21/08/2013 15h30

IFMS já oferece dois cursos técnicos em Dourados

 

Assecom
Alunos do curso de agente comunitário de saúde em sala de aula; IFMS já é realidade em Dourados

Crédito: A. Frota Alunos do curso de agente comunitário de saúde em sala de aula; IFMS já é realidade em Dourados

Crédito: A. Frota

O IFMS (Instituto Federal de Mato Grosso do Sul) já começou a atender em Dourados mesmo antes de ter estrutura própria. Desde o início de agosto, 40 alunos frequentam o curso técnico de Agente Comunitário de Saúde e 33 o de Técnico em Hospedagem, em uma das salas da Escola Menodora Fialho de Figueiredo, no Jardim Caramuru, região central.

“Mesmo antes de instalar a sua estrutura definitiva o instituto já está presente na cidade, contribuindo para a qualificação profissional da população, sobretudo a mais carente”, diz o coordenador do IFMS Polo Dourados Wladimir Santos Silva.

Ele lembra que o sucesso nas inscrições já demonstra a importância da instituição para Dourados. A coordenação da implantação dos cursos está a cargo da Secretaria de Desenvolvimento Econômico Sustentável da Prefeitura de Dourados.

Os alunos do curso de Agente Comunitário de Saúde frequentam as aulas às quintas-feiras, das 18h às 21h. Já os matriculados no curso de Técnico em Hospedagem vão à escola na sexta-feira, no mesmo horário.

O curso está sendo aplicado no sistema EAD (Educação à Distância) até que as obras do IFMS fiquem prontas. Há atividades em casa também. A duração é de dois anos, com 1.320 horas aulas.

O campus do IFMS em Dourados será construído numa área de 50 mil metros quadrados, na Rua Filinto Muller, 1.790, no Jardim Canaã I. A área foi comprada pela prefeitura e doada para a construção do IFMS. Entusiasta da educação e formação profissional, o prefeito Murilo empreendeu muito esforço para garantir a unidade do IFMS para Dourados. Foi dele a iniciativa de adquirir a área para o campus.

A obra já foi licitada, a terraplanagem está pronta e a empreiteira está contratando trabalhadores pelo Ciat para iniciar a execução. O atraso no início é devido à grande demanda de trabalho na construção civil ocasionada pelo crescimento econômico da cidade.