos ganham, com uma formação mais completa e cidadã”, afirma a Pró-Reitora de Extensão e Cultura Prof.ª Juliana Carrijo Mauad.

Acredita-se que os resultados obtidos com este estudo irão contribuir para determinar a prevalência e fatores de risco associados às principais doenças infeciosas que acometem a população indígena da reserva de Dourados/MS, contribuindo na proposição de futuras intervenções em saúde pública.

A UFGD objetiva ampliar estudos sobre a temática visando apoiar ações que visem a melhoria da qualidade de vida da população indígena.

Deixe seu Comentário

Leia Também

ANTONIO JOÃO
Pai nega levar filho para comprar bebida e é morto com soco na cabeça
IMPRENSA
Sindicato dos Jornalistas da Grande Dourados completa 29 anos de luta
CORUMBÁ
Homem perde perna e braço após ser atropelado por trem
DOCUMENTO
Carteira de Motorista com chip é adiada para o final de 2022
EDUCAÇÃO
Inscrições para o Vestibular indígena Teko Arandu começam nesta segunda
FACILIDADE
Pedidos de indenização do DPVAT podem ser feitos por smartphone
BRASIL
Em diplomação, Bolsonaro pede confiança daqueles que não votaram nele
POLÍCIA
Dados da Sejusp apontam redução da criminalidade em MS neste ano
ECONOMIA
Dólar fecha em alta e sobe a R$ 3,92, com temores de desaceleração global
DINHEIRO PÚBLICO
Decreto torna mais rígida a tramitação de processos de licitação em Dourados

Mais Lidas

VIOLÊNCIA
Idosa é espancada, esfaqueada e vai parar na UTI após assalto em Dourados
DOURADOS
Criança morre no HV três dias após ser atropelada na Cachoeirinha
DOURADOS
Dupla é presa por tráfico de drogas na Vila Mariana
INVESTIGAÇÃO
Brasileira desaparecida na Austrália é encontrada morta em praia