Menu
Busca quinta, 19 de setembro de 2019
(67) 9860-3221
MANIFESTAÇÃO

Movimento pede veto a projeto de lei sobre abuso de autoridade em Dourados

19 agosto 2019 - 16h35Por Da redação

Na tarde desta segunda-feira (19), manifestantes reunidos em frente a sede do MPE (Ministério Público Estadual) em Dourados, reivindicaram veto ao Projeto de Lei n°7.596 de 2017, por parte do presidente da república Jair Bolsonaro (PSL). A pauta foi aprovada recentemente no Senado e na Câmara dos Deputados e seguirá para sanção ou veto de Bolsonaro.

Membros do Coised Conselho Institucional de Segurança de Dourados, composto por representantes dos Ministérios Público Estadual e Federal, Polícia Civil, Polícia Militar, Polícia Federal, DOF (Departamento de Operações de Fronteira), Defron (Delegacia de Repressão aos Crimes de Fronteira), Corpo de Bombeiros, PRF (Polícia Rodoviária Federal), PRE (Polícia Rodoviária Estadual), Receita Federal, Exército, IML (Instituto Médico Legal), Núcleo de Perícia, PED (Penitenciária Estadual de Dourados) “cruzaram os braços” em frente a sede do MPE. 

Para o promotor de Justiça, João Linhares, o projeto “aborda crimes de maneira vaga, sendo que em determinadas situações, os policiais, os membros do Ministério Público e os juízes estarão sujeitos a perseguições políticas ou de criminosos poderosos processados, quando não atenderem os interesses deles”.

Linhares aponta que os manifestantes notam falta de clareza no texto apresentado, o que abre margem ao subjetivismo, de forma a levar insegurança aos profissionais.   

“O enunciado penal deve ser objetivo, deve ser claro, não deve dar margens a posições subjetivas. É isso que se questiona nesse projeto que a pretexto de combater o abuso de autoridade, em verdade limita o combate a corrupção”, enfatizou. 

Os manifestantes solicitam que o PL n°7.596 de 2017 seja vetado na íntegra. 

A juíza da 1 Vara de Família e Sucessões de Dourados, também avalia que o texto aprovado pelo Senado e Câmara dos Deputados dá margem ao subjetivismo e que deveria ser melhor debatido, de forma democrática e com respeito aos direitos dos cidadãos. 

O Projeto de Lei 7.596 de 2017 dispõe sobre os crimes de abuso de autoridade e altera a Lei nº 7.960, de 21 de dezembro de 1989, a Lei nº 9.296, de 24 de julho de 1996, a Lei nº 8.069, de 13 de julho de 1990, e a Lei nº 8.906, de 4 de julho de 1994.

Conforme texto, “trata-se de Projeto de Lei que institui novo marco legal para os crimes de abuso de autoridade e revoga integralmente a lei 4.898 de 1965, que disciplina a matéria atualmente. Além disso promove alterações nas Leis de Prisão Temporária e de Interceptação Telefônica e no Estatuto da Ordem dos Advogados do Brasil. 

Destacamos, inicialmente, o amplo alcance das normas do projeto, que define como sujeito ativo do crime de abuso de autoridade, todo e qualquer agente público, servidor ou não, inclusive militares e ocupantes do cargo eletivo. 

[...]O PL n° 7596/17 dispõe, ainda, sobre os efeitos da condenação por crime de abuso de autoridade, ao tornar certa a obrigação de indenizar o dano causado pelo crime e prever, para os reincidentes, a perda do cargo e a inabilitação para o exercício de cargo público por 1 a 5 anos, penalidades que devem ser declaradas motivadamente na sentença. 

Acesse o texto na íntegra clicando aqui

Para o promotor de Justiça, João Linhares, toda a sociedade será impactada negativamente, caso o texto seja aprovado por Bolsonaro. 

 “Num momento que a população clama, para que haja mais e mais apuração sobre crimes organizados, sobre corrupção para que organizações sejam desbaratadas, para que o Estado seja forte para aplicação da lei a todos, vem uma lei que reverte esse quadro e que na verdade torna réus os juízes, os promotores e os policiais”, frisou.

Atos semelhantes de reivindicação de veto ao PL aconteceram a nível nacional e em várias cidades de Mato Grosso do Sul. 

O Coised informou que os próximos passos diante desta reivindicação estão sendo traçados pela categoria.  

 

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

BRASIL
Alvo da PF, Bezerra põe o cargo de líder do governo no Senado à disposição
CRIME AMBIENTAL
Grupo é multado em quase R$ 300 mil por desmatamento ilegal
QUEIMADAS
MS recebe suporte do Governo Federal para combate aos incêndios
TEMPO
Pancada de chuva não ameniza e ‘calorão’ continua em Dourados
BRASIL
Maia diz que Fundo Eleitoral é necessário para equilibrar campanhas
COETRAE-MS
Comissão para tratar da erradicação do trabalho escravo é instituída em MS
DOURADOS
Seminário sobre suicídio e violência na população LGBTs+ contou com três palestras nesta quinta
MS
Homem é autuado em R$ 107 mil por desmatamento ilegal
BRASIL
Aluno de 14 anos esfaqueia professor em escola na zona leste de SP
SELEÇÃO BRASILEIRA
Tite chama amanhã jogadores para amistosos de outubro

Mais Lidas

DOURADOS
De assaltante frustrado a autor de furto, jovem agora é apontado como assassino frio e cruel
DOURADOS
“Terror”: Empresário foi agredido e ameaçado de morte durante roubo de joias
CRIME BRUTAL
Após matar pai e filho, assassino arrancou cérebro de menor e manteve fogo aceso para queimar corpos
DOURADOS
Interno foge da PED durante trabalho de manutenção