Menu
Busca terça, 18 de junho de 2019
(67) 9860-3221
DOURADOS

Ex-líder da prefeita Délia Razuk é alvo de pedido de cassação

20 maio 2019 - 14h50Por Adriano Moretto

Documento protocolado no final da manhã desta segunda-feira (20/5) na Câmara de Dourados pede a cassação do vereador Junior Rodrigues (PR), ex-líder da prefeita Délia Razuk (PR) na Casa entre os anos de 2017 e 2018, pelo suposto crime de responsabilidade político-administrativo.

Agora, cabe ao Legislativo analisar o processo e, se houver admissibilidade, votar pela implantação ou não de uma comissão processante para o caso, o que pode acontecer nas próximas sessões. 

A ação é movida pela ex-vereadora e advogada, Virgínia Marta Magrini, embasado nos relatos recentes da CGU (Controladoria-Geral da União), apontando para uma possível ligação entre o parlamentar e a empresa Batalinee Gomes Ltda.-ME, com nome fantasia Global Serv Prestadora de Serviços, na prestação de serviços de lavanderia junto a Funsaud (Fundação de Saúde de Dourados), que administra o Hospital da Vida e a UPA (Unidade de Pronto Atendimento).

De acordo com o documento a qual o Dourados News teve acesso, a denunciante diz que ‘há fortes indícios de que exista uma verdadeira troca de favores neste relacionamento entre a atual gestora e seu líder na Câmara até dezembro de 2018’. 

Para embasar ela cita duas dispensas de licitação [números 88/2017 e 003/2018] e um pregão presencial número 002/2018.

O primeiro caso, conforme a denúncia, o desembolso por parte da Fundação é de R$ 188.184,00, enquanto no segundo, o valor citado é de R$ 138.096,94, ambas se dando em caráter emergencial e utilizando a lavanderia da PED (Penitenciária Estadual de Dourados) para firmar convênio entre as partes. Já em relação ao pregão, o recurso utilizado é de R$ 153.120,00, todos valores com indícios de superfaturamento. 

Ainda segundo a denúncia, apesar dos serviços realizados nesses convênios, meses antes das contratações a direção da penitenciária e a Global já havia firmado compromisso para explorar o trabalho dos internos. 

Conforme a Controladoria, se apresentam como integrantes da empresa contratada pela Funsaud, dois ex-servidores lotados no gabinete do parlamentar e outra pessoa que trabalhou na campanha eleitoral de Júnior Rodrigues.

“Desta forma, resta comprovado, o favorecimento da empresa Bataline, que firmou duas dispensas de licitação indevidas e um pregão com indícios de manipulação com a prefeitura Municipal, graças ao bom trânsito (troca de favores) do líder vereador Júnior Rodrigues com a prefeita Délia Godoy Razuk”, finaliza o pedido. 

O Dourados News tentou contato por telefone com o vereador Júnior Rodrigues, porém, as ligações não foram atendidas. O parlamentar participa da sessão da Câmara de Dourados nesta tarde. 

 

Deixe seu Comentário

Leia Também

SHOWBIZZ
Em cenário paradisíaco, Letícia Lima brinca: "estou insuportável"
CAMPO GRANDE
Mãe procura rapaz de 21 anos que desapareceu no último sábado
UEMS
Estão abertas as inscrições para o Programa de Mobilidade Nacional
JUSTIÇA
Homem é condenado por esfaquear mulher e terá que pagar R$ 8 mil
TRÂNSITO
Mais de 233 mil veículos devem passar pela BR-163 no feriado
POLÍTICA
Cinco partidos de oposição anuncia obstrução à reforma da Previdência
DIA 24
Luiza Brunet será empossada embaixadora do Mãos EmPENHAdas
RURAL
Plano Safra terá R$ 225,59 bilhões em créditos para agricultores
CAMPO GRANDE
Mulher vai ao salão de beleza e quando sai encontra veículo incendiado
POLÍTICA
Senado aprova parecer que pede suspensão dos decretos das armas

Mais Lidas

AQUIDAUANA
Douradense desaparece nas águas do rio Aquidauana durante banho
PARAGUAI
Motim termina com 10 mortos e presos queimados e decapitados
DOURADOS
Perseguição na Coronel Ponciano termina com homem preso e apreensão de mais de 700kg de maconha
MASSACRE EM SAN PEDRO
Ministro paraguaio promete expulsar membros do PCC após motim com 10 mortos