Menu
Busca quinta, 21 de novembro de 2019
(67) 9860-3221
DOURADOS

Juiz impõe sigilo em processo sobre homem morto por policial no cinema

13 julho 2019 - 13h00Por André Bento

O juiz Eguiliell Ricardo da Silva, da 3ª Vara Criminal de Dourados, determinou sigilo no processo em que o cabo da Polícia Militar Dijavan Batista dos Santos, de 37 anos, responde por homicídio simples pelo assassinato a tiro do bioquímico Julio Cesar Cerveira Filho, 43 anos. O crime aconteceu no início da tarde de segunda-feira (8), no cinema do shopping da cidade. Agora o andamento do processo só fica acessível para as partes envolvidas.

Antes disso, foi possível apurar que o magistrado havia recebido um pedido de autorização feito pelo delegado Francis Flávio Tadano Araújo Freire para quebrar o sigilo telefônico do assassino confesso. O titular da 2ª Delegacia de Polícia Civil de Dourados quer confirmar a versão apresentada pelo militar em depoimento, de que acionou socorro médico e autoridades logo após o crime.

Na quarta-feira (10), esse mesmo magistrado converteu a prisão em flagrante para preventiva “para garantia da ordem pública e para a conveniência da instrução criminal”. Ele também determinou que Dijavan fosse transferido do Pelotão da PMA (Polícia Militar Ambiental), onde é lotado e está detido desde o dia do crime, para o Presídio Militar Estadual, em Campo Grande.

Naquela mesma tarde, os advogados do policial divulgaram nota na qual declararam contar “que todas as testemunhas que ainda não depuseram formalmente sobre o caso o façam relatando mais pura verdade dos fatos que presenciaram, não se deixando levar pelo sensacionalismo de alguns veículos de comunicação ou por pré-julgamentos infundados publicados nas mídias sociais, resguardando, assim, o cumprimento efetivo da justiça”.

Essas testemunhas devem ser identificadas e conduzidas para depoimento até segunda-feira (15), conforme determinação feita na quinta-feira (11) pelo delegado responsável pelo inquérito policial à equipe de investigadores. O titular da 2ª Delegacia de Polícia Civil de Dourados também determinou que sejam convocados para depor a esposa, de 45 anos, e a filha da vítima, de 16 anos, além de um dos filhos do autor do crime, de 9 anos.

Em nota divulgada na semana passada, a família do bioquímico Julio Cesar Cerveira Filho pediu respeito ao luto. “Diante da brutalidade do ato trágico ocorrido, a família informa que não irá se pronunciar por ora, de forma que pedimos respeito ao luto. O momento requer parcimônia, humanidade e sensibilidade, uma vez que os fatos estão sendo elucidados pela investigação e as notícias veiculadas dão conta tão somente da versão do acusado, autor do disparo que culminou nesta tragédia, exposta em seu depoimento à polícia civil”, pontuaram.

Deixe seu Comentário

Leia Também

RIO BRILHANTE
Homem é preso tentando pagar conta de água com dinheiro falso
MATO GROSSO DO SUL
Nota MS Premiada é aprovada em 1ª discussão na Assembleia
AMAMBAI
Equipe indígena participa pela segunda vez dos Jogos Escolares da Juventude
BRASIL
Senadores podem apoiar PEC para disciplinar prisão em 2ª instância
DOURADOS
Homem é preso e multado em R$ 7 mil por pássaros em gaiolas
EDUCAÇÃO
MEC anuncia três escolas militares em Mato Grosso do Sul
LEGISLATIVO
Assembleia recebe três projetos do Poder Executivo
ESTRUTURA DE GOVERNO
Governo Presente continua reuniões durante a tarde em Dourados
DOURADOS
“Nota Dourada” é aprovada pela Câmara e deve ser lançada pela prefeita ainda este ano
SAÚDE PÚBLICA
“Estamos completamente em dia com Dourados”, diz Geraldo sobre repasses

Mais Lidas

TENTATIVA DE FEMINICÍDIO
Ex esperou mulher chegar de curso para tentar matá-la no Estrela Verá
DOURADOS
Corregedoria abre sindicância para apurar ação da Guarda que terminou em morte
DOURADOS
Secretaria de Saúde contrata pessoal para limpeza com salários de R$ 1 mil a R$ 1,4 mil
JÚRI POPULAR
Primeira tentativa de feminicídio do ano ocorre às vésperas de julgamento por crime de 2018