Menu
Busca quinta, 21 de fevereiro de 2019
(67) 9860-3221

Incubadora da UEMS forma mais três empresas para mercado

17 maio 2011 - 10h27

A Fênix, incubadora de empresas da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS), realizará a graduação de três empreendimentos na próxima quinta-feira, dia 19 de maio. Elas permaneceram aproximadamente dois anos e meio incubadas, recebendo diversos tipos de consultoria para que, neste momento, tivessem condições de funcionar de maneira independente e competitiva no mercado local. A solenidade acontecerá na Unidade 2 da Universidade, na avenida Weimar Torres, 2566, centro de Dourados.

As três novas empresas que ganham maioridade profissional são a Cemaps, que trabalha com agronegócio; a Dourasoft, que desenvolve softwares para gestão de lotéricas e a Origens BRA, laboratório de inseminação com sêmen bovino.

De acordo com a responsável pela Fênix, Janete Soares, as empresas atendidas pelo projeto passam por duas etapas antes de serem graduadas. A primeira é a pré-incubação, com duração de seis meses, podendo ser prorrogados por mais quatro meses. Nessa etapa, uma equipe de consultores analisará a viabilidade do empreendimento ajustando o negócio a fim de que ele alcance sucesso no mercado. Depois, a empresa passa para a fase de incubação por dois anos. “A Fênix dá todo o suporte para que o negócio se desenvolva. Uma equipe especializada oferece assessoria, auxílio para desenvolvimento de um plano de negócios, consultoria em marketing e pagamento de parte do material publicitário inicial”, explica Janete.

Depois de graduados, os empreendedores ficam com os direitos de reprodução do material publicitário desenvolvido durante a incubação: logomarca, por exemplo.

Reaproveitamento da água da chuva

Também na quinta-feira, a Fênix firmará convênio com seu novo empreendimento: a Ecopluvial. A empresa, que passará a ser pré-incubada, propõe oferecer em nível regional um sistema de captação da água da chuva, visando seu reaproveitamento na própria residência que o adquirir. A água captada por meio de calhas e filtrada por um sistema próprio pode, de acordo com o empreendedor Luis Antônio Siqueira, ser utilizada em diversas atividades do cotidiano, como limpeza e irrigação. “Só não é aconselhável que a água seja reaproveitada para consumo e lavagem de alimentos, mas para as outras atividades é ideal”, afirma Luis Antônio.

Deixe seu Comentário

Leia Também

PASSOU MAL
Fernanda Montenegro é hospitalizada no Rio de Janeiro
DUPLICAÇÃO
Concessão da BR-163 pode passar por revisão contratual
DOURADOS
Palestra com ênfase na cobrança do ICMS será realizada em março
AMAMBAI
Homem mata a ex-mulher a facadas na frente dos sete filhos
BRASIL
Fachin vota para enquadrar homofobia como crime de racismo
FRONTEIRA
Técnico de informática é alvo de atentado após se meter em briga de casal
CULTURA
TVE Cultura homenageia Dino Rocha com exibição de “O Milagre de Santa Luzia”
ASSEMBLEIA
Aprovada comissão de divisas territoriais e regularização fundiária
REIVINDICAÇÃO
Reinaldo Azambuja reforça necessidade da regularização fundiária em MS
INTERNACIONAL
Maduro diz que fechará fronteira da Venezuela com o Brasil nesta quinta

Mais Lidas

DOURADOS
Mulher que encomendou morte de marido é transferida para presídio
JARDIM PIRATININGA
Recém-nascida é encontrada sob tanque de lavar roupas em Dourados
DOURADOS
Investigado por estupro de enteadas, homem é preso com pornografia infantil no celular
DOURADOS
Para não ser preso, foragido do Semiaberto entra em luta corporal com guarda municipal