Menu
Busca sábado, 19 de janeiro de 2019
(67) 9860-3221
DOURADOS

MP pede condenação de vereador por "atrapalhar" investigação

31 outubro 2017 - 09h42Por Adriano Moretto

O MPE (Ministério Público Estadual) ingressou com ação civil pública pedindo a condenação do ex-presidente da Câmara Municipal de Dourados, vereador Idenor Machado (PSDB), pela reparação por danos morais coletivos e multa, no valor de mais de R$ 669 mil. 

De acordo com o promotor de Justiça Ricardo Rotunno, titular da 16ª Promotoria de Justiça do município, em 2011, enquanto presidente da Casa, Idenor determinou a exclusão de dados do sistema de informação, mediante a utilização do software CCleaner, para impossibilitar o acesso do Ministério Público Estadual às informações necessárias que comprovariam a prática dos crimes apurados pela Operação Câmara Secreta.

A ação foi desencadeada pelo Gaeco (Grupo de Atuação de Combate ao Crime Organizado) em 2011 e consistia num esquema fraudulento de empréstimos consignados na Câmara do município. Na época, os vereadores Sidlei Alves e Júnior Teixeira, além de assessores parlamentares e servidores da Casa, acabaram presos pelos policiais do Grupo. 

De acordo com o promotor, nas investigações sobre os crimes, alguns edis tinham acordado em não encaminhar ao Ministério Público a documentação requisitada referente aos holerites dos funcionários e dos vereadores do legislativo municipal com propósito de evitar a cassação de outros membros da Casa.

Ainda de acordo com a promotoria, descoberta a prática e iniciadas investigações pelo Ministério Público, Idenor Machado teria determinado a exclusão de dados solicitados pelo promotor, dos sistemas de informação da Câmara Municipal, no intuito de dificultar a comprovação dos ilícitos.

Diante das irregularidades, a 16ª Promotoria de Justiça pediu a condenação do vereador, pela reparação por danos morais coletivos no valor de R$ 50 mil a ser recolhido ao Fundo de Defesa e de Reparação Interesses Difusos Lesados, além do pagamento de multa civil no valor de R$ 619.203,00 correspondente a cem vezes o valor da remuneração recebida na época, bem como a perda do cargo e/ou função pública do requerido, sem prejuízo da suspensão dos direitos políticos e a proibição de contratar com o poder público.

O Dourados News entrou em contato com Idenor Machado que se disse surpreso com o pedido do MPE. "Realmente eu estou surpreso", contou. "Vou procurar me defender, não sei o motivo desse pedido", relatou.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

FÉRIAS
Sob efeito do álcool, afogamentos são comuns até para quem sabe nadar
CAMPO GRANDE
Bandidos que morreram em confronto com a polícia são identificados
INTERNACIONAL
Explosão de oleoduto no México deixa pelo menos 20 mortos
OPORTUNIDADE
Projovem Urbano está com processo seletivo aberto para profissionais da área de educação
IVINHEMA
Homem denuncia roubo e moto é recuperada rapidamente
SEGURANÇA PÚBLICA
Ação policial "sitia" fronteira para evitar ataques criminosos
BRASIL
"Estou do lado da verdade", diz repórter que acusa Datena de assédio sexual
DOURADOS
Empresários pedem melhorias na geração de energia no Distrito Industrial
FUTEBOL
São Paulo e Santos entram em campo hoje no início do Paulistão
DOURADOS
Movimento prepara “carta de cassação” contra vereadores investigados por corrupção

Mais Lidas

POLÍCIA
Rapaz é preso acusado de realizar ‘disk-droga’ em Dourados
DOURADOS
Investigado por corrupção, Idenor Machado volta a ser preso
FAKE NEWS
Eleandro Passaia é chamado para depor em caso de morte de jogador Daniel
DOURADOS
Consumidores reclamam dos valores nas contas e prometem protesto contra a Energisa