Menu
Busca terça, 23 de outubro de 2018
(67) 9860-3221
UBER E OUTROS

Associação comemora forma de regulamentação dos aplicativos de carona

01 novembro 2017 - 10h27Por Guilherme Pires

Os motoristas de  veículos que atendem aplicativos de carona em Mato Grosso do Sul comemoram a aprovação do Senado do PLC (Projeto de Lei da Câmara) 28/2017, que regulamenta dispositivos como Uber, Cabify e 99, segundo o presidente da Apllic (Associação dos Parceiros de Aplicativos de Transporte de Passageiros e Motoristas Autônomos de Mato Grosso do Sul), Paulo Pinheiro.

Com 46 fotos a favor e 10 contrários, a emenda teve dois pontos principais rejeitados, sendo a não obrigatoriedade da placa vermelha, já que se trata de veículos privados e o fato do carro não precisar estar no nome do motorista. 

Paulo disse ainda acreditar que a Câmara aceitará a medida com esses dois itens citados, conforme aprovado no Senado.  “Acredito que embora o PLC passará pelos deputados novamente, teremos a sanção do presidente Michel Temer”, diz.

Paulo mencionou ainda que esse modelo de transporte é uma evolução. “Os aplicativos de transporte privado vieram para ficar, é uma inovação e evolução para a sociedade; nós comemoramos a vitória, porém os maiores beneficiados é a população”, afirma.

Outros dois pontos destacados pelo presidente, é estar normalizado perante a lei e ainda os taxistas, que conforme ele informou, não pode ser esquecido. “É gratificante saber que estamos regulamentados perante a Constituição Brasileira, não esquecendo e nem desmerecendo os taxistas que também são pais de família”, conclui.

Em Dourados, o único aplicativo de carona em funcionamento é o Uber.

O PLC/28/2017

Aprovado na noite de ontem (31), a emenda teve duas principais alterações, como citado no início da reportagem, em que foi retirado e exigência da chamada placa vermelha e a não necessidade dos motoristas serem donos dos veículos utilizados no serviço. A proposta ainda será analisada novamente pelos deputados.

Tendo duas emendas sido aprovadas e acolhidas pelo Senador Eduardo Lopes (PRB-RJ), outras duas foram rejeitadas, sendo uma delas, o valor que limitava a 05%, o preço cobrado pelas empresas. O texto-base, como também já citado, foi aprovado com 46 votos favoráveis e 10 contras. Depois da análise, o próximo passo deve ser a aprovação do Presidente Michel Temer.

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

SHOWBIZ
Talitha Morete, repórter do "Mais Você", exibe boa forma em praia carioca
ANHANGUERA
Palestra do BNDES chega a Dourados na próxima quarta-feira
FRONTEIRA
Dois são presos acusados de invadirem agência de cooperativa de crédito
RURAL
Produtores de MS já plantaram mais da metade da nova safra de soja
PARAGUAI
Homem sofre atentado a tiros e morre a caminho do hospital
PRÁTICA ABUSIVA
Tim é multada em R$ 50 milhões por "derrubada" de chamadas
EDUCAÇÃO
Professor apresenta projetos de pesquisa da UEMS em Nova York
IMBRÓGLIO
O que se sabe sobre a troca de tiros entre policiais de Minas e São Paulo
UFGD
Estudantes de Artes Cênicas convidam para 1ª Mostra NAC
CONCURSO
Marinha abre inscrições para cerca de 400 vagas a oficiais temporários

Mais Lidas

OPERAÇÃO SATURAÇÃO
Megaoperação cumpre dezenas de mandados de prisão em Dourados
DOURADOS
Ação contou com apoio de 4 delegacias da Capital e cumpriu mais de 40 mandados de prisão
DOURADOS
Dupla é presa suspeita de pelo menos 30 furtos em comércios
SIDROLÂNDIA
Homem é preso em Dourados pela morte de idoso em assentamento