Menu
Busca quinta, 28 de maio de 2020
(67) 99659-5905
DOURADOS

Juiz pede para perito esclarecer presença de cérebro humano em local de crime

09 outubro 2019 - 11h34Por André Bento

O juiz Eguiliell Ricardo da Silva determinou que a perícia técnica esclareça se houve a apreensão de cérebro humano no local onde foram mortos Miguel Vieira, de 39 anos, e Bryan Gabriel Vaz Vieira, de 17 anos, no distrito de Panambi, em Dourados. A ordem foi expedida na segunda-feira (7), quando o magistrado aceitou a denúncia por homicídio qualificado contra Rafael Ferreira Ponce, de 29 anos, preso acusado pelo crime.

No despacho, o titular da 3ª Vara Criminal de Dourados estabeleceu prazo de 10 dias para que seja oficiado perito relator do Laudo de Exame de Local em Morte Violenta a fim de que esclareça se houve a apreensão de substância mencionada no processo e, “em caso positivo, para que seja realizado exame pericial com o objetivo de constatar se trata-se de material humano, notadamente, cérebro humano”.

Ele recebeu a denúncia oferecida pelo MPE-MS (Ministério Público Estadual) “ante a prova da materialidade e a presença de indícios suficientes de autoria do fato delituoso imputado à parte ré, levando-se em conta os elementos colhidos na fase inquisitória”, e de 10 dias para o réu responder a acusação, “oportunidade em que poderá arguir preliminares e alegar tudo o que interesse à sua defesa, oferecer documentos e justificações, especificar as provas pretendidas e arrolar testemunhas, qualificando-as e requerendo sua intimação, quando necessário”.

Embora o magistrado tenha alertado que se não constituir advogado para esse fim, fica desde já nomeada a Defensoria Pública para patrocinar a defesa, Rafael Ponce tem em trâmite no TJ-MS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul) um pedido de habeas corpus formulado pela advogada Andrea Bulgakov Klock.

Em 27 de setembro, a 3ª Vara Criminal de Dourados já havia negado a liberdade para o réu considerando que “a segregação cautelar revela-se necessária para garantia da ordem pública, tendo vista a real periculosidade do requerente”.

No dia 30 daquele mesmo mês, a desembargadora Dileta Terezinha Souza Thomaz, relatora da 3ª Câmara Criminal do TJ, negou o pedido de liminar (decisão de efeitos imediatos e provisórios) feito pela advogada para libertar Rafael, mas o habeas corpus segue em trâmite para ser julgado pelos demais desembargadores que compõem esse colegiado.

Apresentado pela Polícia Civil em 18 de setembro como autor do duplo homicídio ocorrido, Rafael Ponce havia sido preso na véspera e segundo o delegado Rodolfo Daltro, responsável pelo SIG (Setor de Investigações Gerais), chegou a retirar a massa encefálica (cérebro) do crânio do adolescente e para tentar desaparecer com os corpos, manteve fogo aceso durante um dia inteiro.

“Ele tirou a massa encefálica do Bryan, quem foi ao local do crime viu que não foi enterrado, estava bem superficial. Ele disse que passou mal, começou a ter ânsia de vômito e aí não conseguiu enterrar o cérebro e ele passou a segunda-feira toda colocando pedaços de madeira e cobertor para manter o fogo no poço onde estavam os corpos, aceso”, detalhou.

Deixe seu Comentário

Leia Também

EDUCAÇÃO
Professor douradense publica 4 ª edição de livro de Direito Internacional
DATAFOLHA
Rejeição a Bolsonaro aumenta após vídeos de reunião ministerial, afirma pesquisa
PESCA PREDATÓRIA
Policiais apreendem redes de pesca e anzóis de galho em rios de MS
BRASIL
Covid-19: planos de saúde incluirão mais 6 exames na lista obrigatória
8H ÀS 12H
Três agências da Caixa abrem em Dourados neste sábado para saque de auxílio
DOURADOS
MP pede extinção de processo contra casal acusado de "furar" quarentena
PANDEMIA
Dourados registrou um caso de Covid-19 a cada 1h30 nos últimos dez dias
MERCADO DE TRABALHO
Quase 7 mil postos de trabalho são fechados somente em abril em Mato Grosso do Sul
POLÍTICA
TJ absolve ex-deputado estadual em caso de “servidora fantasma”
MATO GROSSO DO SUL
Beneficiários são notificados por abandono, locação e cedência de unidades habitacionais

Mais Lidas

DOURADOS
Paciente com suspeita de coronavírus afasta mais de 20 profissionais da saúde no HV e UPA
PANDEMIA
Dourados é "campeã" de casos de coronavírus em MS pelo 3º dia consecutivo
PANDEMIA
Dourados investiga morte com suspeita do novo coronavírus
DOURADOS
Empresários cobram de Délia prova científica para justificar toque de recolher