Menu
Busca quinta, 23 de maio de 2019
(67) 9860-3221
DOURADOS

Mutirão levará atendimentos em saúde à aldeia Jaguapiru

25 outubro 2017 - 17h20

No dia 10 de novembro será realizada a primeira edição da ação Ebserh Solidária, iniciativa que tem por objetivo levar atendimentos em saúde a comunidades em situação de vulnerabilidade social. Serão oferecidas consultas, exames e ações educativas a milhares de pacientes, com participação dos 39 hospitais universitários federais filiados à Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh).

Em Dourados, o Hospital Universitário da Universidade Federal da Grande Dourados (HU-UFGD), em parceria com a UFGD e a Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai), fará atendimentos na aldeia Jaguapiru, deslocando ao local parte de sua estrutura assistencial e colaboradores, acadêmicos e residentes que atuam em diversas áreas.

De acordo com a Sesai, são mais de 850 procedimentos em espera na fila da regulação, entre consultas, exames e cirurgias. O objetivo, de acordo com a superintendente do HU-UFGD, Mariana Croda, é fazer dessa ação o impulso inicial para zerar a demanda até o final do ano.
“Tanto no dia 10 de novembro, como nas semanas que antecedem e sucedem o mutirão, vamos priorizar nossos atendimentos para a população indígena. Trata-se de um esforço coletivo para que os casos levantados como prioritários pela Sesai, sejam de alguma forma analisados e resolvidos”, afirma a gestora.

A ação será feita em formato de mutirão, na Escola Indígena Tengatui Marangatu, e vem sendo articulada junto à Sesai para possibilitar a realização de consultas e exames, tanto na aldeia como no HU (no caso de estruturas que não podem ser transportadas até o local do mutirão). Além disso, serão ofertadas atividades educativas em saúde sobre diversos temas, voltadas a toda a comunidade do local, e momentos de recreação para crianças e adolescentes, organizados em parceria com a Unigran.

Serão atendidos pacientes indígenas das aldeias Jaguapiru, Bororó, Panambizinho e de acampamentos próximos. Os procedimentos incluirão consultas médicas em ginecologia, oftalmologia, otorrinolaringologia, pediatria e análise de risco cirúrgico para quem já possui indicação de cirurgia eletiva. Na área de diagnóstico, serão feitos exames laboratoriais e de imagem, entre eles ultrassonografia, raio-X, tomografia, além de eletrocardiogramas. Também haverá atendimentos em odontologia, fonoaudiologia e fisioterapia.

Deixe seu Comentário

Leia Também

SHOWBIZZ
Kelly Key relembra baixa autoestima após gravidez: "Não me achava bonita"
NOVA ANDRADINA
Ciclista morre após ter a cabeça esmagada por carreta
PRAZO
Justiça determina que Bolsonaro indenize Maria do Rosário em 15 dias
CAPITAL
Outros 2 guardas municipais são presos em investigação sobre arsenal
RIO DE JANEIRO
Tribunal decide libertar os militares que fuzilaram carro de músico
CONTRABANDO
Após perseguição, Polícia apreende 7,5 mil pacotes de cigarros
POLÍTICA
Bolsonaro volta a defender mudanças na CNH e fim dos radares
CAMPO GRANDE
Jovem grávida é agredida, desmaia e acorda sendo estuprada
UNIGRAN
Jornada de Psicologia vai abordar trajetos e conquistas em 20 anos de história
MEIO AMBIENTE
Conciliação: danos ao Rio da Prata serão reparados por responsáveis

Mais Lidas

POLÍCIA
Após pescaria, marido encontra desconhecido na frente de casa e ameaça mulher com arma em Dourados
DOURADOS
Preso em operação estava sob monitoramento por assalto
PEDRO JUAN
Três suspeitos de chacina na fronteira são presos pela polícia paraguaia
PEDRO JUAN
Seis morrem e uma criança fica ferida após ataque de pistoleiros na fronteira