Menu
Busca domingo, 19 de maio de 2019
(67) 9860-3221
CORRUPÇÃO

Mais quatro pessoas são presas em Dourados dentro da “Cifra Negra”

07 dezembro 2018 - 10h59Por Adriano Moretto e Osvaldo Duarte

Mais quatro pessoas acabaram presas ontem (6/12), em Dourados, dentro da Operação Cifra Negra, por força de mandados de prisão expedidos pela Justiça na ação desencadeada em conjunto entre a 16ª Promotoria de Justiça e a delegacia do 2º Distrito Policial na quarta-feira (5/12). 

Na data, cinco pessoas – entre elas três vereadores – foram presas e estão na PED.

Os nomes dos envolvidos não foram divulgados oficialmente, mas o Dourados News apurou que um deles seria ex-servidor da Câmara e teria atuado, no passado, junto ao gabinete de um dos parlamentares que estão atrás das grades. 

O outro seria sócio de homem preso em Campo Grande ainda na quarta e que seria de uma das empresas investigadas de participação no esquema de corrupção. 

Ambos estão no 1º Distrito Policial de Dourados. Os mandados também foram cumpridos contra outras duas mulheres. Anteriormente havia sido citado que seriam esposas dos suspeitos, porém, o fato não é confirmado. 

Presos 

Na quarta-feira, os vereadores Idenor Machado (PSDB), Pedro Pepa (DEM) e Cirilo Ramão (MDB) acabaram presos por participação em fraudes em licitações dentro de um esquema que, de acordo com o Ministério Público Estadual, já dura oito anos na Câmara de Dourados. 

Além dos três, o ex-vereador Dirceu Longhi (PT) – que por anos fez parte de mesas diretoras e o ex-servidor da Casa, Amilton Salina, acabaram alvos dos mandados de prisão expedidos pela 1ª Vara Criminal de Dourados. 

No dia da operação, os policiais cumpriram 10 mandados de prisão em Dourados e Campo Grande e um de busca e apreensão. 

Investigações 

Conforme o Ministério Público, em diversos processos licitatórios realizados dentro da Casa, empresas consideradas como ‘cartas marcadas’ se apresentavam e atuavam em conluio. 

Algumas delas, conforme o MPE, existiam apenas no papel para simular uma concorrência legal. 

“Sem a devida concorrência, os valores dos contratos oriundos destes processos se faziam exorbitantes”, diz trecho da nota. 

Propinas

Ainda de acordo com o Ministério Público Estadual, para garantir o esquema, essas empresas repassavam na época, valores aos vereadores a título de propina.  

* Editado às 11h37 para atualização

Deixe seu Comentário

Leia Também

POLÍCIA
Carreta com pneus contrabandeados é apreendida em Maracaju
EX-PRESIDENTE
Lula está apaixonado e quer se casar ao sair da prisão, diz ex-ministro
CAPITAL
Carro bate em motociclista, motorista foge, mas deixa placa cair
DOF
Comboio com mercadorias do Paraguai é interceptado em Maracaju
PALMEIRAS
Goleada amplia recorde do Palmeiras no Brasileirão; elenco credita sucesso a Felipão
DIREITOS HUMANOS
Menores vítimas de violência sexual costumam mostrar sinais
Pais e professores devem estar atentos a mudanças de comportamento
RODOVIÁRIA
Mulher é presa em Dourados com maconha que seria entregue no RS
VILA NASSER
Jovem é encontrado morto com sinais de espancamento em Campo Grande
SÉRIE D
Operário vence e respira, Corumbaense perde em casa e ressuscita Iporá
TV
Sandy e Júnior foram concebidos no mesmo dia da semana, diz mãe

Mais Lidas

DOURADOS
Internos do Semiaberto são flagrados com droga e bebida em ônibus que os levava para trabalhar
DOURADOS
Encontro de carros antigos começa hoje e vai até amanhã no Centro de Convenções
DOURADOS
Homem é baleado durante a madrugada na Vila Cachoeirinha
JUTI
Catador de recicláveis é assassinado a pauladas