Menu
Busca quarta, 19 de junho de 2019
(67) 9860-3221

Murilo espera que conflito agrário seja resolvido pela paz

26 maio 2011 - 15h07

Ao participar na manhã desta quinta-feira (26) do seminário sobre questões fundiárias promovido pelo CNJ (Conselho Nacional de Justiça), no auditório da Unigran, o prefeito de Dourados Murilo Zauith destacou que a paz deve ser o principal fator a ser buscado na tentativa de soluções para os conflitos agrários envolvendo índios e proprietários rurais.



O prefeito entende que são situações que devem ser solucionadas o mais rápido possível, mas sem violência e, com bom senso, evitando prejuízos para ambos os lados. O evento é uma realização do CNJ com apoio da prefeitura.



Murilo agradeceu por Dourados ter sido escolhida pelo CNJ para a realização desse importante evento, principalmente no momento em que a grande discussão gira em torno das demarcações de terras indígenas.



O prefeito esteve ao lado de diversas autoridades, como do governador André Puccinelli e do presidente da Funai Márcio Meira e destacou especialmente a presença da ministra corregedora do Conselho Nacional de Justiça, Eliana Calmon, e do ministro Luís Inácio Lucena Adams, advogado-geral da União.



Murilo recepcionou as autoridades no aeroporto municipal e acompanhou toda a programação do seminário no período da manhã.



Com eles e com o presidente do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul, Luiz Carlos Santini, o prefeito participou de uma reunião antes do início do evento, quando foram dados encaminhamentos a outras questões relacionadas à área indígena.



Para o prefeito, a presença das maiores autoridades do Judiciário em Dourados e, de outros segmentos ligados às duas partes envolvidas na questão, demonstra a preocupação de todos os poderes com o assunto e, a vontade de impedir que ocorram atos de violência. Segundo ele, se chegar a ponto de um confronto o prejuízo seria ainda para maior para todos os lados.



O prefeito esteve ao lado de diversas autoridades, como do governador André Puccinelli e do presidente da Funai Márcio Meira e destacou especialmente a presença da ministra corregedora do Conselho Nacional de Justiça, Eliana Calmon, e do ministro Luís Inácio Lucena Adams, advogado-geral da União.



Com eles e com o presidente do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul, Luiz Carlos Santini, o prefeito participou de uma reunião antes do início do evento, quando foram dados encaminhamentos a outras questões relacionadas à área indígena.

Deixe seu Comentário

Leia Também

SHOWBIZZ
Em cenário paradisíaco, Letícia Lima brinca: "estou insuportável"
CAMPO GRANDE
Mãe procura rapaz de 21 anos que desapareceu no último sábado
UEMS
Estão abertas as inscrições para o Programa de Mobilidade Nacional
JUSTIÇA
Homem é condenado por esfaquear mulher e terá que pagar R$ 8 mil
TRÂNSITO
Mais de 233 mil veículos devem passar pela BR-163 no feriado
POLÍTICA
Cinco partidos de oposição anuncia obstrução à reforma da Previdência
DIA 24
Luiza Brunet será empossada embaixadora do Mãos EmPENHAdas
RURAL
Plano Safra terá R$ 225,59 bilhões em créditos para agricultores
CAMPO GRANDE
Mulher vai ao salão de beleza e quando sai encontra veículo incendiado
POLÍTICA
Senado aprova parecer que pede suspensão dos decretos das armas

Mais Lidas

FATALIDADE
Corpo de douradense é encontrado no rio Aquidauana
DOURADOS
Perseguição na Coronel Ponciano termina com homem preso e apreensão de mais de 700kg de maconha
PARAGUAI
Homem escapa de sequestro, mas acaba executado por pistoleiros em posto
RESERVA INDÍGENA
Dois são presos suspeitos pelas mortes de tio e sobrinho em Dourados