Menu
Busca segunda, 20 de agosto de 2018
(67) 9860-3221
FIP

Marçal lamenta corte de verba para cultura em Dourados

14 fevereiro 2018 - 14h50

O vereador Marçal Filho (PSDB) lamenta a postura da prefeitura de Dourados ao cancelar edital de projetos culturais do Fundo de Investimentos à Produção Artística e Cultural de Dourados (FIP). Os projetos já estavam inscritos e artistas aguardavam com ansiedade o resultado do certame para pôr em prática trabalhos e atividades ao longo de 2018.

Sob a justificativa de "falta de recursos financeiros e orçamentários para financiar os projetos culturais aprovados", a prefeitura divulgou em Diário Oficial no dia 9, o cancelamento do edital. Presidente da Comissão de Cultura na Câmara Municipal, Marçal vai cobrar mais explicações da administração municipal.

Estava previsto um total de R$ 391.200 de recursos para o FIP dos calendários 2017 e 2018. Essa tinha sido a primeira vez na história da cultura douradense que houve a soma de recursos de dois exercícios, unindo as verbas de R$ 195.600 de cada ano. No entanto, a prefeitura decidiu cancelar tudo, pondo fim o sonho de 24 artistas e produtores culturais que concorriam aos recursos.

A advogada, produtora cultural e poetisa Odila Lange, do Fórum Permanente de Cultura, disse que o cancelamento do edital joga por terra todo um trabalho de elaboração de projetos, bem como o trabalho de vários membros das comissões de avaliação,desrespeitando a classe cultural, o povo douradense e até o poder Legislativo que aprovou a dotação orçamentária da cultura.

Dourados com importante destaque no cenário cultural sul-mato-grossense, diante da diversidade de profissionais atuantes em diferentes áreas, o recurso de R$ 195,6 mil anual representa investimento inferior a um real por habitante do município. "Já era um recurso bem menor que o necessário e agora o pouco que tinha foi cortado", lamenta o vereador Marçal.

Conforme o edital cancelado, os artistas disputavam no FIP a seis projetos de R$ 25 mil, três de R$ 20 mil, sete de R$ 15 mil, sete de R$ 10 mil e um projeto de R$ 6.200, totalizando R$ 391.200 mil para os 24 projetos.

Sem esses recursos, artistas e produtores culturais ficam sem apoio para levar arte à comunidade. Marçal diz que a cultura precisa ser valorizada de forma que possa atender bairros e escolas. O parlamentar lembra que Dourados tem artistas nas mais diferentes áreas, como artes cênicas, artes plásticas, audiovisual, artesanato, folclore, literatura, música, dança e que possui cursos universitários que formam profissionais na arte, capazes de desenvolver e de transformar a cidade se fossem valorizados.

Deixe seu Comentário

Leia Também

BRASIL
Moraes diz que multas a caminhoneiros não podem ser perdoadas
EDUCAÇÃO
Universidades vão escolher como distribuir bolsas de doutorado
COTAÇÕES
Dólar fecha em alta e vai a R$ 3,95, maior valor desde fevereiro
SELEÇÃO ESTAGIÁRIOS
HU-UFGD divulga resultado preliminar da seleção pública de estagiários
AÇÃO CONJUNTA
Ação conjunta entre PF e PMA autua seis pescadores do Paraná por pesca ilegal
HOMENAGENS
Solenidade marca o Dia Estadual do Ensino Superior
BRASIL
Ministério Público reitera ao TSE parecer pela inelegibilidade de Lula
CAMPO GRANDE
Carro "desce" a rua após ser estacionado e cai em córrego
ELEIÇÕES 2018
Odilon nega “ataque” a Pedro Chaves e diz que nota foi endereçada àqueles que falam em sua desistência
RORAIMA
Força Nacional chega a Boa Vista para reforçar segurança na fronteira

Mais Lidas

BR-463
Acidente mata motociclista que tentava atravessar rodovia em Dourados
BRUTALIDADE
Estudante de medicina brasileira é assassinada na fronteira
FRONTEIRA
Trio suspeito de matar policial paraguaio é preso
FRONTEIRA
Dois são executados a tiros de pistola e fuzil