Menu
Busca quinta, 22 de fevereiro de 2018
(67) 9860-3221
Clube Indaiá - Janeiro 2018
FIP

Marçal lamenta corte de verba para cultura em Dourados

14 fevereiro 2018 - 14h50

O vereador Marçal Filho (PSDB) lamenta a postura da prefeitura de Dourados ao cancelar edital de projetos culturais do Fundo de Investimentos à Produção Artística e Cultural de Dourados (FIP). Os projetos já estavam inscritos e artistas aguardavam com ansiedade o resultado do certame para pôr em prática trabalhos e atividades ao longo de 2018.

Sob a justificativa de "falta de recursos financeiros e orçamentários para financiar os projetos culturais aprovados", a prefeitura divulgou em Diário Oficial no dia 9, o cancelamento do edital. Presidente da Comissão de Cultura na Câmara Municipal, Marçal vai cobrar mais explicações da administração municipal.

Estava previsto um total de R$ 391.200 de recursos para o FIP dos calendários 2017 e 2018. Essa tinha sido a primeira vez na história da cultura douradense que houve a soma de recursos de dois exercícios, unindo as verbas de R$ 195.600 de cada ano. No entanto, a prefeitura decidiu cancelar tudo, pondo fim o sonho de 24 artistas e produtores culturais que concorriam aos recursos.

A advogada, produtora cultural e poetisa Odila Lange, do Fórum Permanente de Cultura, disse que o cancelamento do edital joga por terra todo um trabalho de elaboração de projetos, bem como o trabalho de vários membros das comissões de avaliação,desrespeitando a classe cultural, o povo douradense e até o poder Legislativo que aprovou a dotação orçamentária da cultura.

Dourados com importante destaque no cenário cultural sul-mato-grossense, diante da diversidade de profissionais atuantes em diferentes áreas, o recurso de R$ 195,6 mil anual representa investimento inferior a um real por habitante do município. "Já era um recurso bem menor que o necessário e agora o pouco que tinha foi cortado", lamenta o vereador Marçal.

Conforme o edital cancelado, os artistas disputavam no FIP a seis projetos de R$ 25 mil, três de R$ 20 mil, sete de R$ 15 mil, sete de R$ 10 mil e um projeto de R$ 6.200, totalizando R$ 391.200 mil para os 24 projetos.

Sem esses recursos, artistas e produtores culturais ficam sem apoio para levar arte à comunidade. Marçal diz que a cultura precisa ser valorizada de forma que possa atender bairros e escolas. O parlamentar lembra que Dourados tem artistas nas mais diferentes áreas, como artes cênicas, artes plásticas, audiovisual, artesanato, folclore, literatura, música, dança e que possui cursos universitários que formam profissionais na arte, capazes de desenvolver e de transformar a cidade se fossem valorizados.

Deixe seu Comentário

Leia Também

Solteira, Dani Sperle posa nua e diz o que homem precisa para conquistá-la
JUSTIÇA
Empresa de telefonia deve ressarcir consumidor por cobrança ilegal
ACOMPANHAMENTO
Comissão de senadores vai fiscalizar intervenção federal no Rio de Janeiro
PARAGUAI
PRF intercepta carregamento de cigarros contrabandeados na BR-163
TESTE
Celular pirata habilitado a partir de amanhã no DF será bloqueado em maio
REUNIÃO
Governo define estratégias de segurança para a cidade de Três Lagoas
CORUMBÁ
Homem espancado no carnaval morre após ficar 9 dias internado
BUROCRACIA
Senado aprova projeto para simplificar certidão de débitos tributários
APOIO
Militares auxiliam atingidos por enchentes e resgata cutia em Aquidauana
INÉDITO
Brasileira passa à final da patinação artística na Coreia do Sul

Mais Lidas

DESAPARECIDA
Corpo encontrado no rio Dourados é de Débora Dias
RESIDENCIAL ROMA
Criança fica ferida ao cair de prédio em Dourados
ESTRELA PORÃ
Polícia fecha “boca” que abastecia região Oeste de Dourados
DOURADOS
Gaeco cumpre mandados em nova ação contra o tráfico