Menu
Busca sábado, 23 de março de 2019
(67) 9860-3221
SAÚDE PÚBLICA

Sem interrupção de tratamento, queixas de pacientes com câncer despencam em Dourados

Segundo a Secretaria de Saúde, o número de reclamações na ouvidoria diminuiu quase a zero

16 abril 2018 - 11h42Por Vinicios Araújo

Após nove meses de transferência entre unidades de atendimento, o serviço de oncologia de Dourados, através do Sistema Único de Saúde (SUS), retoma seu estado de estabilidade e vem apresentando índices de progressão em relação ao convênio anterior. As reclamações na ouvidoria da Secretaria de Saúde do município despencaram nesse período. 

Em 14 de julho do ano passado, o atendimento feito através do Hospital Evangélico foi encaminhado através de processo licitatório à Cassems (Caixa de Assistência dos Servidores do Estado do Mato Grosso do Sul), com a promessa de que os pacientes continuariam a fazer os tratamentos de radioterapia, quimioterapia, cirurgias, acompanhamentos e demais procedimentos de combate ao câncer já fornecidos normalmente pelo SUS.

A equipe de reportagem do Dourados News foi até o novo prédio do CTCD (Centro de Tratamento de Câncer de Dourados), localizado sob esquina com as ruas Oliveira Marques e Edberto Celestino de Oliveira, e conversou com familiares e pacientes em tratamento.

A moradora do bairro Jardim Ouro Verde, Maria Pereira da Silva, 44, contou que faz tratamento para combater um câncer no pulmão há dois anos.

Ela chegou a ser atendida no Hospital Evangélico durante a intervenção médica. 

“A mudança pra cá não diminuiu em nada a qualidade do meu tratamento, na verdade está até melhor. A estrutura é boa também e não tive nenhuma interrupção até hoje”, relatou a paciente destacando que sempre que precisa ir até a unidade é bem recepcionada.

Abelina Pereira, 53, também é paciente oncológica. Em outubro do ano passado ela passou por cirurgia para retirar um tumor no ovário.

Na época o procedimento foi feito no Hospital da Vida em razão dos trâmites de adequação da transferência entre unidades hospitaleres. A douradense contou que o procedimento foi feito com muita qualidade e também avaliou de maneira positiva o serviço prestado pela Cassems e CTCD. 

“A gente tem medo, as vezes sente mal-estar, mas sabe que vai passar” comentou a paciente esperançosa com os resultados da luta contra a doença.

PREFEITURA

Para o secretário municipal de Saúde, Renato Vidigal, a Prefeitura Municipal alcançou o objetivo esperado com a transferência, que era manter a qualidade do atendimento com economia aos cofres públicos do município.

Ele relembrou que no antigo convênio a prefeitura tinha a necessidade de participação no repasse financeiros e que agora, o atendimento foi otimizado e apenas com recursos federais da tabela SUS.

Na época de concessão ao Hospital Evangélico, impasses financeiros aconteciam com frequência por conta do rombo milionário do centro médico daquela unidade hospitalar e quem pagava a conta eram os pacientes.

O Dourados News chegou a noticiar em 2016 a interrupção dos atendimentos à 128 pacientes com câncer por causa da crise financeira. 

Renato também destacou a redução dos índices de reclamação na ouvidoria da Secretaria de Saúde.

“Temos registros de diminuição quase a zero no número de reclamações dos usuários do SUS no tratamento oncológico, e isso prova que valeu a pena enfrentar todos os processos de transferência”. 

Médico oncologista David VieiraPara o médico oncologista, David Rodrigues Infante Vieira, membro da diretoria do CTCD, a mudança de convênio oportunizou aos pacientes do serviço público o padrão de qualidade da Cassems destinados aos convênios particulares. Ele reiterou o compromisso da unidade com o tratamento de câncer adequado e humanizado. 

Até dezembro de 2017 o atendimento feito no prédio novo era realizado no Hospital da Vida. 
“Essa estrutura nova está sendo adequada. Estamos com obras de ampliação da recepção e mesmo com essa necessidade, podemos perceber a satisfação dos nossos pacientes.”

David ressaltou que as situações precárias já registradas anteriormente no HE, como, falta de insumos, atrasos salariais e impasses financeiros não se repetiram com a nova concessão. 

“Para o usuário do SUS foi um ganho. Agora, a Cassems garante a esses pacientes a qualidade padrão oferecidas aos usuários de convênios particulares” afirmou.

O levantamento mais recente, aponta que 620 pacientes foram atendidos em fevereiro pelo Hospital Cassems e CTCD entre setor ambulatorial e hospitalar.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

SHOWBIZZ
Após cirurgia, Cleo Pires exibe corpão, faz dancinha e rebate seguidor
TRÊS LAGOAS
Mulher que entrou em briga de casal e matou homem diz que foi acidente
FUTEBOL
Aquidauanense vence o Operário na abertura das quartas do Estadual
DOURADOS
Agehab vai aos bairros para regularização de loteamentos sociais
PONTA PORÃ
Adolescente é apreendida com maconha que levaria para São Paulo
LUTO
Ator e diretor Domingos Oliveira morre aos 83 ans no Rio de Janeiro
FUTEBOL
Paquetá marca, mas Brasil só empata com Panamá em amistoso
BRASIL
Caminhoneiros se mobilizam para nova paralisação, mostra monitoramento
IVINHEMA
Médico veterinário morre em acidente de moto na MS-276
CICLISMO
Desafio das Araras de Mountain Bike abre inscrições para 2ª etapa

Mais Lidas

HU
Dengue hemorrágica causa morte de menino de 11 anos em Dourados
LUTO
Fundadora da ADL, Ruth Hellman morre em Dourados
DOURADOS
Protesto contra a Reforma da Previdência leva centenas ao Centro
DOURADOS
Trio que matou e roubou cabeleireiro é condenado a 62 anos de cadeia