Menu
Busca sexta, 05 de junho de 2020
(67) 99659-5905
DOURADOS

Ex-líder da prefeita Délia Razuk é alvo de pedido de cassação

20 maio 2019 - 14h50Por Adriano Moretto

Documento protocolado no final da manhã desta segunda-feira (20/5) na Câmara de Dourados pede a cassação do vereador Junior Rodrigues (PR), ex-líder da prefeita Délia Razuk (PR) na Casa entre os anos de 2017 e 2018, pelo suposto crime de responsabilidade político-administrativo.

Agora, cabe ao Legislativo analisar o processo e, se houver admissibilidade, votar pela implantação ou não de uma comissão processante para o caso, o que pode acontecer nas próximas sessões. 

A ação é movida pela ex-vereadora e advogada, Virgínia Marta Magrini, embasado nos relatos recentes da CGU (Controladoria-Geral da União), apontando para uma possível ligação entre o parlamentar e a empresa Batalinee Gomes Ltda.-ME, com nome fantasia Global Serv Prestadora de Serviços, na prestação de serviços de lavanderia junto a Funsaud (Fundação de Saúde de Dourados), que administra o Hospital da Vida e a UPA (Unidade de Pronto Atendimento).

De acordo com o documento a qual o Dourados News teve acesso, a denunciante diz que ‘há fortes indícios de que exista uma verdadeira troca de favores neste relacionamento entre a atual gestora e seu líder na Câmara até dezembro de 2018’. 

Para embasar ela cita duas dispensas de licitação [números 88/2017 e 003/2018] e um pregão presencial número 002/2018.

O primeiro caso, conforme a denúncia, o desembolso por parte da Fundação é de R$ 188.184,00, enquanto no segundo, o valor citado é de R$ 138.096,94, ambas se dando em caráter emergencial e utilizando a lavanderia da PED (Penitenciária Estadual de Dourados) para firmar convênio entre as partes. Já em relação ao pregão, o recurso utilizado é de R$ 153.120,00, todos valores com indícios de superfaturamento. 

Ainda segundo a denúncia, apesar dos serviços realizados nesses convênios, meses antes das contratações a direção da penitenciária e a Global já havia firmado compromisso para explorar o trabalho dos internos. 

Conforme a Controladoria, se apresentam como integrantes da empresa contratada pela Funsaud, dois ex-servidores lotados no gabinete do parlamentar e outra pessoa que trabalhou na campanha eleitoral de Júnior Rodrigues.

“Desta forma, resta comprovado, o favorecimento da empresa Bataline, que firmou duas dispensas de licitação indevidas e um pregão com indícios de manipulação com a prefeitura Municipal, graças ao bom trânsito (troca de favores) do líder vereador Júnior Rodrigues com a prefeita Délia Godoy Razuk”, finaliza o pedido. 

O Dourados News tentou contato por telefone com o vereador Júnior Rodrigues, porém, as ligações não foram atendidas. O parlamentar participa da sessão da Câmara de Dourados nesta tarde. 

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

COSTA RICA
Filho de vereadora morre após passar mal em partida de futebol
UEMS
Convênio seleciona bolsistas em Campo Grande e em Dourados
BRASIL
Bolsonaro confirma mais duas parcelas do auxílio emergencial
MUNDO NOVO
Homem morre em troca de tiros ao tentar fugir com 2,5 mil pacotes de cigarro
TEMPO
Sexta-feira nublada ainda com possibilidade de chuva em Dourados
DOURADOS
Polícia Militar flagra dupla armada na região do Parque das Nações
AVANÇO DA COVID-9
Brasil passa a Itália e se torna 3º país com mais vítimas do coronavírus
PONTA PORÃ
Veículos com maconha que seguiam para MG e SP são apreendidos
LIVE SEMANAL
Bolsonaro diz que manifestantes contrários são "terroristas"
CAPITAL
Motorista bêbada oferece R$ 500 a PMs após atropelar entregador

Mais Lidas

PANDEMIA
Em disparada, casos de Covid-19 tem novo recorde diário e passam de 400 em Dourados
EPICENTRO
Casos de coronavírus "explodem" e Dourados registra recorde de confirmações
PANDEMIA
Comitê aponta surtos de coronavírus em dois pontos de Dourados
DOURADOS
Conselho aponta riscos de contaminação em massa por coronavírus no HV