Menu
Busca terça, 23 de abril de 2019
(67) 9860-3221
ARTIGO

Leia o artigo "A desigualdade dos iguais", por Rosildo Barcellos

26 setembro 2017 - 08h47

Quando se trata dos direitos das Pessoas com Deficiência um detalhe me chama a atenção. A percepção de que os valores morais e éticos estão em decadência na nossa sociedade. Precipuamente, vislumbra-se como valor intrínseco, a aparência física e intelectual, mesmo sabendo que os dotes físicos são efêmeros, preocupa-se com o exterior e o belo, sem se importar com o imanente, com a essência. Nessa inversão de valores não há preocupação com o próximo evidentemente. Busca-se, a relação social somente entre os iguais, ofertando-se pouca importância para a inclusão dos desiguais.

Muitos esquecem que ante a uma pintura crescente e aterrorizadora de violências causadas pela marginalidade e pelo destempero no trânsito, além de algumas doenças incapacitantes, qualquer pessoa, por mera fatalidade, está sujeita a ter algum tipo de incapacidade física ou motora. Ou seja além da própria deficiência terá que superar a deficiência cultural da sociedade. Historicamente por muito tempo se mascarava a inabilidade dos grupos sociais majoritários em lidar com o diferente,tanto que a principal deliberação do II Congresso Internacional de Instrução de Surdos, ocorrido em 1880, em Milão, Itália, foi o banimento da língua de sinais. Vejam como por vezes os problemas são criados por nós mesmos. Imaginem como é comum assistir pais praticando ações desrespeitosas diante de seus filhos, ou seja, ofertando um péssimo exemplo e de um caráter desvirtuoso a eles,o que fatalmente replicará nessas crianças e na sociedade em formação ações inesperadas e inconsequentes. Agora junte-se problemas em casa de formação e distanciamento do poder público para os interesses reais da população.

Existem hoje, no Brasil, aproximadamente 6 milhões de pessoas com algum nível de perda auditiva, dos quais 1 milhão têm grande dificuldade ou são incapazes de ouvir e cerca de 1250 pessoas "surdo cegas". Embora o número de pessoas que apresentam perda auditiva por exposição constante a ruído esteja aumentando, as principais causas da surdez ainda são relacionadas a infecções, como rubéola, sarampo ou meningite. Ainda temos efeitos da Kerniktures e da eritroblastose fetal. Percebam como tudo se entrelaça: saúde pública, educação infantil, políticas sociais de inclusão; controle de ruídos, no trânsito, na construção civil, controle de infecções virais, lesões e toxicidade farmacológica. Não adianta tentar separar as coisas pois tudo volta a ser fundamentado no tripé: saúde, cultura e educação.


Rosildo Barcellos*

*Articulista

Deixe seu Comentário

Leia Também

CONCURSO
Aeronáutica encerra inscrições para 180 vagas de cadetes do ar
FUTEBOL
Atletas de Dourados integram time que faturou 2º lugar na Go Cup
POLÍTICA
Após reunião com governo, caminhoneiros descartam paralisação dia 29
TRÊS LAGOAS
Homem morre em troca de tiros com a polícia após roubo de residência
TEMPO
Terça-feira nublada com possibilidade de chuva em Dourados
SHOWBIZZ
Carol Nakamura voa alto em clique de biquíni com amiga: "não ter asas é detalhe"
REVIRAVOLTA
Travesti é suspeita de ter matado vendedor com 14 facadas na Capital
POLÍTICA
TRE/MS mantém cassação da prefeita de Miranda Marlene Bossay
TRÊS LAGOAS
Homem é preso após sair de cueca e mostrar órgão genital a vizinhos
AVISO PRÉVIO
MPT investiga dispensa em massa de fábrica da Mabel em Três Lagoas

Mais Lidas

DOURADOS
Homem é preso após oferecer cocaína a policiais militares
DOURADOS
Motociclista morre ao bater na traseira de carreta no Terra Roxa
RIO BRILHANTE
Vídeo mostra acidente que matou ex-jogador do Águia Negra
DOURADOS
Homem encontrado morto no rio Dourados foi deixado no local pelo sobrinho no sábado