Menu
Busca quarta, 22 de janeiro de 2020
(67) 9860-3221
MULTAS

Lei detalha maus-tratos a animais passíveis de punição em Dourados

10 outubro 2019 - 11h57Por André Bento

A prefeita Délia Razuk sancionou nesta quinta-feira (10) uma nova lei que detalha maus-tratos a animais passíveis de punição em Durados. Entre eles são descritas agressões físicas e psicológicas, uso em lutas, trabalho excessivo, abandono, confinamento, exposição a condições insalubres, falta de vacinação, envenenamento e abuso sexual.

Publicada na edição de hoje do Diário Oficial do Município, a Lei nº 4.321, de 02 de outubro de 2019, inclui dispositivos a uma legislação vigente há mais de 10 anos que dispõe sobre a posse responsável, o bem-estar animal, o controle de natalidade e a proteção de populações de animais no Município.

Aprovado em setembro pela Câmara de Vereadores como Projeto de Lei nº 133/2019, de autoria da vereadora Marinisa Mizoguchi (PSB), inclui parágrafos 5º, 6º e 7º no artigo 38 da Lei 3.180/2008, que prevê multas entre R$ 13,97 e R$ 6.985,00.

“Para efeito desta Lei, consideram-se maus-tratos as condutas abusivas e atentatórias ao bem-estar e a integridade física do animal, praticadas sob forma comissiva ou omissiva, capazes de provocar sofrimento e deterioração física, medo, estresse, patologias ou causar morte”, define a legislação que entrou em vigor hoje.

Esses maus-tratos são descritos como privar o animal de suas necessidades básicas, submeter o animal a agressões e castigos de natureza física e/ou psicológica de forma continuada ou não, provocando-lhe lesões, repercutindo em sofrimento, dano físico ou morte, e incitar, estimular e utilizar animal em confronto ou luta, entre animais da mesma espécie ou de espécies diferentes, bem como se valer de artifícios e alterações físicas de qualquer tipo no animal com o intuito de fazê-lo mais combativo.

Também há menção a sujeitar o animal a trabalho excessivo e extenuante que exija esforço além de suas capacidades físicas, abandonar o animal sob qualquer pretexto, realizar mutilações físicas no animal com fins meramente estéticos, envenenar animal, que resulte ou não na sua morte; abusar sexualmente de animal, abster-se da vacinação profilática do animal em campanhas públicas de controle de zoonoses que não resultam em ônus financeiro ao proprietário, e deixar de propiciar morte rápida e indolor a animal cuja eutanásia seja necessária por força da lei”.

Outra conduta descrita na lei como maus-tratos é manter animal acorrentado ou confinado em situação que promova estresse e/ou deterioração física, principalmente por longos períodos de tempo e exposto a condições insalubres, ou ainda, que obste ou mesmo impeça o atendimento de suas necessidades físicas básicas, a exemplo de alimentação e descanso”.

Mas a legislação aponta que também serão configuradas “outras ações ou omissões atestadas por médico veterinário, nos quais fiquem evidenciadas situações de abuso ou maus-tratos”, entendidas “por ações indiretas ou omissivas aquelas que impliquem alguma das situações previstas no parágrafo anterior, através de omissão de socorro, negligência, imperícia, má utilização e/ou utilização por pessoa não capacitada de instrumentos ou equipamentos”.

Deixe seu Comentário

Leia Também

DOURADOS
Prefeitura promove mutirão de limpeza e serviços no Jardim Canaã 3
IGUATEMI
Após perseguição, PM apreende 1 tonelada de maconha em Ranger roubada
LEI ANTICRIME
Ministro do STF suspende juiz de garantias por tempo indeterminado
CASSILÂNDIA
Mulher de 67 anos é a quarta vítima da dengue do ano em MS
FUTEBOL
Grêmio vence o Oeste e confirma Gre-Nal na decisão da Copa São Paulo
ASSALTO EM DOURADOS
Bandidos colocam arma na cabeça de idosa e depois pedem desculpas
SONORA
Homem morre e outro fica ferido após colisão de carros na BR-163
PROCESSO SELETIVO
Simted Dourados vai à Justiça por direitos constantes no PCCR
PEDRO JUAN
Dois que fugiram da cadeia do Paraguai são capturados em chácara
UFGD
HU de Dourados vai implantar visita aberta de bebês em internação

Mais Lidas

UFGD
Aluna branca aprovada em Medicina como indígena aponta engano na inscrição
EMPREGO
Empresa abre 136 vagas para classificadores de grãos em Dourados e região
POLÍCIA
Mulheres são presas com malas ‘recheadas’ de maconha no Jardim Santo André
POLÍCIA
Participante de fuga em massa no Paraguai é recapturado em MS