Menu
Busca segunda, 17 de junho de 2019
(67) 9860-3221
APÓS ADIAMENTO DE PROVA

MPF recomenda que IFMS não restrinja caráter competitivo de novos concursos

22 maio 2019 - 16h05Por Da redação com MPF

Um problema de impressão no caderno de provas do concurso público para o cargo de Técnico de Agropecuária do Instituto Federal de Mato Grosso do Sul (IFMS) fez com que a data da prova, 20 de janeiro, fosse adiada para 17 de fevereiro. Contudo, apenas os candidatos inscritos que compareceram ao local do concurso na primeira data foram informados sobre o adiamento (ou a possibilidade de solicitar a devolução da taxa de inscrição). Os demais, que poderiam realizar as provas em virtude da remarcação, não foram contatados.

Para a Procuradoria Regional dos Direitos do Cidadão (PRDC), sob o prisma da Administração Pública, seria mais vantajoso permitir que todos os candidatos inscritos pudessem realizar a prova remarcada. “Isso traria um número maior de candidatos, possibilitando a seleção dos mais capacitados para integrar o serviço público e, consequentemente, concretizando os princípios da competição e eficiência”.

Questionado, o IFMS informou ao MPF que apenas os candidatos que compareceram à primeira data, assinaram uma lista de presença e, posteriormente, preencheram um formulário encaminhado por e-mail no prazo estabelecido puderam realizar a prova. Para a instituição de ensino, permitir que os candidatos ausentes realizassem a prova na nova data acarretaria em uma situação “injusta e não isonômica”.

Para o MPF, a Administração Pública não pode atuar observando apenas a perspectiva dos candidatos que compareceram no dia inicialmente marcado. O interesse privado não pode prevalecer sobre o interesse público. 

Além disso, o MPF cita que nada impediria os candidatos que compareceram na primeira data a buscar a solução de suas pretensões junto à Justiça, caso se sentissem lesados em seu direito patrimonial em virtude de gastos com deslocamento e afins.

Como o resultado do concurso para o cargo de Técnico de Agropecuária foi homologado no dia 30 de abril, o MPF não recomendou a anulação do certame, visto que a homologação resulta na estabilização das relações jurídicas e no direito à nomeação dos candidatos aprovados. No entanto, deve haver uma atuação preventiva por parte do IFMS para que os próximos concursos ocorram de forma a possibilitar o amplo acesso à realização do certame e impedir possíveis lesões aos direitos coletivos dos candidatos inscritos.

A recomendação explicita que, nos próximos concursos públicos a serem realizados para fins de contratação de professores e demais carreiras, o IFMS abstenha-se de proceder a qualquer tipo de restrição ao caráter competitivo do certame não prevista em lei, notadamente a restrição ao universo de candidatos aptos a realizar as provas em virtude de eventual adiamento ou remarcação de datas anteriores, devendo as provas serem aplicadas a todos os inscritos.

Ao IFMS é concedido o prazo de 15 dias úteis, a partir do recebimento, para informar se acatará os termos da recomendação e comprovar as medidas adotadas.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

FAMOSOS
Luísa Sonza se esquiva sobre saúde de Whindersson em encontro com a imprensa
BRASÍLIA
Conselho de Comunicação analisa pacote anticrime e liberdade de imprensa
CULTURA
Festival traz a Bonito espetáculos de dança, Bossa Nova e performances contemporâneas
POLÍCIA
Bolivianos tentam passar pela fronteira com cocaína e acabam presos
INTERNACIONAL
Apagão atinge 47,4 milhões de pessoas na Argentina e no Uruguai
ESPORTE
Com página virada, Seleção Feminina faz primeiro treino em Lille
CAMPO GRANDE
Arrastão e pancadaria em saída de festa termina com 6 adolescentes na delegacia
POLÍTICA
Presidente do BNDES pede demissão após críticas de Bolsonaro
SAÚDE
Em agosto, Governo do Estado e Hospital Regional reativam serviço de cirurgias bariátricas
RODA DE CONVERSA
Encontro reúne pessoas com ideias inovadoras em Dourados

Mais Lidas

POLÍCIA
Casal contratado para levar maconha até Campo Grande é preso em Dourados
FURTO
Jovem é preso enquanto furtava bicicleta dentro de residência em Dourados
ASSALTO
Pastor marido de deputada federal é executado no Rio
POLÍCIA
Após cinco mortes em uma semana, órgãos realizam operação na reserva indígena de Dourados