Menu
Busca segunda, 24 de setembro de 2018
(67) 9860-3221
ESTIMATIVA

Gasolina deve sofrer novo reajuste até dezembro

02 julho 2015 - 13h00

A gasolina pode sofrer mais um reajuste nos próximos meses e os consumidores terão que apertar novamente o orçamento por conta do aumento. A informação é do novo presidente da Petrobrás, Aldemir Bendine em entrevista ao jornal Folha de São Paulo de quarta-feira (01).

A medida, caso seja confirmada, pode elevar ainda mais o preço do litro em Dourados, cidade com um dos valores da gasolina mais caros do Estado, de acordo com pesquisa desta semana da ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustível). A média no município é de R$ 3,614. A cidade com o valor mais caro é Corumbá com R$ 3,668.

De acordo com o jornal, o presidente disse que não tem como garantir que não haverá o reajuste, assim como também não especificou ao certo quando irá ocorrer e de quanto seria. O último deles aconteceu em novembro de 2014 e em janeiro de 2015 os consumidores já sentiram no bolso a diferença. "Não dá para garantir que não haverá", disse em entrevista a folha.

O reajuste foi mediante a elevação do PIS (Programa de Integração Social) e o Confins (Contribuição para Financiamento da Seguridade Social). Os aumentos nas taxas foram de R$ 0,22 para a gasolina e R$ 0,15 para o diesel, em média, para as distribuidoras o que acarretou um aumento maior para o consumidor.

Desde que assumiu o cargo em janeiro deste ano, Benedine, vem atuando para inverter a situação em que se encontra a companhia, desde o início da ‘Operação Lava Jato’ e a descoberta do desfalque na Petrobrás, que gerou um escândalo e um rombo nos cofres públicos.

Na entrevista ele garante que o governo não tem interferência na questão do reajuste e que deve ser feito pelo conselho e não pela presidência da República, assim como se limitou a comentar sobre as empresas da operação Lava Jato.

"Não me cabe comentar. Pessoalmente é vital a empresa ter uma cadeia de fornecedores para conceber seu plano de negócios. Estamos revisando nosso cadastro com previsão de medida protetivas e regras rígidas de controle nos contratos atuais e futuros. Decisões são cruzadas e colegiadas, tudo subirá para o alto escalão. A partir de agora, nenhum contrato ou aditivo será implementado sem as devidas análises e aprovações", disse Benedite.

Deixe seu Comentário

Leia Também

FAMOSOS
Luisa Sonza relata críticas após procedimento: 'Acharam feio'
MEDIDA
ANP vai fazer consulta para substituir GNL importado por gás doméstico
LADÁRIO
Três pessoas ficam feridas em capotagem de carro
INVESTIGAÇÃO
Polícia Federal reforça versão de que agressor de Bolsonaro atuou sozinho
CAPITAL
Carreta tomba com 27 toneladas de agrotóxico
POLÍTICA
Temer viaja a Nova York para participar da Assembleia Geral da ONU; Toffoli assume Presidência
PONTA PORÃ
PM recebe solicitação por desentendimento familiar e captura foragido
CAPITAL
Homem é encontrado morto com tiro na cabeça
TRÁFICO DE DROGAS
PRF apreende 42kg de maconha e skank após fuga de condutor
BRASIL
Multas por uso de celular ao volante crescem 33% em 2018

Mais Lidas

DOURADOS
Amiga de jovem encontrada morta é presa acusada por tráfico e por alterar a cena do crime
TEMPORAL
Chuva e ventos fortes derrubam árvores em Dourados
POLÍCIA
Presos em Dourados são transferidos para capital
POLÍCIA
Homem sofre tentativa de homicídio em Dourados