Menu
Busca terça, 16 de julho de 2019
(67) 9860-3221
POLITICA

Ishy questiona segunda prorrogação de mandatos de diretores de escolas

16 junho 2015 - 11h21

O vereador Elias Ishy (PT), membro da Comissão Permanente de Educação da Câmara Municipal de Dourados, está questionando a Prefeitura pelo descumprimento da Lei Complementar nº 3.816/2014, que determinava a realização de eleições para direção das escolas municipais até a segunda quinzena do mês de junho de 2015.

Anteriormente, a data prevista era novembro de 2014 e a justificativa para a mudança foi de que a coincidência com as eleições estadual e nacional poderia interferir no pleito dentro das escolas. A lei estabelecia que a Secretaria Municipal de Educação deveria convocar a eleição através de edital com antecedência mínima de 75 dias antes da data prevista para o pleito.

O prazo expirou em abril e agora a Prefeitura encaminhou outro projeto de lei visando adiar novamente as eleições, para a segunda quinzena de novembro de 2015, sob a alegação de que mudar a direção das escolas em junho prejudica o processo de prestação de contas a ser feita pelos atuais diretores, cujos mandatos serão prorrogados pela segunda vez — por mais seis meses, como foi feito ano passado. Assim, os mandatos que deveriam ser de três anos, completarão quatro.

“As justificativas apresentadas para embasar as duas leis demonstram que as mudanças na legislação são feitas sem levar em conta o funcionamento administrativo das escolas. Por que não foi averiguado em 2014 que realizar as eleições em junho complicaria a prestação de contas a ser feita anualmente? Agora, volta-se a eleição para a data de novembro, como era anteriormente, num jogo de vai e volta que revela desrespeito com o legislativo. Em 2018 também coincidirá com as eleições para presidente, e vão querer mudar novamente?”, indagou Ishy.

O vereador considera preocupante a postura da atual administração em mudar unilateralmente as regras eleitorais a cada ano de eleição, sem ouvir previamente os agentes que compõem a comunidade escolar e ferindo um dos princípios que rege a gestão democrática.

"Não se pode deixar margens para dúvidas sobre a lisura de processos que interferem diretamente na vida da comunidade escolar”, afirmou Ishy, que em julho de 2014 votou contrário à medida.

Em assembleia acompanhada pela Comissão de Educação, no Simted, os professores foram enfáticos solicitando o fim da reeleição ad infinitum; a realização de eleições para coordenadores dos Ceims (Centros de Educação Infantil Municipal) e o estabelecimento de critérios técnicos para a contratação de professores temporários, a fim de evitar compadrio.

“As reivindicações apresentadas de forma contundente pelos professores demonstram a urgência de que sejam estabelecidas regras definitivas, em diálogo com toda a comunidade escolar. É fundamental buscar de forma coletiva, transparente e democrática a qualidade na Educação do nosso município, que deve ser com certeza o objetivo de todos”, apontou o parlamentar.




Deixe seu Comentário

Leia Também

DOURADOS
Prefeitura sanciona lei que autoriza gestão associada do serviço de saneamento básico entre Município e Estado
CAMPO GRANDE
Jovem que matou cão a facadas recebe ameaças de morte
RESGATE
Iguana é capturada em residência no centro de Coxim; veja o vídeo
BENEFÍCIOS
Projeto “MP - Social” é lançado em Dourados
CRIME AMBIENTAL
Produtor é multado em R$ 135 mil por desmatamento e exploração de madeira
BRASIL
Gustavo Montezano toma posse na presidência do BNDES
CONSUMIDOR
Preço da gasolina se mantém estável em Dourados
A DONA DO PEDAÇO
Camilo ameaça Vivi e ela joga sucesso na sua cara
ATENDIMENTO MÉDICO
Dourados e mais duas cidades recebem ‘Cassems Itinerante’ nos próximos dias
BRASIL
Toffoli suspende processos que contêm dados sem autorização judicial

Mais Lidas

DOURADOS
Homem é assassinado a tiros em conveniência
DOURADOS
Homem é morto no Jardim Pantanal; segundo homicídio da noite
DOURADOS
Homem assassinado no Jardim Pantanal tinha 23 anos
DOURADOS
Homem é baleado no Jardim Pelicano