Menu
Busca sexta, 28 de fevereiro de 2020
(67) 9860-3221
DOURADOS

Em ato de filiação ao PSL, reitora temporária diz não ter prazo para deixar comando da UFGD

19 agosto 2019 - 08h34Por André Bento

Presente ao ato de filiação promovido pelo PSL em Dourados na manhã de sábado (17), a reitora pro tempore da UFGD (Universidade Federal da Grande Dourados), Mirlene Ferreira Macedo Damázio, disse não ter prazo para deixar o comando da instituição e que segue as orientações emanadas diretamente pelo MEC (Ministério da Educação) mesmo com o desfecho da ação judicial sobre a lista tríplice para a reitoria.

No dia 13 de agosto, o juiz Moisés Anderson Costa Rodrigues da Silva julgou improcedente a ação civil pública movida pelo MPF (Ministério Público Federal) contra a eleição para reitoria da UFGD e com isso a lista tríplice chancelada pela comunidade acadêmica e pelo colégio eleitoral voltou a valer para o presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL), nomear novo reitor.

“Estamos como reitora pro tempore conduzindo os trabalhos da universidade da melhor maneira possível, que foi na designação nos solicitada. Todos os trâmites da nossa universidade estão em processo. Nós também estamos acompanhando todo o processo da judicialização, os encaminhamentos dados a partir da Justiça junto ao Ministério da Educação. Nós estamos acompanhando as orientações do MEC, todas as orientações que o MEC está nos passando é o que nós estamos realizando”, explicou ao Dourados News.

Designada reitora pro tempore no dia 11 de junho pelo ministro da Educação Abraham Weintraub em meio às indefinições jurídicas sobre a eleição do professor Etienne Biasotto pela comunidade acadêmica e pelo colégio eleitoral, Mirlene informou que o ministério  está acompanhando os desdobramentos da decisão da 1ª Vara Federal de Dourados que julgou improcedente do pedido do MPF para anular a lista tríplice.

“Eu, enquanto reitora pró-tempore, tenho essa obrigação de dar as condições naturais para os procedimentos regulares da universidade. Reitor pro tempore não tem prazos, estamos designados para realizar o trabalho enquanto for necessário para o Ministério da Educação. O objetivo do Ministério é que tudo se regularize e os trâmites na nossa universidade possam seguir normalmente”, pontuou.

Realizado na Câmara de Dourados, o evento do PSL teve 103 fichas de filiação assinadas, segundo o advogado Sindoley Morais, membro do partido que foi candidato a deputado federal nas eleições gerais de 2018. Ele informou ao Dourados News que o vice-reitor pro tempore, Luciano Oliveira Geisenhoff, foi um dos novos filiados, mas não soube detalhar se a reitora pro tempore fez o mesmo.

Deixe seu Comentário

Leia Também

FÁTIMA DO SUL
Vigilante condenado em São Paulo por estupro acaba preso em MS
Agronegócio
Em MS, colheita da soja tem atraso de 36% e plantio do milho de 27%
VAGAS EM DOURADOS
Edital abre oportunidades com bolsas no valor de R$ 4 mil
CAMPO GRANDE
Homem morre no hospital três dias após ser esfaqueado
MATO GROSSO DO SUL
PGE divulga programação das etapas do Acordo Direto em precatórios
JUSTIÇA
Cabeleireira condenada por matar manicure tem pena mínima negada
TRÊS LAGOAS
Homem é autuado por maus-tratos após deixar matar pássaros de fome
VÔLEI DE PRAIA
Seletiva vai definir representante de MS em torneio nacional
CAMPO GRANDE
Motociclista mostra o pênis e tenta estuprar mulher em matagal
CONCURSO
Publicados no Diário Oficial editais da nova etapa do Concurso da PM e CBM

Mais Lidas

MEIO AMBIENTE
Proprietário de rancho é autuado por pescar em rio durante a piracema
PARQUE DO LAGO
Ladrões usam carro para estourar porta de mercado e fogem com cofre; veja vídeo
PONTA PORÃ
Estado monitora caso suspeito de Coronavírus na fronteira
DOURADOS
Dupla dispara, mata jovem e deixa outro ferido no Jardim Independência