Menu
Busca domingo, 17 de fevereiro de 2019
(67) 9860-3221
CORRUPÇÃO

Mais quatro pessoas são presas em Dourados dentro da “Cifra Negra”

07 dezembro 2018 - 10h59Por Adriano Moretto e Osvaldo Duarte

Mais quatro pessoas acabaram presas ontem (6/12), em Dourados, dentro da Operação Cifra Negra, por força de mandados de prisão expedidos pela Justiça na ação desencadeada em conjunto entre a 16ª Promotoria de Justiça e a delegacia do 2º Distrito Policial na quarta-feira (5/12). 

Na data, cinco pessoas – entre elas três vereadores – foram presas e estão na PED.

Os nomes dos envolvidos não foram divulgados oficialmente, mas o Dourados News apurou que um deles seria ex-servidor da Câmara e teria atuado, no passado, junto ao gabinete de um dos parlamentares que estão atrás das grades. 

O outro seria sócio de homem preso em Campo Grande ainda na quarta e que seria de uma das empresas investigadas de participação no esquema de corrupção. 

Ambos estão no 1º Distrito Policial de Dourados. Os mandados também foram cumpridos contra outras duas mulheres. Anteriormente havia sido citado que seriam esposas dos suspeitos, porém, o fato não é confirmado. 

Presos 

Na quarta-feira, os vereadores Idenor Machado (PSDB), Pedro Pepa (DEM) e Cirilo Ramão (MDB) acabaram presos por participação em fraudes em licitações dentro de um esquema que, de acordo com o Ministério Público Estadual, já dura oito anos na Câmara de Dourados. 

Além dos três, o ex-vereador Dirceu Longhi (PT) – que por anos fez parte de mesas diretoras e o ex-servidor da Casa, Amilton Salina, acabaram alvos dos mandados de prisão expedidos pela 1ª Vara Criminal de Dourados. 

No dia da operação, os policiais cumpriram 10 mandados de prisão em Dourados e Campo Grande e um de busca e apreensão. 

Investigações 

Conforme o Ministério Público, em diversos processos licitatórios realizados dentro da Casa, empresas consideradas como ‘cartas marcadas’ se apresentavam e atuavam em conluio. 

Algumas delas, conforme o MPE, existiam apenas no papel para simular uma concorrência legal. 

“Sem a devida concorrência, os valores dos contratos oriundos destes processos se faziam exorbitantes”, diz trecho da nota. 

Propinas

Ainda de acordo com o Ministério Público Estadual, para garantir o esquema, essas empresas repassavam na época, valores aos vereadores a título de propina.  

* Editado às 11h37 para atualização

Deixe seu Comentário

Leia Também

UAUUUUU!!
Graciele Lacerda exibe corpão em foto e recebe enxurrada de elogios
PROVA ACONTECE AMANHÃ
Concurso da Educação terá reforço na segurança
BRASIL
eSocial já tem 24 milhões de trabalhadores cadastrados
490 EMPRESAS
Jucems registra em janeiro, melhor resultado em cinco anos
BRASIL
Após tragédia, futuro do Ninho do Urubu está indefinido
CAMPO GRANDE
Casa é queimada e morador acredita em fogo criminoso
PROVAS AMANHÃ
Agência orienta candidatos de concurso a não viajarem com transportadores clandestinos
CASO QUE CHOCOU
Homem que furtou corpo de cemitério disse ter ouvido vozes
BRASIL
Repasses de fevereiro a beneficiários do Bolsa Família vão até o dia 28
BELEZA NATURAL
Asfalto da MS-450 avança entre morros e potencializa o turismo na Estrada Ecológica

Mais Lidas

TRÂNSITO
Vídeo mostra acidente que matou duas pessoas em Dourados
TRÂNSITO QUE MATA
Dois morrem em colisão frontal em Dourados
DOURADOS
Jovem morre após troca de tiros com a polícia no Água Boa
JARDIM COLIBRI
Homem é executado na frente da mulher em Dourados