20/03/2017 17h05

Grupo ocupa novamente fazenda de Bumlai e ameaça "inferno" a quem comprar


Gizele Almeida
O grupo havia deixado o local no dia 14 de março por determinação judicial- Foto: Fabiane Dorta/ TV Rit O grupo havia deixado o local no dia 14 de março por determinação judicial- Foto: Fabiane Dorta/ TV Rit

Cerca de 200 famílias ligadas ao MSTB (Movimento Sem-Terra Brasileiro) voltaram a ocupar a Fazenda São Marcos de propriedade do pecuarista José Carlos Bumlai, em Dourados. As informações são da direção do movimento e o retorno acontece desde sábado (18).

Eles haviam deixado o local no dia 14 de março após determinação judicial e acampado às margens da BR-463. Conforme mostrado pelo Dourados News o grupo era contrário a reintegração de posse a Bumlai visto por eles como "paradigma de imoralidade".

Conforme Vanildo Elias de Oliveira, líder do MSTB, o grupo vai lutar para permanecer no local. Ele cita ainda que caso haja arrendamento ou venda das terras, o próximo responsável não terá ‘paz’.

"Quem arrematar vai viver um inferno, pois, não vamos mudar de decisão que fiquem cientes disso", disse.

O líder explica ainda que cerca de 50 famílias devem terminar de se instalar na propriedade nesta segunda-feira (20), entre essas algumas que estão chegando agora para o movimento.

Questionado sobre outras ações tendo em vista a desapropriação da fazenda ou ato pela agilidade do Governo Federal no processo de demarcação de terras da reforma agrária, o líder afirmou que o foco agora é "permanecer na fazenda" sem outras atividades no momento.

O movimento

No início do mês, líderes do MSTB invadiram a Usina São Fernando, de propriedade de Bumlai. Por meio de decisão judicial, o grupo foi obrigado o grupo a deixar o local.

No dia 09, o grupo foi ao Centro de Eventos Cerrado Brasil para solicitar durante assembleia entre credores e a Usina São Fernando a desapropriação da Fazenda São Marcos, onde que "pleiteiam" desde 2015 e também agilidade na Reforma Agrária.

O pecuarista é foi preso e condenado por corrupção durante desdobramento da Operação Lava-Jato.

O Dourados News tentou contato com o departamento jurídico da Usina São Fernando na tentativa de um posicionamento diante da nova ação do MSTB e foi informado que haveria um retorno. Sem manifestação, o Dourados News ligou novamente a empresa, no entanto, nenhum responsável se prontificou a dar informação.

Envie seu Comentário