Menu
Busca Segunda, 23 de Outubro de 2017
(67) 9860-3221
DOURADOS

Educadores suspendem paralisação na rede pública

20 Março 2017 - 14h50

Em assembleia realizada na manhã desta segunda-feira (20) no Simted (Sindicato Municipal dos Trabalhadores em Educação de Dourados), os educadores optaram pelo fim da greve nas escolas municipais e estaduais. Conforme nota enviada pela instituição, a decisão ocorreu após uma longa avaliação e a opção foi por dar sequência aos manifestos contra a Reforma da Previdência, mas com as aulas acontecendo.

Gleice Jane Barbosa, presidente do Simted, destacou que a categoria deve se manter unida "contra os ataques do Governo" e segundo ela, não só a Previdência está ameaçada, mas há o planejamento de uma Reforma Trabalhista e a intenção de se acabar com o direito a greve.

O acampamento em frente ao escritório do deputado federal Geraldo Resende (PSDB), iniciado na quarta-feira passada, também está suspenso.

Para a presidente avanços aconteceram com os movimentos realizados. Ela cita que uma nova paralisação não é descartada, o que irá depender de como as ações no que diz respeito a Reforma seguirem.

"Podemos retomar a paralisação, acampamento, enfim, se houver necessidade acontecerá. Acredito que foi positivo conseguimos alertar muito a população quanto aos prejuízos deste retrocesso, conversamos com deputados e seguiremos nessa busca de alertar", citou.

No sábado (18), a Fetems (Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul) havia sinalizado o fim da greve.

Diante do posicionamento, as aulas voltarão ao normal nesta terça-feira (21) em Ceims (Centro de Educação Infantil Municipal) e escolas municipais e estaduais. As aulas estavam paralisadas desde o dia 15, data que houve o ato nacional. Algumas escolas de Dourados já funcionavam normalmente nesta segunda.

O Simted estruturará mobilizações contra a Reforma para os próximos dias. A instituição ressaltou que na próxima sexta-feira (24), acontece a Audiência Pública "Reforma da Previdência", a partir das 19 horas.

O movimento

Os profissionais da educação participaram do manifesto que reuniu cerca de 2 mil pessoas na praça Antonio João, na quarta-feira (15) [veja como foi aqui]( http://www.douradosnews.com.br/dourados/protesto-reune-2-mil-pessoas-na-praca-antonio-joao).

Logo após isso, dezenas de manifestantes fizeram um acampamento em frente ao escritório do deputado federal Geraldo Resende. A busca era debater sobre a Reforma com ele e ainda buscar que vote contra ao texto.

[Mesmo após o encontro ocorrido no dia 17, os manifestantes permaneceram no local por alguns dias](http://www.douradosnews.com.br/dourados/manifestantes-sao-recebidos-por-geraldo-mas-continuam-com-acampamento).


Deixe seu Comentário

Leia Também

PAVIMENTAÇÃO
Delia viabiliza R$ 1 milhão com Mandetta para asfalto do Jequitibás
BENEFÍCIO
UFGD abre nesta segunda-feira inscrições para Auxílio Transporte
JOÃO PAULO II
Usuário “denuncia” e PM fecha boca de fumo no João Paulo
JARDIM NOVO HORIZONTE
Homem executado em Dourados possuía passagens pela polícia
TELEVISÃO
'Dança dos Famosos': Raul Gazolla e Thiago Pereira deixam a competição
ESPORTES
Olimpíadas do Servidor seguem com inscrições abertas até amanhã
MEIO AMBIENTE
Foragido da justiça é preso após denúncia de infração ambiental
CONCURSO
IBGE abre hoje processo seletivo para 1.152 vagas temporárias de recenseador
POLÊMICA
Nova lista suja do trabalho escravo tem 132 empresas
DOURADOS
Lúcio Damália é eleito para mais um mandato no Sindicato Rural

Mais Lidas

JARDIM NOVO HORIZONTE
Homem é executado com vários tiros em Dourados
APÓS FUGA
Dupla é presa por porte ilegal e efetuar disparos em via pública
ZONA RURAL
Grupo armado sequestra casal, mulher foge e homem está desaparecido
AMAMBAI
Acidente na rodovia MS-156 mata universitário de 30 anos