Menu
Busca quarta, 21 de fevereiro de 2018
(67) 9860-3221
DOURADOS

MP pede condenação de vereador por "atrapalhar" investigação

31 outubro 2017 - 09h42Por Adriano Moretto

O MPE (Ministério Público Estadual) ingressou com ação civil pública pedindo a condenação do ex-presidente da Câmara Municipal de Dourados, vereador Idenor Machado (PSDB), pela reparação por danos morais coletivos e multa, no valor de mais de R$ 669 mil. 

De acordo com o promotor de Justiça Ricardo Rotunno, titular da 16ª Promotoria de Justiça do município, em 2011, enquanto presidente da Casa, Idenor determinou a exclusão de dados do sistema de informação, mediante a utilização do software CCleaner, para impossibilitar o acesso do Ministério Público Estadual às informações necessárias que comprovariam a prática dos crimes apurados pela Operação Câmara Secreta.

A ação foi desencadeada pelo Gaeco (Grupo de Atuação de Combate ao Crime Organizado) em 2011 e consistia num esquema fraudulento de empréstimos consignados na Câmara do município. Na época, os vereadores Sidlei Alves e Júnior Teixeira, além de assessores parlamentares e servidores da Casa, acabaram presos pelos policiais do Grupo. 

De acordo com o promotor, nas investigações sobre os crimes, alguns edis tinham acordado em não encaminhar ao Ministério Público a documentação requisitada referente aos holerites dos funcionários e dos vereadores do legislativo municipal com propósito de evitar a cassação de outros membros da Casa.

Ainda de acordo com a promotoria, descoberta a prática e iniciadas investigações pelo Ministério Público, Idenor Machado teria determinado a exclusão de dados solicitados pelo promotor, dos sistemas de informação da Câmara Municipal, no intuito de dificultar a comprovação dos ilícitos.

Diante das irregularidades, a 16ª Promotoria de Justiça pediu a condenação do vereador, pela reparação por danos morais coletivos no valor de R$ 50 mil a ser recolhido ao Fundo de Defesa e de Reparação Interesses Difusos Lesados, além do pagamento de multa civil no valor de R$ 619.203,00 correspondente a cem vezes o valor da remuneração recebida na época, bem como a perda do cargo e/ou função pública do requerido, sem prejuízo da suspensão dos direitos políticos e a proibição de contratar com o poder público.

O Dourados News entrou em contato com Idenor Machado que se disse surpreso com o pedido do MPE. "Realmente eu estou surpreso", contou. "Vou procurar me defender, não sei o motivo desse pedido", relatou.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

BRASILEIRÃO
Novo e Corumbaense conhecem adversários na Série D
LOTERIA
Mega-Sena pode pagar prêmio de R$ 3 milhões nesta quarta-feira
MEIO AMBIENTE
Pecuarista é autuado em R$ 24 mil por desmatamento ilegal de vegetação
PRORROAÇÃO
Polícia Federal pede mais 60 dias para concluir investigação sobre Temer
RESIDENCIAL ROMA
Criança fica ferida ao cair de prédio em Dourados
POLÍTICA
Senado aprova decreto presidencial de intervenção no Rio de Janeiro
TRÊS LAGOAS
Mulher sequestra e agride ex por vingança, após fim de relacionamento
TEMPO
Quarta-feira de sol com algumas nuvens em Dourados; não chove
OUSADIA
Ex-BBB Mayra Cardi posa de topless na cama: "livre de alma"
PIAUÍ
Jovem morre enquanto usava celular ligado na tomada

Mais Lidas

FÁTIMA DO SUL
Bombeiros farão buscas por mulher que se recusou a entrar em casa
FRONTEIRA
Assaltante morre após trocar tiros com a polícia
DOURADOS
“Chorei muito, perdi o pouco que tinha”, diz pedreiro após incêndio em barraco
DOURADOS
Igreja é arrombada e ladrão leva eletrônicos equipamentos de som